Confira fotos da demonstração dos 65 anos da Esquadrilha da Fumaça.


Ao total, mais de três mil pessoas assistiram às 50 manobras realizadas no céu de Pirassununga no último sábado (13/5). A apresentação comemorou o aniversário de 65 anos da Esquadrilha da Fumaça, como é popularmente conhecido o Esquadrão de Demonstrações Aéreas (EDA), da FAB.




Entre as manobras, o looping (realizado com seis aeronaves), o coração (quando as aeronaves ingressam juntas na manobra, dividindo-se em dois grupos e cada grupo inicia um meio looping de costas para o outro até completar a figura) e o split (com três aeronaves lateralmente alinhadas em voo).

As fotos que ilustram essa matéria foram feitas por mim e pelo Matheus Sciamana, que colabora com o AEROIN. Esperamos que lhe agradem, assim como nos sentimos gratificados de presenciar tão importante momento para nossa Força Aérea.

História

A história do esquadrão começou em 1952, quando instrutores de voo da antiga Escola da Aeronáutica começaram a treinar manobras em grupo com o intuito de incentivar os cadetes a confiar nas suas aptidões. No ano seguinte, foram instalados sistemas de fumaça nas aeronaves para facilitar a visualização das manobras pelo público. Desde então, já foram utilizadas diversas aeronaves como o T-6 Texan e o T-27 Tucano. Em 2015, as manobras passaram a ser realizadas com a aeronave A-29 Super Tucano. Durante esse tempo, a esquadrilha já fez demonstrações em todos os estados brasileiros e também em 21 países, como Argentina, Chile, Estados Unidos e Canadá.

“A Esquadrilha da Fumaça é reconhecida no mundo inteiro pela sua performance e tem a missão de mostrar a FAB para os brasileiros e angariar pessoas para o nosso efetivo”, enfatizou o Major-Brigadeiro Marcelo Kanitz Damasceno, Chefe do Gabinete do Comando da Aeronáutica.

Homenagem

Durante as celebrações, o comandante da Esquadrilha da Fumaça, Tenente-Coronel Líbero Onoda Luiz Caldas, foi condecorado com a Medalha Mérito Operacional Brigadeiro Nero Moura. A medalha foi instituída em 2010 e é uma distinção concedida a militares do Comando da Aeronáutica que exerçam o cargo de comandante de unidade aérea, pela conduta em prol da operacionalidade da sua organização e da Força Aérea Brasileira.

“Chegar a comandante de uma unidade é um dos pontos altos da carreira e comandando a Esquadrilha da Fumaça a gente vê, também no olho do público, o reconhecimento pelo nosso trabalho”, concluiu o oficial.

Da Agência Força Aérea (adaptado)

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.