British Airways faz último voo regular do Boeing 747-400 para o Brasil.

11 DE ABRIL MADALENA 219 copy

A British Airways, tradicional empresa britânica, está retirando na data de hoje – 10 de Agosto de 2016 – o clássico Boeing 747-400 da rota para São Paulo. A partir de amanhã, o eficiente Boeing 777 assume a posição que foi da “Rainha dos Céus” por mais de 25 anos. A saída da rota para São Paulo é por tempo indeterminado.

Por onde passava, a aeronave sempre atraiu a atenção dos passageiros por sua imponência e diferente beleza. Todos queriam (e querem) voar no jumbo. Para a empresa, certamente foi um case de sucesso, afinal quase três décadas em uma rota não é algo para se ignorar.

Nesse tempo, foram basicamente três esquemas de pintura. Começando pelo tradicionalíssimo, retratado na primeira galeria abaixo; passando pelas “pinturas étnicas” do fim da década de 90; chegando na pintura mais atual, com as cores da bandeira do Reino Unido estilizadas no estabilizador horizontal (popularmente chamado de “cauda”).

Preparamos uma homenagem para esse momento, com fotos do mais famoso dos 747s em Guarulhos, desde que começou a operar. Desfrute!

 

Primeiros anos do Boeing 747-400 da British Airways em São Paulo.

 

Série 400

O jumbo da série 400 ganhou fama por se mostrar o mais rentável modelo do 747, por muitos anos. A quarta atualização do jumbo entrou em serviço pela Northwest Airlines em 1989 contava com recursos de ponta para a época como um cockpit avançado, composição de materiais mais leves e, talvez o mais importante, com a autonomia muito maior.

Durante as três últimas décadas, quase 700 Boeing 747-400 foram construídos, tendo sido a British Airways uma das maiores operadoras com 57 aeronaves no total (atualmente, são 38 voando na frota da empresa inglesa).

Sua principal característica é o ‘segundo andar’ na parte frontal, onde geralmente é alocada a Classe Executiva. A aeronave mede 70,6 metros de comprimento, 64 metros de largura e 19,4 metros de altura e voa a até 978 km/h em nível de cruzeiro. Seu peso vazio é de quase 180 toneladas.

 

Coletânea das “pinturas étnicas”, que homenageavam povos do mundo. Fim da década de 1990.

 

British Airways garante que manterá o 747-400 na frota pelos próximos dez anos.

Embora a aeronave esteja deixando de voar regularmente para o Brasil, ainda será possível vê-la em outros aeroportos ao redor do mundo.

Quando muito se pensava que era o fim da linha para o Boeing 747-400, a British Airways anunciou a renovação dos assentos e melhoria no entretenimento de bordo de 18 aeronaves. Esse anúncio foi contra uma onda de ‘aposentadorias’ recentes que colocaram muitas dúvidas sobre o futuro do modelo.

Dois fatores ajudam a explicar a decisão da BA, um deles é a queda relevante no preço do petróleo, o que viabiliza a manutenção de aeronaves mais antigas; o outro é o fato dos 747 aumentarem a capacidade de operação em aeroportos já saturados, como é o caso de Heathrow, em Londres.

Embora a British Airways não tenha especificado até quando mantém os ‘jumbos’ em operação, é sabido que podem ter, pelo menos, mais dez anos de vida útil.

 

Cores atuais da British Airways.

BAW 747 BRITISH