Air France retoma voos para o Irã e gera debate sobre lenço

air france tripulacao comissario piloto

Air France irá permitir que tripulantes femininas não trabalhem em voos regulares para o Irã se elas não quiserem usar o lenço na cabeça (hijad). A companhia francesa prepara para voltar a voar para Teerã no fim deste mês.

Tripulantes femininas tem se oposto ás instruções da companhia de usarem lenço cobrindo a cabeça durante todo o tempo que estiverem em solo iraniano e usando um uniforme da companhia, o que ameaçou interromper a volta dos serviços ao Irã, que durante 8 anos ficou sem voos da Air France.

Apesar da maioria das mulheres da tripulação que operam no Irã tradicionalmente cobrem suas cabeças com o lenço como um sinal de respeito ás leis e tradições locais, o uso do lenço islâmico tem se tornado objeto de discriminação na França nos últimos anos. Eles são banidos de escolas estaduais e escritórios do governo.

A Air France afirmou que no Irã é um requirimento legal que todas as mulheres devem usar um lenço cobrindo o seu cabelo quando estiverem em locais públicos.

Sindicatos de tripulantes pediram que as funcionárias não sejam obrigadas a trabalhar em voos para Teerã se essas se sentirem incomodadas ao usar o lenço quando estiverem uniformizadas e em solo iraniano.

Em nota, a Air France disse, que em nome de valores pessoais da tripulação feminina da companhia, uma piloto de avião ou comissária designado para um voo para Teerã pode escolher não trabalhar e será oferecido uma oportunidade de serviço em outro voo. Porém o tripulante deverá avisar previamente a companhia que se recusa a usar o lenço na cabeça.

Os voos para o Irã serão retomados no dia 25 de Abril, com callsign AF738 na ida e AF755 na volta, operados com a aeronave Airbus A340-300.

Traduzido e adaptado da ATW Online por Carlos Martins.

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é piloto e Bacharel em Ciências Aeronáuticas. Formado em Design e Performance de Aeronaves pela California State University Long Beach e Segurança da Aviação pela Western Michigan University. Membro da AOPA e da AIAA.

10 Comments:

  1. se no país querem obrigar mesmo vc nao sendo cultura deles devia ter o contrario tb quando um muçulmuno estivesse fora do pais fosse obrigado a vestir roupas normais

  2. Na França é proibido muçulmanas a usarem lenço em público, não é?

  3. Paula Rodrigues Calado on a vu aujourd’hui hahaha

  4. Descordo do debate e do comentários abaixo, entendo que qdo predisposto a um trabalho onde há possibilidade de conhecer novos lugares e cultura tenho que respeitar e seguir. Quanto obrigar mulçulmanas, Iranianas a utilizar roupas dita como normais é um desrespeito ao livre-arbítrio do ser humano desde que não fira a segurança nacional do país visitado. (não podemos obriga-las quando em visita ao Brasil as mesma ultilizarem minis saias ou micros shorts) Quanto a lei da França, li a muito tempo atrás sobre e não sei se alterou algo. Lembro que existia diferença nas veste das mulçumanas, onde se era proibido o uso de burcas e um outro (veste q cobre todo o corpo) o véu em questão utilizado pelas Iranianas era autorizado já que cobria somente o cabelo. Lembro de uma amiga q foi com o marido para o Irã dizer que os véus é os mesmo utilizado pelas mulheres brasileira como adorno.

  5. É muito simples e sem complicações. Cada povo tem sua cultura e a mesma deve ser respeitada por visitantes, no caso dos proficionais de vôo, eles tambem estão de visitantes nos países para onde viajam trabalhando.
    Acho valido que as comissarias optem voluntariamente para fazer tal rota.

  6. Rafael Kalinowski

    Ja voei de/para o Irã. O véu só precisa da porta do avião pra fora, lá dentro não. Na Pegasus e Turkish era assim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *