Como é voar no Airbus A350 XWB da TAM (90 fotos).

015

Fazer um voo doméstico em uma aeronave grande, com dois corredores, já é um diferencial em termos de conforto. Voar no novíssimo Airbus A350-900 elevou esse patamar ainda mais.

Minha viagem foi no assento 22G, um dos 318 assentos da Classe Econômica, onde voarão mais de 90% dos passageiros da nova aeronave. Havia feito o check-in online, sem impressão em papel, e com uso do cartão de embarque eletrônico. As novas tecnologias permitem que o seu bilhete seja reconhecido pelos também automáticos portões de embarque do GRU Airport, a partir da leitura do QR Code.




Nosso embarque aconteceu pelo portão 234, na ponta do Terminal 2 do Aeroporto de Guarulhos, onde o Airbus A350-900, apelidado de XWB (“eXtra Wide Body” ou corpo extra-largo), estava pronto para seu voo inaugural.

Dizem que a primeira impressão é a que fica. À primeira vista, é possível notar as linhas diferenciadas do design da aeronave. O bico (tecnicamente chamado de “radome”) mais afinado e asas envergadas para trás criaram uma expectativa.

 

 

Na verdade, quando falamos que a aeronave mudaria o patamar dos voos internacionais da TAM, nos referíamos não apenas ao serviço de bordo, mas, principalmente à economia e eficiência operacional que a aeronave proporciona. Eficiência oriunda do seu novo design, do material mais leve com que a máquina é produzida e das novas tecnologias dos motores.

Quando embarcamos… que cheiro de novo! Dá para lembrar aquele momento bom, em que você vai pegar seu carro ‘novinho’ na concessionária. Muito bom!

 

ACOMODAÇÃO NA CLASSE ECONÔMICA

Cada fileira do A350 possui nove assentos, em configuração 3-3-3. Ao todo são 348 lugares na aeronave, sendo 318 na Econômica.

Os assentos seguem o padrão atual do grupo LATAM em termos de distância entre eles (o pitch) e na largura. Para meu 1,74 m sobrou espaço, no entanto, pessoas maiores vão precisar se apertar um pouco. Um benefício é o apoio de braço que, por ser fino, garante um pouco mais de espaço para as pernas.

 

 

Um detalhe, que muitas vezes passa desapercebido pelos passageiros, é o apoio para os pés. Eu acho muito útil, entretanto a maior parte das aeronaves (quanto têm) possui o apoio feito de material rígido, ou seja, a perna não fica em uma posição confortável.

No A350, porém, o apoio de pés é flexível (veja na foto abaixo) e isso faz com que sua perna fique bem apoiada. Para mim, em voos longos, esse acessório faz a diferença e ajuda a relaxar, principalmente por que eu tenho dificuldade de dormir em aviões.

 

102

Apoio flexível (mas resistente) para os pés.

 

O encosto de cabeça é móvel – para cima e para baixo – e permite que se ajustem as abas laterais, se moldando à cabeça e diminuindo seu movimento nas horas em que você está mais sonolento. A reclinação da poltrona segue o novo padrão internacional, ou seja, o encosto reclina enquanto que o assento se desloca para frente. Somado ao apoio de pés flexível e ao encosto de cabeça, você consegue ficar confortável durante o voo.

Outra melhoria que é proporcionada pelo tamanho eXtra da aeronave é o aumentado compartimento de bagagem. Tanto nas laterais quanto no centro da cabine, os compartimentos agora acomodam as malas de mão com menor aperto.

 

 

DECOLAMOS 

Quando autorizados pelo controle de solo, taxiamos para a pista de número 09L do GRU Airport, momento em que é possível escutar o ronco silencioso do motor da aeronave.

Dois grandes benefícios para os passageiros dessa aeronave são o reduzido nível de ruído a bordo, que é nitidamente menor do que o de outras aeronaves de grande porte, bem como a pressão do ar dentro da cabine, que simula a altitude de 6.000 pés (1.800 metros) ao invés dos tradicionais 8.000 pés (2.400 metros) da aviação comercial. Com ar mais denso, a viagem fica menos cansativa e o impacto do jet-lag é menor.

 

 

Potência máxima nos motores e, exatamente às 10h44 da manhã do dia 25 de Janeiro de 2016, o XWB tomava os céus de Guarulhos pela primeira vez em um voo comercial, cumprindo a sua vocação. E o voo estava lotado, ao todo 332 pessoas rumo a Manaus, no coração da Amazônia, a mais de 2.800 km de distância da capital paulista.

 

PRIMEIRO VOO, MAS A SEGURANÇA DE SEMPRE! CONHEÇA A EQUIPE DE TRIPULANTES

Lá na frente, no comando da nossa aeronave, estavam os experientes comandantes Dias e Bruno, da TAM, acompanhados do também comandante Alvar Antillon, da Airbus. É comum, em aeronaves novas, ter um piloto da fabricante junto aos comandantes locais.

Junto aos passageiros, uma tripulação de larga experiência na aviação comercial. Uma verdadeira seleção a bordo, liderada pela comissária Cintya Tolezano (chefe de cabine internacional da TAM) e composta pelos profissionais Adler Bononi (chefe de cabine internacional e 18 anos de TAM), Ale Gaidoz (25 anos de TAM, já voou A319, A320, A321, A330, A340, A350, B777, Fokker 27, Fokker 50, Fokker 100 e MD-11), Fabiana Deki (21 anos de companhia) e Debora Chai (18 anos na empresa). O time foi completado pelos comissários Aline Figueiredo, Bruno Melo e Fabiano Costa.

 

 

A chefe Cintya confessou para nós que entende o momento como um grande reconhecimento e uma grande responsabilidade. “É como se a TAM dissesse que confia em mim e no meu trabalho. É uma emoção muito grande”, disse.

Ela ainda falou um pouco do treinamento, que foi intenso devido às novas características da aeronave. No caso dos pilotos, para estejam totalmente familiarizados com o manuseio da nova aeronave, eles cumpriram cerca de 60 dias de treinamento em solo e em voo., sendo profissionais oriundos do modelo A330, que possui similaridades operacionais. Essa semelhança inclusive facilita e reduz custos de operações, treinamento e manutenção.

Dentre as novidades da aeronave (coisas que nem sempre a gente vê), estão:

– as galleys (as “cozinhas” do avião) tiveram melhorias visíveis no acabamento, além de novos equipamentos como o “dispenser” para qualquer tipo de líquido e o compactador de lixo;

– o sistema de iluminação é totalmente novo, com leds que permitem recriar 16 milhões de cores dentro da aeronave;

– a posição dos equipamentos de segurança e de emergência;

– o novo sistema de entretenimento a bordo;

– o sistema anti-filas no banheiro – o banheiro somente é informado como livre após a porta ter sido totalmente aberta. Parece simplório, mas, antes, o simples fato de estar com a porta destravada já informava que o banheiro estava vago, no entanto, nem todas as pessoas travam a porta quando entram no banheiro;

– outra melhoria nos banheiros foi a ampliação do “banheiro de deficientes físicos”. Na verdade, os banheiros possuem paredes que podem ser removidas a fim de dar mais espaço para a pessoa que requer um auxílio de outra ou de mais espaço para fazer suas necessidades;

– a nova forma de manuseio das portas de emergência e as portas agora são mais largas;

– o sistema de gerenciamento de cabine é totalmente automatizado e foi redesenhado para que os comissários saibam o que deve ser feito em cada momento do voo. Um exemplo interessante é que os comissários conseguem controlar quais programas estarão disponíveis para aquele menor que viaja desacompanhado, conforme sua idade.

 

 

Mas todo esse trabalho também dá direito a um merecido descanso. Para tanto, a aeronave conta com um “crew desk” ou o “sarcófago”, como é popularmente chamado no meio.

Nesse espaço, os tripulantes dispõem de camas privativas para que possam descansar quando seu turno chega ao fim (em voos longos).

 

A função principal do comissário é garantir a segurança a bordo. No entanto eles cumprem com grande competência as demais tarefas, como servir as refeições. Nesse voo a TAM serviu suas famosas balas logo após o embarque e, cerca de 40 minutos após nossa partida, um sanduíche de queijo e peito de peru, bebidas diversas e o tradicional café Suplicy, exclusivo da TAM.

Já próximos do pouso, todos os passageiros ganharam uma “tag” do Airbus A350 XWB, como lembrança desse voo histórico.

 

 

UM FILME OU UMA MÚSICA?

Tendo eu viajado em várias companhias sul-americanas, digo sem medo que esse sistema de entretenimento atual da LATAM é o melhor de todos. As telas touch-screen têm sensores muito bons, de modo que não é mais necessário ter o controle remoto. Com monitores individuais e milhares de opções de filmes, músicas e jogos, o passageiro dificilmente ficará entediado.

Na parte musical, há programação para todos os gostos, dos clássicos latinos à MPB e filmes de todos os gêneros, com uma ampla seleção de títulos, desde os lançamentos como “Perdido em Marte”, “Sr. Holmes” e “A Travessia” até os clássicos do cinema, como “Batman”, “MIB”, “Mad Max” e Cidadão Kane”.

 

 

Também é possível acompanhar o progresso do voo, com informações de um mapa interativo, bem como há uma câmera com ótima resolução colocada embaixo da aeronave (coloquei uma foto mostrando a qualidade dessa câmera).

O sistema é completado por uma entrada USB, que permite você conectar seu próprio dispositivo ao sistema e ouvir as suas próprias músicas.

 

 

A revista de bordo é servida como cortesia e possui conteúdos de interesse geral, com matérias de foco em turismo, particularmente dos destinos operados pela LATAM.

 

 

CHEGAMOS!

Voamos até Manaus no nível de voo 400, ou seja, a 40.000 pés de altitude, que correspondem a 12,1 km acima do nível do mar. O voo foi muito estável, sem turbulências até o pouso em Manaus, às 12h05 locais.

Durante o taxiamento para a posição de estacionamento, fomos saudados pelos tradicionais jatos d’água do caminhão dos bombeiros. Já vi e registrei esse momento muitas vezes, mas olhando de fora. De dentro da aeronave foi a primeira vez e foi muito interessante.

Gostei da experiência e penso que a aeronave traz um novo padrão de conforto aos céus brasileiros, sobretudo para as rotas internacionais para Miami e Madrid, que o A350 assume a partir de Março desse ano.

Fotos: Carlos Roman e Bruno Sabba

 

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.

74 Comments:

  1. TÁ LINDONA A ” TIAZINHA” !!!!!!!!!!!!!!!!!!

  2. TÁ LINDONA A ” TIAZINHA” !!!!!!!!!!!!!!!!!!

  3. Parabéns pela riqueza de detalhes!!

  4. Parabéns pela riqueza de detalhes!!

  5. Maravilhoso, espero um dia voar no mesmo.

  6. cobertura digna do evento. Parabens

  7. cobertura digna do evento. Parabens

  8. Ótimo o detalhado relato. Espero que a economia que essa geração de aviões proporcionará às empresas seja revertido nos valores das passagens e dos salários dos aeroviarios, que enfrentarão uma greve nesta semana.

  9. Eu estava lá no aeroporto para prestigiar o “batismo” da aeronave. No final de fevereiro vou voar nesse avião.

  10. Eu estava lá no aeroporto para prestigiar o “batismo” da aeronave. No final de fevereiro vou voar nesse avião.

  11. Há alguma informação de outras rotas na Europa, além de MAD?

  12. Há alguma informação de outras rotas na Europa, além de MAD?

  13. Belo texto, dia 12/03 estarei nele.

  14. Belo texto, dia 12/03 estarei nele.

  15. Precisam colocar na rota de NY JFK. Enquanto isto estou voando d AA.. Para NY.

  16. Precisam colocar na rota de NY JFK. Enquanto isto estou voando d AA.. Para NY.

  17. Eva Maria um avião da TAM que enorme, vamos decolar de vôo

  18. Eva Maria um avião da TAM que enorme, vamos decolar de vôo

  19. Parabéns pela ótima e exclusiva reportagem. Só não houve menção à famosa janela.

  20. Parabéns pelos detalhes de informações e fotos. Nem mesmo as revistas especializadas conseguem se fazer tão exímios.

  21. Parabéns pelos detalhes de informações e fotos. Nem mesmo as revistas especializadas conseguem se fazer tão exímios.

  22. Minha preferida, sempre à frente.

  23. Rafa Lopes Caio Manduca Biel Fernando Marini

  24. Rafa Lopes Caio Manduca Biel Fernando Marini

  25. Avião lindo demais!

  26. Marielly Dutra esse eu quero passear com ele

  27. Marielly Dutra esse eu quero passear com ele

  28. A TAM q me desculpe….mas ela conseguiu estragar a aeronave. Porra…fazer uma aeronave de longo alcance com a classe econômica igual a do A319?!

  29. A TAM q me desculpe….mas ela conseguiu estragar a aeronave. Porra…fazer uma aeronave de longo alcance com a classe econômica igual a do A319?!

    • Bom, a questão não é bem ser igual ou diferente à do restante da frota. A questão é que a padronagem escolhida pela Latam na frota inteira é que poderia ser melhorzinha. Na minha humilde opinião, essa padronagem, se não exatamente “feia”, dá um aspecto antigo à cabine de passageiros.
      Acho estranho essas empresas sempre informarem que gastaram milhões em design, mas aparecem com coisas tão comuns.

  30. Excelente trabalho, boas informações e fotos.

  31. JOSÉ MAURÍCIO FERREIRA DOS SANTOS

    Parabéns pela matéria. excelente aeronave. gostaria de ver um comparativo B777-300 x A350-900..

  32. Ricardo A Marouco

    Faltou falar a experiencia dos capitães, pois eles sim são fundamentais no processo de condução segura de maquina com tamanho grau de automatização, que deve ser continuamente monitorada.

  33. Parabéns empresa querida ,sucesso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *