Entrevistamos Jean Rosanvallon, Presidente e CEO da Dassault Falcon

Falcon 8X e Jean Rosanvallon

Durante a LABACE 2017 foi possível ao público chegar próximo a diversas aeronaves exclusivas do mundo executivo. Também foi um local para celebrar novas vendas, parcerias e todo tipo de negócio relacionado à aviação executiva e geral. A feira é que a segunda maior do setor no mundo, e sempre é tratada com uma grande oportunidade para as maiores fabricantes de aviões executivos no mundo.




Neste ano não foi diferente, a francesa Dassault Falcon comemora o 15º aniversário da LABACE com a sua 15ª participação na feira, em um dos seus mercados mais antigos: o Brasil. As estrelas da Dassault na feira foram o Falcon 8X, Falcon 7X e Falcon 2000, que sempre contavam com grandes filas para visitá-los. No primeiro dia da feira fomos conhecer o belo stand da Dassault Falcon, e encontramos com Jean Rosanvallon, Presidente e CEO da empresa. Muito receptivo, sugeri uma entrevista que foi atendida de imediato, e você confere abaixo com exclusividade:

AEROIN: A marca Dassault no Brasil é muito relacionada ao caça militar Mirage pelo público em geral, mas sabemos que o carro chefe da empresa hoje é a divisão dos aviões executivos. Nos fale um pouco sobre a história da Dassault.

Rosanvallon: A Dassault começou em 1916, então no último ano celebramos nosso centenário. Em 1916 o nosso fundador, Marcel Dassault, começou a fazer melhorias em hélices de aviões da primeira guerra mundial e montou a companhia. O primeiro Falcon foi lançado em 1953 (é dito como o primeiro jato executivo do mundo), e hoje se tornou o principal ramo da companhia. Hoje somos a única empresa no mundo que constroi caças militares e jatos executivos.

AE: É realmente uma empresa tradicional e o Brasil, tanto na parte militar quanto civil, tem sido um cliente de longa data. Quando isso começou?

RS: Nós vendemos o nosso primeiro Falcon no Brasil 40 anos atrás e estabelecemos uma longa relação com clientes daqui. Em 2009 fomos a primeira fabricante estrangeira a estabelecer um centro de serviços no Brasil, em Sorocaba. Agora temos uma frota de mais 50 jatos Falcon no Brasil, e somos líderes no segmento que chamamos de “cabine larga”, como os jatos Falcon 2000 e Falcon 7X e 8X. E nós estamos felizes que nas últimas semanas entregamos quatro Falcon 8X no Brasil, e nenhum país no mundo possui hoje quatro 8X, apenas aqui. Isto se deve à grande fidelidade que construímos aqui. Três destes 8X são de clientes que trocaram seu 7X para esta nova versão que pode ir de São Paulo a Moscou sem escalas.

AE: Algo que nossos leitores sempre nos perguntam, e também é algo que nós sempre queríamos saber: Porque a Dassault continua construindo jatos com três motores ao contrário de todos os seus concorrentes que fazem jatos bimotores?

RS: As pessoas nem sempre percebem que os três motores lhes dão uma grande flexibilidade para ir a aeroportos pequenos. Todos os regulamentos e cálculos de perfomrance são feitos caso você perca um motor na hora mais crítica, então se você perder um motor em um trijato, você ainda tem dois motores. Isso permite que naturalmente a aeronave possa operar em aeroportos menores e com maior capacidade, sem burlar o manual. Também algumas pessoas se sentem mais à vontade voando com trijatos em voos transocêanicos do que com um bijato. Mas o principal ponto é a performance em aeroportos.

AE: Quais são as pesperctivas da Dassault Falcon em relação à LABACE nos próximos anos?

RS: Atualmente a frota de Falcon 7X no Brasil é entre 15 e 20 aeronaves. Nosso histórico aponta para que a maioria destes clientes façam um upgrade para o 8X. A LABACE é uma feira muito produtiva para nós pelo fato de ser em um aeroporto no centro da cidade. Achamos que grandes empresários e milionários são atraídos por isso, podem vir aqui no final da tarde e conhecer os aviões expostos. Eu estive pessoalmente em todas as 15 edições da LABACE, e realmente curto estar aqui nessa atmosfera muito boa com profissionais do setor, clientes, pilotos e mecânicos. Eu amo o Brasil e é muito bom poder estar aqui apresentando a família de jatos Falcon.

Agradecimentos à Dassault Falcon pelo suporte, em especial a Jean Rosanvallon, Mario Spagnuolo e Carlos Moura.

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é piloto e Bacharel em Ciências Aeronáuticas. Formado em Design e Performance de Aeronaves pela California State University Long Beach e Segurança da Aviação pela Western Michigan University. Membro da AOPA e da AIAA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *