Conheça o VAPT, o simulador modular da Rockwell Collins

ROCKWELL COLLINS SIMULADOR 1 Virtual Avionics Procedures Trainer

Com a evolução tecnológica e crescente preocupação com procedimentos de cabine para segurança de voo, simuladores se tornaram parte do dia a dia de qualquer tripulante, desde do piloto executivo até o de linha aérea. Maior parte das agências reguladoras exige treinamento e reciclagem nos simuladores para aperfeiçoar a reação em condições adversas e maior interação homem-máquina.

Apesar da hora de voo em simulador ter um custo muito abaixo de uma hora de voo na aeronave real, ao longo dos anos o custo foi crescendo para as empresas, pela necessidade de um mock-up para familiarização do tripulante mais um simulador de nível C e em alguns casos de nível D (o famoso full-motion que simula todos os movimentos externos da aeronave). Pensando na redução de custos, facilidade para o operador e tripulação, a Rockwell Collins criou o VAPT – Virtual Avionics Procedure Training, Treinamento de Procedimentos com Aviônicos Virtuais.

O VAPT possui por padrão 7 grandes telas de LCD, aonde são projetadas todos os aviônicos do avião, desde da tela primária de voo, painel superior com interruptores, manetes de potência e todos outros instrumentos de uma aeronave. Até ai seria apenas uma versão grande de um simples simulador de voo, o diferencial está na arquitetura e fidelidade dos aviônicos, que são próprios da Rockwell Collins, que produz rádios desde de 1933 e hoje é referência para produção de sistemas para aeronave, do software ao hardware, equipando aeronaves como o Boeing 787 Dreamliner, Beech King Air 250 e o novo KC-390 produzido pela brasileira Embraer, mas essas 3 aeronaves tem missões diferentes, como poderiam integrar um único simulador de maneira fiel?

Para esclarecer isso e outras idéias, conversamos com Vince Loschiavo durante a FIDAE 2016, ele é diretor especialista em simulação da Rockwell, possuí uma ampla experiência com aviônicos, tendo trabalhado na Força Aérea Americana e na Airbus. Para ele o principal diferencial do VAPT para outros simuladores é a fidelidade: “Nosso simulador é construído com aviônicos de verdade, todo o software usado na aeronave real é usado no simulador, temos essa possibilidade por fazermos tanto os aviônicos para o mundo real quanto virtual, não há perda de dados ou fidelidade.” explica Vince.

ROCKWELL COLLINS SIMULADOR 2 Virtual Avionics Procedures Trainer

Com tablet é possível controlar o simulador e também usar ele como aviônico.

“Grandes clientes nossos como militares e grandes empresas aéreas tem uma frota variada, e para cada aeronave precisavam adquirir um simulador para treinamento de procedimentos, nós eliminamos essa necessidade com o VAPT, podemos fazer um treinamento no King Air e 5 minutos depois estarmos simulando um Hércules.” acrescenta Vince.

O simulador é baseado em um grande computador, que está pronto para receber o software de qualquer aeronave equipada com aviônicos Rockwell Collins. Ele interpreta este software e projeta nas telas, que são touchscreen e permitem uma interação real do tripulante com o sistema. Caso seja a vontade do cliente, é possível substituir qualquer tela de LCD pelo equipamento real que estava ali apresentado, sendo necessário apenas desconectar a tela e plugar o sistema físico, que é automaticamente interpretado pelo sistema.

“Se para mudar o rumo é necessário girar um botão, é possível fazer o mesmo movimento na tela de LCD. Para os clientes que preferem ainda o sistema físico, é só solicitar para nós que enviamos a parte física, o próprio cliente conecta e usa na hora. Outra facilidade são as atualizações, que são enviadas aos operadores de aeronaves reais e em seguida para os usuários do VAPT, que baixam e instalam ela de maneira simples, mantendo o simulador sempre atualizado.” explica Vince.

A Rockwell Collins tem parceria à anos com a Embraer, equipando os aviônicos da aeronave Legacy, e mais recentemente do KC-390. É esperado que este tipo de simulador esteja em breve no Brasil para auxiliar a formação de tripulantes brasileiros.

Diretamente da FIDAE 2016 por Carlos Martins.

Agradecimentos á Rockwell Collins e Vince Loschiavo pelo apoio dedicado.

 

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é piloto e Bacharel em Ciências Aeronáuticas. Formado em Design e Performance de Aeronaves pela California State University Long Beach e Segurança da Aviação pela Western Michigan University. Membro da AOPA e da AIAA.