Airbus considera nova versão do A321 para concorrer com o futuro avião da Boeing.

A Airbus está em conversa com diversas companhias aéreas com a possibilidade de dar um upgrade no seu popular A321, antes mesmo de um suposto projeto concorrente da Boeing sair da prancheta.

A fabricante europeia ainda não tem pedidos para o novo jato, que pode estar a alguns anos de decolar. A Boeing, por sua vez, está considerando entre uma variante nova do 737 MAX, que poderia ser chamada de 737 MAX 10, ou uma aeronave totalmente nova que seria chamada de 797, segundo fontes revelaram à CNN Money.




O espaço que está sendo deixado pelos Boeing 757 e 767 foi ignorado por anos por ambas as fabricantes. Nos últimos tempos a Boeing confirmou que está considerando um novo jato, e que seria um 737 MAX maior. Já a Airbus estava de certa maneira confortável com as vendas do A321LR e A321neo, dominando o mercado em rotas que o 757-200 fazia.

Apesar do Boeing 787 ser colocado como substituo natural do 767, seu preço é bem acima do seu antecessor, e o Dreamliner ainda acaba aumentando a oferta de assentos para diversas rotas que os 757 e 767 operavam e ainda operam. No gráfico abaixo é possível ver o espaço chamado de Middle of the Market – Meio do Mercado – destacado em laranja, espaço que já existe mesmo com a operação do 767 e 757, e que deve aumentar com a retirada gradual destas aeronaves.

O novo avião da Airbus seria baseado no A321neoLR (que se difere do A321neo apenas no seu alcance, que é estendido). Porém o até agora chamado A321neo Plus seria alongado, com novas asas feitas de materiais compostos e o mesmo motor que seria utilizado pelo seu concorrente, o possível 737 MAX 10 ou 797. A sua capacidade seria de 220 até 260 passageiros.

O atual A321neo leva até 189 passageiros, e está vendendo quatro vezes mais do que os atuais modelos de 737 que competem com ele (900ER e MAX 9).

Segundo a Reuters, a Boeing espera que o novo jato para o meio do mercado não apenas substitua o 757, mas que atenda o mercado que fica entre os modelos de corredor único de até 200 passageiros e os de corredor duplo acima de 250 passageiros.

Fontes na indústria apontam que os jatos deverão ser ofertados para as companhias aéreas no próximo ano e poderiam ser lançados em 2019, com a entrada em serviço em 2024 ou 2025. Ainda há dúvidas se as fabricantes irão manter a configuração de corredor único ou se optarão por corredor duplo para seus aviões.




A Airbus não comentou sobre o jato em si, dizendo que qualquer espaço será coberto com o seu A321neo, que pode levar até 240 pessoas em configuração de alta densidade. Ainda segundo a fabricante europeia, o A310 provou décadas atrás que aviões de corredor duplo não podem competir de maneira fácil nesse segmento do mercado.

A Boeing, por sua vez, já está oficialmente considerando a nova variante do 737MAX, mesmo após críticas de empresas de leasing sobre o trem de pouso, durante a conferência ISTAT Americas, em San Diego, no último mês de Março. Agora a fabricante já teria resolvido o problema sobre o design do trem de pouso e estaria avançando no projeto.

 

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é piloto e graduando de Ciências Aeronáuticas. Formado em Design e Performance de Aeronaves pela California State University Long Beach e Segurança da Aviação pela Western Michigan University. Membro da AOPA e da AIAA.