American Airlines firma parceria para proteger crianças contra o tráfico e a exploração.

ECPAT-USA, organização internacional sem fins lucrativos que combate o abuso sexual de crianças, celebrou a assinatura do Código de Conduta de Proteção à Criança no Turismo pela American Airlines, um enorme passo na luta contra o tráfico humano e a exploração infantil. O termo é uma iniciativa da indústria do turismo cuja missão é oferecer conscientização, ferramentas e suporte ao setor para combater a exploração.




“A American Airlines e nossos 120 mil funcionários de todo o mundo estão orgulhosos em se juntar à ECPAT-USA na luta contra o tráfico humano e a exploração infantil”, diz Doug Parker, presidente e CEO da American. “Por ser a maior companhia aérea do mundo, temos um papel importante no combate a essas práticas terríveis. A American implantou um treinamento para comissários de bordo e, no final deste ano, vai atualizar os treinamentos para pilotos e equipes de aeroportos para incluir a conscientização e o combate ao tráfico humano”.

“A American Airlines assumiu um papel de liderança na questão. Ela é a segunda companhia aérea dos EUA e a terceira do mundo a assinar o Código”, diz Michelle Guelbart, diretora de envolvimento com o setor privado da ECPAT-USA. “Esperamos que o compromisso da American seja um catalizador no setor como um todo, levando outras companhias aéreas a fazerem o mesmo”.

A ECPAT-USA é uma organização sem fins lucrativos cuja missão é criar um mundo onde nenhuma criança seja comprada, vendida ou explorada sexualmente. A Organização Mundial do Trabalho estima que cerca de 21 milhões de pessoas ao redor do mundo vivam em situação similar à escravidão. Os traficantes transportam suas vítimas de avião entre cidades e países e frequentemente usam hotéis para promover o abuso delas. Com protocolos e treinamentos adequados, os associados de companhias aéreas podem identificar e denunciar essas práticas e proteger as vítimas. Assim, a ECPAT firmou uma parceria com o setor de turismo para desenvolver o Código, que é um conjunto de diretrizes para proteger crianças contra a exploração.

Como membro do Código e visando pôr um fim ao tráfico e à exploração sexual infantil, a American se comprometeu com a implementação de seis medidas, algumas das quais já estão em vigor:

  1. Estabelecer políticas e procedimentos corporativos contra a exploração sexual infantil
  2. Ensinar aos funcionários os direitos da criança, a combater a exploração sexual e a denunciar casos suspeitos
  3. Incluir uma cláusula nos contratos com parceiros, declarando o repúdio de ambos os lados à prática e implantando uma política de tolerância zero à exploração sexual infantil
  4. Fornecer informações a turistas sobre os direitos da criança, como impedir a exploração sexual e como denunciar casos suspeitos
  5. Apoiar, colaborar e envolver acionistas e partes interessadas no combate à exploração sexual infantil
  6. Apresentar relatórios anuais sobre as atividades da empresa relacionadas ao Código

A ECPAT-USA anunciou a intenção da American de assinar o Código durante a Convenção da Global Business Travel Association (GBTA), maior evento anual de profissionais do turismo do mundo. Em 2015, a GBTA aliou-se à ECPAT-USA para compartilhar ferramentas que viabilizam a ação de fornecedores e consumidores contra o tráfico humano no setor de turismo.

Pela Assessoria de Imprensa da American Airlines

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é piloto e Bacharel em Ciências Aeronáuticas. Formado em Design e Performance de Aeronaves pela California State University Long Beach e Segurança da Aviação pela Western Michigan University. Membro da AOPA e da AIAA.