Brasil aprova a fusão entre FedEx e TNT Express.

FedEx_Boeing_777-FS2_Spijkers

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica do Brasil aprovou incondicionalmente a aquisição da TNT Express pela FedEx. A aprovação vem logo após a Comissão Europeia ter dado luz verde no mês passado para a compra da empresa holandesa de entregas postais, pelo valor de $4.4 bilhões de euros ($4.8 bilhões de dólares).

O Brasil teve participação nesta transação devido às estratégias de ambas em adquirir empresas brasileiras para aumentar sua oferta e distribuição de cargas. A FedEx adquiriu no ano de 2012 a empresa de cargas Rapidão Cometa. A TNT Express, por sua vez, comprou a gaúcha Mercúrio, no ano de 2007.

Presidente e principal executivo da FedEx Express, David Bronczek disse: “Estamos muito satisfeitos com a aprovação incondicional da autoridade reguladora brasileira. Com a conclusão da aquisição, passamos a olhar adiante para as oportunidades que isso trará a nossos funcionários, clientes e parceiros na América Latina e ao redor do mundo”. As empresas também receberam aprovação incondicional dos Estados Unidos.

Pela lei brasileira, a decisão pode ser contestada no período de 15 dias corridos a partir da publicação oficial da decisão. FedEx e TNT dizem que continuam trabalhando construtivamente com as autoridades reguladoras para obter liberação para a transação em jurisdições relevantes, incluindo a China. Com aprovação dos órgãos reguladores no Brasil, o grupo terá até 6 de julho para formalizar a fusão junto à China.

As autoridades europeias haviam rejeitado uma oferta de $5.2 bilhões de euros pela TNT feita pela UPS dois anos atrás, mas o acordo com a FedEx recebeu luz verde porque esta possui menor atividade no mercado europeu. Especialistas da indústria preveem que a fusão resultará em uma fatia de 17% do mercado na Europa, ultrapassando a UPS e ficando atrás apenas da DHL.

Luis Neves

É agente de turismo e acompanha a evolução da aviação brasileira desde o final da década de 80. Fotografa tudo o que voa e tem uma das maiores coleções de fotos de aviação do Brasil.
  • Moacir Oliveira

  • Moacir Oliveira

  • Podiam aproveitar o embalo e acabar com o monopolio dos correios e atrair esse pessoal e a UPS pra cá…

    • Difícil o governo deixar entrar concorrência mas seria uma boa.

    • Já existem mais de três empresas aéreas trabalhando para os Correios.

    • Ricardo Dias Sacco não faz a menor diferença pra melhores preços e qualidade ao consumidor ter um grande e unico player com terceirizados minúsculos. Quando falo de UPS e FEDEX, não digo somente a parte aérea, mas sim toda a logistica do door to door.

  • Podiam aproveitar o embalo e acabar com o monopolio dos correios e atrair esse pessoal e a UPS pra cá…

    • Difícil o governo deixar entrar concorrência mas seria uma boa.

    • Já existem mais de três empresas aéreas trabalhando para os Correios.

    • Ricardo Dias Sacco não faz a menor diferença pra melhores preços e qualidade ao consumidor ter um grande e unico player com terceirizados minúsculos. Quando falo de UPS e FEDEX, não digo somente a parte aérea, mas sim toda a logistica do door to door.

  • Em um futuro não muito distante haverão poucas aéreas no mundo

  • Em um futuro não muito distante haverão poucas aéreas no mundo

  • Fabio Junior bem que estávamos falando sobre isso alguns dias atrás.

  • Fabio Junior bem que estávamos falando sobre isso alguns dias atrás.

  • Gabriel Azevedo Medeiros

  • Efeito Modern?