Embraer projeta demanda de 6.400 jatos no segmento de 70 a 130+ assentos.

De acordo com sua mais recente perspectiva de mercado (Market Outlook), a Embraer estima uma sólida demanda de mercado para 6.400 novos jatos no segmento de 70 a 130+ assentos (2.280 unidades no segmento de 70 a 90 assentos e 4.120 unidades no segmento de 90 a 130+ assentos), cujo valor é de aproximadamente USD 300 bilhões, até 2036.




A frota mundial de jatos em serviço no segmento de 70 a 130+ assentos aumentará de 2.700 aviões em operação em 2016 para 6.710 em 2036, sendo o crescimento mais rápido entre todos os segmentos. O crescimento do mercado será responsável por 63% da demanda enquanto a substituição de aeronaves antigas corresponderá aos 37% restantes.

Entregas de Jatos de 70-130+ Assentos por Região

Região Entregas Participação
América do Norte 2.020 32%
Ásia Pacífico 1.710 27%
Europa 1.150 18%
América Latina 690 11%
CEI 390 6%
África 220 3%
Oriente Médio 220 3%
Mundo (2017-2036) 6,400

Embora as perspectivas variem consideravelmente em cada região, os fatores que sustentam a demanda de mercado por jatos no segmento de 70 a 130+ assentos permanecem intactos, seja alimentando complexas redes nos principais aeroportos, seja explorando novos mercados e complementando as operações de narrow-bodies.

Otimização de frota é fundamental como resposta à volatilidade dos ciclos da indústria, e uma frota simplificada não significa necessariamente uma frota otimizada. Aeronaves de tamanho ideal trazem consigo uma abordagem mais inteligente. Maior controle no ajuste da capacidade de assentos à demanda de mercado pode evitar a degradação da receita unitária e proporcionar uma estrutura de custos competitiva.

O E195-E2, por exemplo, será capaz de prover uma proposta atrativa com custo por viagem bem mais baixo e custo por assento comparável aos narrow-bodies de maior capacidade, enquanto combina maior retorno com a oportunidade de aumentar a receita unitária.

“A indústria aérea é notoriamente conhecida por seus ciclos. O melhor controle de oferta de assentos permite uma busca contínua por maiores lucros e eficiência. A capacidade de retomar o crescimento da receita unitária, em lugar da expansão agressiva de capacidade de assentos, é crucial”, disse John Slattery, Presidente & CEO da Embraer Aviação Comercial.

Jatos na categoria de 70 a 130+ assentos são um dos pilares para a sustentabilidade do negócio.
Como a mais eficiente família de aeronaves de corredor único (single-aisle), os E-Jets E2 estão perfeitamente posicionados para manter a Embraer como líder de mercado no segmento e maximizar a lucratividade para ambas, empresas aéreas e de leasing.

 
Informações pela Assessoria de Imprensa da Embraer.
 

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é assessor de editoria do AEROIN.