Embraer celebra 20 anos de operação do jato ERJ 145.

ERJ 145. Imagem: Divulgação / Embraer.

Como parte das comemorações dos 20 anos de operação comercial do jato ERJ 145, de 50 assentos, a Embraer recebe, a partir de hoje, quase 30 operadores da família de jatos para dois dias de conferência (Embraer Operators Conference – EOC) no Rio de Janeiro. O primeiro voo comercial do ERJ 145 ocorreu no dia 6 de abril de 1997 com a Continental Express, dos Estados Unidos.




O ERJ 145 significou o renascimento comercial da Embraer, abrindo caminho para o desenvolvimento de novos programas, como o dos E-Jets, que levou a Empresa à liderança do mercado de aviação comercial de jatos até 130 assentos.

A família de jatos ERJ 145 é composta pelo ERJ 135 (37 lugares), ERJ 140 (44 lugares), ERJ 145 (50 lugares) e o ERJ 145 XR (versão de longo alcance da versão 145). Desde a entrada em operação, a família ERJ 145 acumulou mais de 27 milhões de horas voadas e quase 730 milhões de passageiros transportados, sendo utilizada por mais de 120 operadores diferentes.

ERJ 145 XR, a versão com adaptações para maior alcance em voo. Imagem: Divulgação / Embraer.

Nos últimos sete anos, a base global de clientes do ERJ quase dobrou, aumentando de 39 operadores, em 2010, para 70 atualmente. No mesmo período, a aplicação e utilização dos modelos ERJ cresceu em mercados emergentes como a África, onde a frota aumentou de 16 unidades em 2010 para quase 60 em 2017.

Robusta e com excelente histórico de operação, a plataforma ERJ é um sucesso na aviação comercial, além de ter aplicações nos mercados de aviação executiva, com os jatos Legacy 600 e Legacy 650, e também de defesa, como AEW&C, multi-intel e patrulha marítima para o segmento de Inteligência, Vigilância e Reconhecimento (Intelligence, Surveillance and Reconnaissance – ISR, na sigla em inglês).

No total, mais de 1.200 aviões da plataforma ERJ 145 já foram entregues em todo o mundo, o que coloca o programa ERJ entre os mais bem-sucedidos na indústria aeronáutica.

Legacy 600/650, plataforma executiva derivada do ERJ 145. Imagem: Divulgação / Embraer.

ERJ 145 em sua plataforma militar para operações ISR. Imagem: Divulgação / Embraer.

ERJ 145 em sua plataforma militar para operações ISR. Imagem: Divulgação / Embraer.

 
Informações pela Assessoria de Imprensa da Embraer.
 

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é assessor de editoria do AEROIN.

3 Comments:

  1. Mas com os ATRs no mercado o custo operacional ficou puxado pra aviação regional e deixou de ser tão atraente. Sinto saudade dos 145 na passaredo e dos 120 na passaredo e airminas.

  2. O avião que conquistou a América!
    Parabéns à Embraer!

  3. Voei e gostei muito dos Rio Sul de Curitiba a Campinas no começo dos 2000. Show.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *