Aéreas apoiam a ICAO na véspera de acordo histórico sobre emissões.

iata-icao-aviao-gramado

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) incentivou os governos, na 39ª Assembleia da Organização Internacional da Aviação Civil (ICAO), a concordarem com uma medida global, baseada no mercado, para ajudar a indústria da aviação a gerir suas emissões de carbono.

No topo da agenda da Assembleia da ICAO está a proposta para o Esquema de Compensação e Redução para a Aviação Internacional (CORSIA).

“A indústria global da aviação compareceu em grande número para encorajar os governos a tomarem passos históricos ao concordarem com a implantação do CORSIA. Isso será o primeiro acordo global dessa natureza para um setor industrial. Estamos comprometidos com um crescimento neutro de emissões de carbono até 2020. O CORSIA, junto com medidas para melhorar a tecnologia, as operações e a infraestrutura, irá manter a aviação na liderança das indústrias que assumem a responsabilidade de gerir seu próprio impacto na mudança de clima”, disse Alexandre de Juniac, Diretor Geral e CEO da IATA.

As empresas aéreas integrantes da IATA passaram resoluções nas suas reuniões anuais (AGM) em 2013 e outra vez em 2016, chamaram os governos para implantarem uma medida baseada no mercado global (GMBM) para ajudar na gestão do impacto das emissões de carbono da aviação. A GMBM deverá focar em reduções reais de emissões (e não em aumentar receitas para os governos), levar em consideração as circunstâncias diferenciadas das aéreas baseado na maturidade dos mercados e não distorcer a concorrência.

“Temos um comprometimento pragmático dentro da proposta atual do CORSIA. E com os 60 países já comprometidos para o período voluntário, o momento está crescendo. Precisamos de ainda mais países demonstrando sua liderança e compromisso com a sustentabilidade ao unir-se a nós”, disse Juniac.

Um GMBM deverá ser implantado como parte do pacote de medidas da estratégia de quatro pilares da indústria para a mudança de clima. O GMBM é crucial para preencher a lacuna até as melhoras na tecnologia, operações e infraestrutura podem plenamente realizar os objetivos de sustentabilidade da indústria. Esses objetivos são:

  • Média de melhora na eficiência da queima de combustível de 1,5% por ano, até 2020.
  • Crescimento neutro das emissões de carbono a partir de 2020
  • Redução liquida das emissões de carbono em 2050 para metade dos níveis de 2005

Segurança

A segurança também ser destacada na Assembleia, com foco na Resolução de Segurança 2309 da ONU que foi aprovada no dia 22 de setembro de 2016. Sob a liderança da ICAO, o Conselho de Segurança reforçou a importância do investimento de governos nacionais nas medidas para manter a aviação segura, enfatizando as ameaças de ataques terroristas.

“A ameaça terrorista paira sobre nosso mundo, inclusive a indústria da aviação. É animador ver os governos lidando com as ameaças à segurança da aviação nos níveis internacionais mais altos. Damos todo o apoio à liderança da ICAO em ajudar os países a cumprirem com as suas responsabilidades na segurança. Mantendo o cuidado com os nossos passageiros e as tripulações são a prioridade para a aviação. Esperamos poder contribuir com a nossa expertise operacional para auxiliar em qualquer maneira possível”, disse de Juniac.

O resto da agenda

A IATA apresentou 25 Working Papers na 39ª Assembleia da ICAO, que se tratava de uma ampla gama de tópicos onde normas globais são importantes. Essas incluem a segurança, a ratificação e aplicação dos tratados globais, a eficiência da infraestrutura, atribuição de faixas de horários nos aeroportos, abordando níveis excessivos de tributação, promovendo regulamentação mais inteligente e uma infinidade de outras questões. Todos esses documentos estão à disposição no site da ICAO.

“A aviação é erguida sob normas globais. E esse é o tema comum em toda a nossa agenda na ICAO. A indústria aérea sustenta em torno de 63 milhões de empregos e $2,7 trilhões de dólares em atividade econômica. Neste ano, as aéreas transportarão cerca de 3,8 bilhões de pessoas e 50 milhões de toneladas de carga, em segurança até os seus destinos. Isso acrescenta muito valor ao nosso mundo. Acredito firmemente que estamos no negócio da liberdad e que exerce um impacto crescente e positivo sobre o nosso planeta. O nosso foco, na 39ª Assembleia da ICAO é de reforçar as normas globais que estão no coração das regras internacionais e que estão no cerne da notável contribuição da aviação para a vida moderna”, disse de Juniac.

Leia a palestra de Alexandre de Juniac

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é piloto e Bacharel em Ciências Aeronáuticas. Formado em Design e Performance de Aeronaves pela California State University Long Beach e Segurança da Aviação pela Western Michigan University. Membro da AOPA e da AIAA.

Comente