Azul apresenta lucro líquido de R$ 204 milhões no terceiro trimestre

A Azul Linhas Aéreas Brasileiras anuncia hoje seus resultados para o terceiro trimestre de 2017 (“3T17”). As informações financeiras apresentadas a seguir, exceto onde indicado, estão de acordo com as normas contábeis IFRS (International Financial Reporting Standards) e em Reais.




Destaques Financeiros e Operacionais do 3T17

§ Resultado operacional de R$249,3 milhões, com margem de 12,5%, comparado com R$166,0 milhões no 3T16, margem de 9,6%. Este foi um terceiro trimestre com resultados recordes para a Azul.
§ O EBITDAR aumentou em 20% para R$634,0 milhões, representando uma margem de 31,7%, fazendo da Azul a companhia aérea mais rentável da América do Sul.
§ O lucro líquido totalizou R$204,0 milhões, o que representa uma melhora de R$194,6 milhões comparado com o 3T16.

  • Os passageiros transportados (RPKs) aumentaram em 16% frente a um aumento de 13% na capacidade, resultando em uma taxa de ocupação de 83,1%, aumento de 2,1 pontos percentuais comparado com o 3T16.
  • Adicionalmente ao crescimento de dois dígitos na capacidade, a receita total por ASK (RASK) aumentou em 1,5% comparado com o 3T16, totalizando 30,96 centavos.
  • Redução de 1,7% no CASK total.
  • As despesas financeiras líquidas diminuíram em 29,6%, de R$200,5 milhões para R$141,2 milhões, devido ao menor custo médio da dívida e ao pagamento de empréstimos mais caros.
  • No final do 3T17, a posição de caixa1 foi de R$3,1 bilhões, o que representa 41,5% da receita dos últimos 12 meses.

 

1 Inclui caixa e equivalentes de caixa, aplicações financeiras circulantes e não circulantes, e aplicações financeiras vinculadas circulantes e não circulantes, e recebíveis.

 

  • Dívida total de R$ 2,9 bilhões, redução de R$ 736,9 milhões no trimestre, resultando em uma alavancagem de 3,9x, considerando dívida líquida ajustada sobre EBITDAR.
  • A frota operacional da Azul contava com 118 aeronaves no final do trimestre, incluindo oito aeronaves de nova geração A320neo.
  • Em 19 de setembro, a Azul concluiu sua oferta secundária de 44,7 milhões de ações preferenciais (14,9 milhões de ADRs), totalizando R$ 1,25 bilhão (US$ 398,5 milhões), duplicando a liquidez média diária.
  • Na comparação anual, o TudoAzul apresentou crescimento de 47% no seu faturamento bruto dos últimos dozes meses (excluindo a Azul).




Destaques Financeiros e Operacionais do 3T17

  • Em 11 de outubro, Moody’s e S&P atribuem rating Ba3 e B+ para a Azul, respectivamente, com perspectiva estável.
  • Em 19 de outubro, a Azul Investments LLP precificou uma oferta no exterior no valor total do principal de US$ 400,0 milhões de Senior Notes com vencimento em 2024 e com um cupom de 5,875% por ano (“Notes”). Essa transação faz parte da estratégia de gestão do passivo da Azul, e os recursos serão utilizados para refinanciamento de dívidas e para fins corporativos gerais.
  • Também em outubro, a Azul anunciou planos para expandir Recife, seu hub do Nordeste com a adição de 12 voos na cidade, e quatro novos destinos incluindo Rosário, Córdoba e Fort Lauderdale. Como resultado, a Azul mantém em Recife 57 voos diários para 25 destinos em 2018.

 
Informações pela Assessoria de Imprensa da Azul Linhas Aéreas Brasileiras.
 

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.