EUA aumentam para 300% a taxa sobre o Bombardier C Series

A canadense Bombardier sofreu hoje um nova derrota na batalha contra a Boeing. O Departamento de Comércio dos EUA aumentou para praticamente 300% as taxas a serem pagas para cada aeronave Bombardier C-Series vendida para uma companhia americana, inviabilizando ainda mais a aquisição de 75 CS100 pela Delta Airlines.




A decisão de hoje é a segunda sobre as tarifas a serem cobradas no processo que a Boeing moveu contra a Bombardier sobre acusações de dumping e subsídios ilegais. Como reportamos no último sábado, o Departamento de Comércio deu razão à Boeing e, em decisão preliminar, havia imposto uma taxa de 219,63% sobre o preço de cada aeronave vendida para uma empresa americana. A decisão tomada hoje também é preliminar, mas adiciona mais 79,82% de taxas de importação sobre qualquer tipo de aeronave canadense entre 100 e 150 assentos, totalizando 299.45% de impostos.

O Departamento de Comércio afirmou que irá instruir o Serviço de Proteção de Fronteiras e Aduana dos EUA (CBP) para coletar os depósitos em dinheiro das importações de aeronaves entre 100 e 150 assentos provenientes do Canadá, baseados nessa taxa preliminar. Apesar do avião canadense alvo deste processo não ter sido ainda importado, em abril de 2016 um press release (da Delta) anunciou a venda das aeronaves canadeneses para uma companhia aérea americana num valor de mais de $5 bilhões de dólares.

A alegação da Boeing sobre a irregularidade e dumping da Bombardier diz respeito aos subsídios ilegais feitos pelo governo do Canadá para permitir que o projeto C-Series seja viável. Segundo a fabricante norte-americana, estes subsídios colocam em risco diversos empregos americanos, já que ameaçam o 737 e, para reparação disso, seria necessário taxar em 160% cada avião da Bombardier vendido para a Delta.

O Departamento de Comércio anunciou que a sua decisão final sobre a taxa de anti-dumping deverá ser emitida em 19 de dezembro deste ano. No ano fiscal de 2016, os EUA coletaram $1.5 bilhões de dólares em taxas de produtos avaliados em $14 bilhões, que segundo o governo americano estavam abaixo do preço de valor no mercado ou subsidiados por governos estrangeiros.

Pela Assessoria de Imprensa do U.S. Departament of Commerce.

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é piloto e Bacharel em Ciências Aeronáuticas. Formado em Design e Performance de Aeronaves pela California State University Long Beach e Segurança da Aviação pela Western Michigan University. Membro da AOPA e da AIAA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *