Esquadrilha da Fumaça realiza primeira demonstração internacional com o A-29.

IMG_5950 copy
O Brasil teve um representante de peso na 19º edição da FIDAE. Pela primeira vez a Esquadrilha da Fumaça se apresentou fora do país com as aeronaves A29 Super Tucano. Às 10h da manhã do último dia 31, o público ouviu o primeiro “Fumaça… Já” internacional da Esquadrilha da Fumaça em três anos.

O Comandante do Esquadrão, Tenente-Coronel Aviador Líbero Onoda Luiz Caldas, complementa: “Em ações internacionais, a Esquadrilha da Fumaça leva mais que o nome da Força Aérea Brasileira, leva o nome do Brasil para outras nações. É um orgulho carregar essa responsabilidade com profissionalismo e excelência”.

A demonstração realizada em Santiago foi especialmente desenvolvida para a FIDAE. Por cerca de 25 minutos, mais de 30 manobras foram apresentadas ao público, além de ter contado com uma trilha sonora exclusiva e locução em espanhol.


Neste sábado, a meteorologia, que parecia que não iria ajudar, melhorou pouco antes do início da demonstração da Esquadrilha da Fumaça no final da tarde. Com isso, a fumaça ficou melhor marcada no céu, facilitando a visualização das manobras e, inclusive, do “FIDAE 2016” escrito durante a apresentação. Uma das maiores atrações, porém, é o próprio A-29 Super Tucano, que carrega as cores fortes da Bandeira Nacional e encanta especialmente o público infantil.

Robusto e eficiente, o A-29 – fabricado pela Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer) – é ainda empregado pela Força Aérea Brasileira (FAB) no cumprimento de missões de defesa aérea, treinamento avançado, ataque leve, escolta, patrulha aérea de combate e na formação de líderes da aviação de caça. A aeronave turboélice incorpora os últimos avanços em aviônicos e armamentos e foi concebida para atender aos requisitos operacionais da Força para uma aeronave de ataque tático. Mais de 10 países já possuem o Super Tucano, entre eles, Estados Unidos, Angola, Colômbia e Chile.

Luis Neves

É agente de turismo e acompanha a evolução da aviação brasileira desde o final da década de 80. Fotografa tudo o que voa e tem uma das maiores coleções de fotos de aviação do Brasil.

Comente