Emirates bate o martelo e escolhe o Boeing 787 como sua nova aeronave

A Boeing e a Emirates anunciaram hoje, na abertura do Dubai Airshow 2017, uma encomenda para 40 aeronaves Boeing 787-10 Dreamliners. O negócio está avaliado em mais de $15 bilhões de dólares. A decisão era aguardada há anos, já que a Emirates era a única das grandes aéreas globais que não havia decidido entre o 787 da Boeing e o A350 da Airbus.




A Emirates atualmente é a maior operadora do Boeing 777 e também será a primeira a voar o 777X em 2020. O 787-10 complementará a frota de 777X e A380 da empresa, oferecendo um jato widebody de tamanho médio e com performance 25% melhor do que as aeronaves que ele substitui. Os primeiros Dreamliners da Emirates começarão a ser entregues em 2022, e a última aeronave deve ser recebida em 2030.

O acordo de compra inclui diretos de conversão de algumas unidades para o modelo menor porém de maior alcance 787-9, assim oferecendo flexibilidade adicional para a sua frota futura. Os Dreamliners da Emirates contarão com dois tipos de configurações em duas e três classes, levando entre 240 e 330 passageiros.

Especula-se uma possível encomenda para aeronaves Airbus A380, mas que ainda não foi confirmada no Dubai Airshow. O evento começou hoje e segue até a próxima quinta-feira (16).

Pela Assessoria de Imprensa da Boeing e da Emirates.

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é piloto e Bacharel em Ciências Aeronáuticas. Formado em Design e Performance de Aeronaves pela California State University Long Beach e Segurança da Aviação pela Western Michigan University. Membro da AOPA e da AIAA.