Emirates corta voos para os Estados Unidos após medidas de Trump.

Uma ordem executiva de Trump para banir a entrada de cidadãos naturais de seis países de maioria islâmica foi revisada e está em trâmite como recurso, após ter sido derrubada pela corte federal americana. Além disso, voos provenientes de 10 aeroportos localizados no Oriente Médio e África foram proibidos de embarcar eletrônicos maiores que celulares na cabine, tendo que ser despachados no porão, o que causou grande impacto nas operações de 9 companhias.




O porta-voz da Emirates comunicou ao público que a empresa tomou a decisão de diminuir seus voos como resultado da baixa na demanda. “No decorrer dos últimos três meses, observamos uma queda significante nas reservas para os Estados Unidos, em todos os perfis de passageiros. As recentes ações tomadas pelo governo americano em relação a vistos, vetos de segurança e eletrônicos, teve impacto direto no interesse do nosso passageiro em viajar para o país.”

Voos de Dubai para Fort Lauderdale e Orlando deixarão de ser diários e passarão a contar com 5 voos semanais. Seattle, Boston e Los Angeles agora terão apenas uma frequência diária, caindo de 14 voos semanais para 7. Novas medidas dos Estados Unidos em relação à imigração e segurança estão afetando tanto a Emirates quanto outras empresas como Etihad e Qatar, porém estas ainda não anunciaram reduções de frequências.

Recentemente, as americanas Delta, Unites e American se uniram para protestar contra subsídios dados pelo governo para as aéreas do Golfo Pérsico, classificando como ‘injustos’ os incentivos.
 

André Le Senechal

Pesquisador apaixonado, piloto privado. Aluno de Aviação Civil na Anhembi Morumbi. Respira o ar do Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos. Assíduo praticante de Plane Spotting e Simuladores de voo.
  • Ísis Carlos Willian Carol

  • Herbert Júnior

  • AA,DL e UA curtiram isso.

    • Quem perde é o passageiro, pois os serviços dessas 3 juntas não chegam aos pés da Emirates. Sem falar que comerciantes nos EUA vão perder dinheiro com a queda do número de turistas.

    • Disso daí você pode ter certeza que sim e concordo com vc, mas pras 3 isso tbm significa menos concorrência “em casa”.

    • Os turistas que vão para os Estados Unidos não são nem 30% do Oriente Médio.

    • Se eu fosse a Emirates, aproveitava para dar uma “boicotada” nos aviões da Boeing, cancelando alguns pedidos. Já que o assunto é apenas $$$, nada mais justo.

    • João Victor justamente, mas a Emirates tem nome, e isso pesa muito quando o assunto é redução de frequências.

    • Lembrando que as companhias Americanas também são contra as medidas Trump.

  • estão certos

  • Foi por uma boa causa. Menos terrorismo!

  • Quando você ergue muros, você se isola. Prevenção ao terrorismo é importante, mas xenofobia faz mal.

    • Derrube os muros de tua casa ou condomínio então.

    • em locais desenvolvidos não há muro nas casas. Acredite, não se resolve problema de segurança erguendo muros.

    • Fale isso para ISRAEL

    • Não perca seu tempo explicando o que quis dizer para Rodrigo. Além de senso comum aposto que nunca viajou para além dos limites do estado que reside.

    • Esse rodrigo e um burro quer comparar pais com a casa

    • Rs

  • Vixe!!

  • Isso é sinal de que o Trump é mesmo contra o terrorismo, gostei (Y)

  • Samuel eita, olha sobre o que a gente estava falando ontem

  • Mais doq certo!!

  • Kkkkkk vai perder dinheiro. Kkkkkk

  • Apoio a medida de Trump. Já que a cultura ocidental é o oposto da religião islâmica, já que eles julgam a cultura ocidental como abominável, não seria melhor eles permanecerem por lá mesmo?

  • Os americanos estão pagando o preço…… Agora? O choro é livre!

  • Que fuerte!

  • Lucas

    “banir imigrantes” aff parem com isso que ta feio. A medida nao é de banimento, mas um proibição temporaria. Banir seria tirar todo mundo desse paises dos EUA. Não desinformem o povo.

  • Yuri Marinho

  • HH Ahmed A Emirates Airline encomendou mais quatro jatos superjumbo A380, confirmando uma ordem anterior para 43 aeronaves gigantes, apesar dos atrasos