Alaska Airlines conclui compra da Virgin America.

Um Boeing 737 foi pintado para celebrar a junção das companhias, com o escrito “More To Love” (Mais para Amar), a aeronave simboliza as cores da Alaska Airlines e da Virgin America.

O Alaska Air Group, dono da Alaska Airlines e da Horizon Air, anunciou anteontem que concluiu a aquisição completa da Virgin America. O acordo definitivo foi assinado em Abril e esperava ser aprovado pelos orgãos reguladores dos EUA.

O negócio é recorde, tornando a Alaska-Virgin a 5ª maior companhia aérea dos EUA, atrás da American Airlines, Delta Airlines, United Airlines e Southwest Airlines, respectivamente. Alaska Airlines e a Virgin America irão trabalhar no próximo ano para garantir o certificado FAA de operação como uma única companhia aérea, já a regional Horizon Air irá continuar operando de maneira independente.

“A Alaska Airlines e a Virgin America são companhias diferentes, porém acreditamos nas sinergias e temos confiança que os passageiros irão concordar com isto”, disse Brad Tilden, CEO do Alaska Air Group. “Juntos, nós oferecemos mais voos, com tarifas mais baixas, com mais recompensas e mais clientes, já que continuamos a oferecer experiências de viagens distintas. As companhias poderão parecer diferentes, porém nosso núcleo de foco no cliente e nos funcionários será basicamento o mesmo” complementou o CEO.

Abaixo alguns dados da nova companhia aérea que foi formada:

  • Uma rede expandida com mais de 1.200 voos diários para 118 destinos através dos EUA, México, Canadá, Costa Rica e Cuba.
  • Contando com as companhias aéreas parceiras, são mais de 800 destinos no mundo.
  • Uma frota de 286 aeronaves totalmente eficientes com média de idade de 8.1 anos, a mais jovem das 5 maiores companhias aéreas do EUA.
  • Hubs em Seattle, Portland, Anchorage, São Francisco e Los Angeles – mais hubs que qualquer companhia aérea na Costa Oeste.

 

O futuro da marca Virgin America

Nenhuma decisão foi feita sobre a marca da Virgin America. O grupo planeja continuar operando com a frota da Virgin e a sua pintura, enquanto faz uma extensa pesquisa de mercado para entender o que os clientes mais valorizam.

Também não foram feitas considerações sobre o futuro da frota, que seria um dos principais pontos da fusão, já que a Alaska opera aviões da família Boeing 737 e a Virgin da família Airbus A320, e ambas possuem encomendas para as próximas gerações de aeronaves das respectivas fabricantes.

“Nós apreciamos que há grande interesse dos nossos clientes e funcionários no futuro da marca Virgin, mas essa é uma grande decisão, e merece meses de discussão e análise para uma decisão, que nós deveremos fazer no ínicio do próximo ano.” finalizou Tilden.

Pela Assessoria de Imprensa da Alaska Airlines. 

 

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é piloto e Bacharel em Ciências Aeronáuticas. Formado em Design e Performance de Aeronaves pela California State University Long Beach e Segurança da Aviação pela Western Michigan University. Membro da AOPA e da AIAA.

14 Comments:

  1. Será que vão manter as duas marcas?

  2. Quais são as 10 maiores do mundo? Qual as 5 melhores do Brasil?

  3. De quem é o rosto pintado na aeronave?

  4. Eu estou meio chocado com essa compra; eu não sabia que o grupo controlador da Alaska Airlines tinha caixa para fazer um negócio desses; sobre a futura frota, vou chutar que vai ser toda Boeing.

  5. Se pelo menos continuar com os voos no mesmo preço está perfeito!!!

  6. Sei que a Alaska Airlines é uma cia segura, porém não esqueço do “Macaco de Parafuso” do MD-83 no voo 261 desde quando assisti o epsódio do Mayday! Desastres Aéreos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *