Aerodesign 2016: resultados e galeria de imagens.

aerodesign-2016-108-02
 
Informações pela Assessoria de Imprensa da SAE Brasil.
Imagens: AEROIN – Murilo Basseto e Túlio Ricciardi.

A equipe EESC-USP Alpha, da Escola de Engenharia de São Carlos, da Universidade de São Paulo, sagrou-se campeã pela Classe Regular na 18ª Competição SAE BRASIL AeroDesign, realizada no início de novembro, no DCTA (Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial), em São José dos Campos (SP). O avião, projetado e construído pela equipe, obteve 483.2 pontos na classificação geral. Na Classe Advanced, a vencedora foi a equipe EESC-USP Charlie, da mesma instituição, ao obter 298.5 pontos. A equipe mineira Trem Ki Voa Micro, da Universidade Federal de São João Del Rei, foi a vencedora na Classe Micro, com 468,0 pontos.

A competição apontou como segunda colocada, pela Classe Regular, a equipe Urubus AeroDesign, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), com 423.1 pontos. Na Classe Advanced, a segunda colocada foi a equipe AeroRio Advanced, da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), com 256.4 pontos. A equipe Antonov, da Universidade Paulista (UNIP), campus Brasília, foi a segunda colocada na Classe Micro, com 461.9 pontos.

Aeronave da equipe EESC-USP Alpha, campeã da classe Regular.

Aeronave da equipe EESC-USP Alpha, campeã da classe Regular.

Aeronave da equipe Trem Ki Voa Micro, campeão da classe Mirco.

Aeronave da equipe Trem Ki Voa Micro, campeã da classe Micro.

Aeronave da equipe EESC-USP Charlie, campeã da classe Advanced.

Aeronave da equipe EESC-USP Charlie, campeã da classe Advanced.

Com o resultado, as equipes classificadas em primeiro e segundo lugares na Classe Regular – EESC-USP Alpha e Urubus AeroDesign – e em primeiro lugar nas Classes Advanced e Micro – EESC-USP Charlie e Trem Ki Voa Micro – ganharam o direito de representar o Brasil na SAE Aero Design East. Essa competição, que reúne equipes de diversos países, será realizada pela SAE International, de 21 a 23 de abril de 2017, no Estado da Flórida, EUA, onde as equipes brasileiras já conquistaram oito primeiros lugares na Classe Regular, quatro primeiros lugares na Classe Advanced e um primeiro lugar na Classe Micro.

Trofeu EMBRAER – Instituído com o intuito de premiar projetos reconhecidos como de excelência por suas várias características, como inovação, simplicidade, boas práticas e documentação, o Troféu Embraer Excelência em Projeto foi para a equipe EESC-USP Alpha. O troféu é de posse itinerante e deverá, após um ano e por ocasião da realização da 19ª edição da competição, ser devolvido e transferido à nova equipe premiada.

Desafio Altair – SAE BRASIL – Fruto de parceria entre a empresa Altair e a SAE BRASIL, o desafio se propõe a estimular a busca de soluções avançadas de simulação computacional e otimização estrutural. Em 2016 foram premiadas as equipes Uai Sô Fly, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), e Leviatã, do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA).

Menções Honrosas – O Comitê Técnico da Competição ainda conferiu menções honrosas às equipes que se destacaram em 13 quesitos:

Melhor Projeto
Classe Regular – equipe EESC-USP Alpha;
Classe Advanced – equipe EESC-USP Charlie;
Classe Micro – equipe Tucano Micro, da Universidade Federal de Uberlândia (UFU-MG).

Melhor Apresentação Oral
Classe Regular – equipe Uirá, da Universidade Federal de Itajubá;
Classe Advanced – equipe EESC-USP Charlie;
Classe Micro – equipe Uai, Sô Fly!!!, da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Maior Acuracidade Carga Paga (previsão de carga a ser transportada)
Classe Regular – equipe Aero Vitória, da Universidade Federal do Espírito Santo;
Classe Advanced – equipe AeroRio Advanced;
Classe Micro – equipe Parahyasas Micro, da Universidade Federal de Campina Grande (PB).

Menor Tempo de Retirada de Carga
Classe Regular – equipe Acceptor Aerodesign, da Universidade Federal Rural do Semi-Árido (2.7 segundos);
Classe Advanced – equipe AeroRio Advanced. (2.8 segundos).

Maior Peso Carregado – Classe Regular – equipe EESC-USP Alpha, com 13.6 kg.

Maior Eficiência Estrutural (carga transportada dividida pelo peso vazio da aeronave) – Classe Regular – equipe EESC-USP Alpha.

Maior Acuracidade de Velocidade Máxima – Classe Advanced – equipe AeroRio Advanced.

Maior Quantidade de Movimento – Classe Advanced – equipe EESC-USP Charlie.

Melhor Sistema Embarcado – Classe Advanced – equipe AeroRio Advanced.

Maior Peso Alijado – Classe Micro – equipe EESC-USP Bravo, da Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo, com 6.2 kg.

Menor Tempo de Desmontagem – Classe Micro – equipe Parahyasas Micro, da Universidade Federal de Campina Grande (21 segundos).

Menor Caixa de Transporte – equipe Tucano Micro, da Universidade Federal de Uberlândia (0.022m³).

Melhor Equipe Internacional – Classe Regular – equipe U-Fly Aerodesign, da Universidad Aeronautica en Queretaro, México.

Configuração Mais Desafiadora – equipe Ícaro, da Associação Educacional Nove de Julho.

INOVAÇÕES – A Classe Regular reuniu 53 equipes. Um dos destaques foi a construção de aeronaves com diedro negativo (asas inclinadas para baixo) para garantir o melhor aproveitamento da restrição dimensional dos aviões, com foco na projeção de uma área maior para as asas, para o aumento da força de sustentação e da capacidade de carga. Pela primeira vez, os aviões precisaram ter dimensões compatíveis com o espaço definido por um cone, com diâmetro de 2,5 metros e altura de 75 centímetros.

Aeronaves da classe Regular durante procedimento de verificação dimensional (linhas definiam o cone dentro do qual as aeronaves deveriam caber).

Aeronave da classe Regular durante procedimento de verificação dimensional (linhas definiam o cone dentro do qual as aeronaves deveriam caber).

aerodesign-2016-53-02

Nove aviões disputaram pela Classe Advanced, que apresentou aumento de eletrônica embarcada. Além dos tempos de voo, os sistemas de bordo mediram as velocidades em cada bateria. As aeronaves também foram projetadas com uma aerodinâmica mais refinada para o aumento de velocidade, que passou a ser associada à carga transportada para o cálculo da pontuação. Outra inovação foi o uso de motores com hélices carenadas (ducted fan), que possuem maior número de pás. Essa foi uma das soluções encontradas para melhorar o escoamento do fluxo de ar e aumentar a força de tração dos aviões, porque a área total do disco delimitado pela hélice não podia ultrapassar 0,052 m².

Na Classe Micro, que contou com 22 aviões, a principal novidade foi a construção de sistemas de alijamento de carga nos pequenos aviões, que soltaram bolsas com areia durante os voos e garantiram pontuação adicional às equipes. Nesta edição, as equipes também enfrentaram o desafio de desmontar o avião depois de cada voo e transportá-lo desmontado em caixa de volume de 0,1 m³.

Aeronave da classe Micro alija sua carga para conquista de bonificação.

Aeronave da classe Micro alija sua carga para conquista de bonificação.

Em todas as classes, além da sofisticação das ferramentas computacionais utilizadas no desenvolvimento das aeronaves, a manufatura de componentes realizada por meio de impressora 3D, a partir de desenhos em softwares de projeto computacional, a exemplo da indústria, foi outro destaque na maioria das aeronaves. Estudantes utilizaram a tecnologia para melhoria da qualidade das peças, facilidade de montagem e redução de peso, entre outras vantagens.

“Os programas estudantis da SAE BRASIL constituem valiosas experiências extracurriculares que fazem diferença na formação do engenheiro, pois introduzem a aplicação prática e sistêmica da tecnologia, desafiam a criatividade e a inovação, além de estimularem o trabalho em equipe”, afirma Frank Sowade, presidente da SAE BRASIL.

O Projeto AeroDesign é um programa de fins educacionais, organizado pela Seção São José dos Campos da SAE BRASIL. O objetivo é propiciar a difusão e o intercâmbio de técnicas e conhecimentos de engenharia aeronáutica entre estudantes de graduação e pós-graduação em Engenharia, Física e Ciências Aeronáuticas e futuros profissionais do importante segmento da mobilidade, por meio de aplicações práticas e da competição entre equipes.

Reconhecida pelo Ministério da Educação, a competição conta com o patrocínio das empresas Grupo Airbus, Altair, Boeing, Embraer, GE, Honeywell, Parker, Rolls-Royce, Saab e United Technologies. Também conta com o apoio das instituições ADC Embraer, DCTA, ITA, Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e Prefeitura de São José dos Campos.

Confira abaixo a classificação final das três categorias da SAE Brasil Aerodesign 2016 e, na sequência, a galeria de imagens exclusivas do AeroIN.

 

Resultados – Classe Micro
Posição Número Equipe Pontuação
1 205 TREM KI VOA MICRO 468,00
2 209 ANTONOV 461,88
3 225 FEI Micro 421,82
4 202 TUCANO MICRO 419,20
5 223 Uai so Fly Kids 395,01
6 206 UIRA MICRO 337,95
7 201 EESC-USP Bravo 337,86
8 208 CARANCHO MICRO 303,47
9 203 ALBATROZ AERODESIGN MICRO 297,98
10 207 KAMIKASE MICRO 224,24
11 204 CAR-KARA MICRO 190,89
12 217 Mamutes do Cerrado 181,45
13 212 Parahyasas Micro 171,24
14 218 URUBUS MICRO 152,66
15 211 Microraptor 124,14
16 214 NoizAvua Aerodesign 84,09
17 210 TAPERA BABY 52,61
18 219 Aeropampa Micro 51,63
19 216 Tenpest Aerodesign Upe 51,49
20 213 AERODESIGN UFMT – MICRO 34,51
21 221 Abutres 32,18
22 222 AERODESIGN SAE USB MICRO 20,10
23 215 Araras Aerodesign 14,08
24 224 MNAF AeroDesign 11,17

 

Resultados – Classe Advanced
Posição Número Equipe Pontuação
1 108 EESC-USP Charlie 298,53
2 104 AeroRio Advanced 256,41
3 102 CAR-KARÁ ADVANCED 161,39
4 101 Leviatã 153,05
5 103 CEU AZUL ADVANCED 147,84
6 106 Obelix 124,25
7 109 CANARINHO ADVANCED 94,47
8 107 Mandacaru Aerodesign 87,18
9 105 Venturi Aerodesign 72,14

 

Resultados – Classe Regular
Posição Número Equipe Pontuação
1 001 EESC-USP ALPHA 483,24
2 020 URUBUS AERODESIGN 423,07
3 004 UAI SÔ! FLY!!! 421,58
4 006 Tucano 419,55
5 002 AEROFEG 406,20
6 012 CEFAST AERODESIGN 394,29
7 003 FEI REGULAR 373,39
8 007 KEEP FLYING 368,96
9 011 F-CARRANCA 368,55
10 008 AERO VITÓRIA ESPIRITO SANTO 366,94
11 014 DRACO VOLANS 353,70
12 017 ALBATROZ AERODESIGN 345,54
13 045 U-Fly Aerodesign 326,52
14 005 UIRÁ 300,47
15 029 AEROUNISAL 281,37
16 013 BLACKBIRD 280,71
17 022 KAMIKASE 277,41
18 032 Aerocócus UPF 275,25
19 027 KUKULCÁN AERODESIGN 268,12
20 016 MINERVA AERODESIGN 267,55
21 026 ACCEPTOR AERODESIGN 258,06
22 019 CÉU AZUL REGULAR 256,03
23 018 AERODESIGN SAE USB 248,06
24 024 ZEUS 237,09
25 047 Falcons Aerodesign 232,04
26 031 Harpia Aerodesign UFABC 230,56
27 021 ZÉFIRO 228,19
28 042 ÍCARO 221,60
29 028 SOL DO EQUADOR 204,57
30 030 CARANCHO AERODESIGN 201,31
31 051 AeroBeetle 200,21
32 048 Acalântis 182,92
33 038 Skywards Aerodesign 176,35
34 009 Axé Fly 148,63
35 053 AEROEEL 147,03
36 023 PARAHYASAS 128,51
37 037 12 Bis 117,33
38 025 UFSCAR DRAGÃO BRANCO 112,67
39 010 AERODESIGN UFMT – REGULAR 110,84
40 033 Acauã 89,01
41 049 MasBah Aerodesign 81,37
42 043 Burning Goose 70,15
43 059 Aerocaria 69,49
44 034 AeroSATC 68,10
45 044 IUNA AERODESIGN 53,92
46 036 L.O.T.S Aerodesign 46,87
47 035 AeroDuca 27,42
48 052 Aerodactyl 18,44
49 041 AeroCataratas 16,00
50 060 Flying Priest 14,55
51 040 SAE AERODESIGN LUZ 0,00
52 046 FAM AERODESIGN 0,00
53 055 Fatecnautas 0,00
54 056 Hórus Aerodesign 0,00

 

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é assessor de editoria do AEROIN.

Um Comentário:

Comente