Flybondi elege o Boeing 737-800 para início das operações.


A Flybondi, primeira empresa low-cost da história da aviação argentina, anunciou essa semana que elegeu oficialmente o Boeing 737-800 como aeronave que vai compor sua frota. A decisão final foi tomada em uma reunião entre Julian Cook, CEO da empresa aérea e José Sicilia, diretor comercial da Boeing para Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai.




Os Boeing 737 da FB terão configuração de 189 assentos. Segundo comunicado da empresa, assegurarão o menor custo por assento do mercado argentino. O Boeing 737 concorria com o Airbus A320.

No comunicado à imprensa argentina, a FB ainda informou que que espera uma relação de longo prazo com a Boeing, inclusive denotou interesse em novas encomendas, da série Max. Por enquanto, a empresa busca por empresas de leasing que lhes possam fornecer as aeronaves para início de operações, previsto para o segundo semestre de 2017. A empresa espera operar 25 aeronaves em 5 anos.

 

Rotas autorizadas

Em 13 de fevereiro, a ANAC (da Argentina), publicou uma série de documentos com as rotas solicitadas por várias empresas aéreas durante a audiência pública de 27 de dezembro passado. Das 99 rotas solicitadas pela FB Linhas Aéreas (razão social da FlyBondi), 78 foram aprovadas. A maioria dos voos são domésticos, partindo de Buenos Aires, com os quais a empresa promete revolucionar o transporte aéreo argentino.

Confira todas as rotas para o Brasil que foram aprovadas e que podem ser iniciadas nos próximos anos, quando a empresa estiver operando efetivamente:

– De Buenos Aires a Salvador, Florianópolis, Porto Alegre, Recife, Curitiba, Fortaleza, Natal, Porto Seguro, Brasília, Belo Horizonte e Maceió;

– De Córdoba a São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador;

– De Mendoza a São Paulo e Rio de Janeiro;

– De Rosário a São Paulo e Rio de Janeiro

– De San Carlos de Bariloche a São Paulo;

– De Salta a São Paulo;

– De Puerto Iguazu a São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre.

Observação: as rotas foram aprovadas pelo Governo Argentino, baseado no acordo existente entre os países. A ANAC brasileira também precisa aprovar as operações dessas empresas no Brasil, o que (imaginamos) não será um grande empecilho.

 

A empresa

Um grupo de empresários argentinos, amparados em fundos provenientes de grandes nomes da indústria aeronáutica, deu início à ideia de uma companhia aérea no conceito ultra low-cost no país portenho, a FlyBondi.

Por trás do projeto, como investidores, estão nomes como Michael Cawley, membro do conselho da Ryanair, Montie Brewer, ex-CEO da Air Canada e Robert Wright, fundador da British Airways Citiflyer Express, além do argentino Gastón Parisier e do suíço Julian Cook. Juntos, os investidores teriam aportado US$ 75 milhões com objetivo de iniciar as operações já em 2017, dando início à primeira empresa de baixo custo da história argentina.

O conceito já é conhecido no Brasil, promoveu a inclusão e fez com que um novo mercado, cheio de viajantes que antes não voavam, fosse atingido e passassem a usar do avião como meio de transporte. Na Argentina, apenas 10% da população usa avião e a companhia projeta que 50% dos argentinos estarão voando em cinco anos.

Dentre os planos da empresa estão começar com 6 aeronaves e chegar a uma frota de 25 (modelo ainda não divulgado), em 5 anos, com os quais se almeja transportar 8 milhões de passageiros em voos domésticos e regionais. A Flybondi já se encontra inscrita como sociedade anônima desde 24 de Junho de 2016.

Uma curiosidade, a palavra “bondi” tem o significado de ônibus, na Argentina.

Do nosso parceiro Aviacionline.com

21 Comments:

  1. Tanto Voo pra esses locais, podiam vim pro norte do país, Belém, Manaus etc….

    • Verdade. As companhias preferem basear em SP, quando por exemplo voos para América Central e do norte seria muito mais viável ser baseado aqui no norte e tendo conexões para os demais destinos. Isso estimularia o crescimento das outras regiões e não apenas de sul, sudeste, e centro oeste. É inaceitável que para você ir do Pará ao Acre seja necessário fazer conexão em Brasília, isso aumenta muito uma viagem pra um estado vizinho.

  2. 189 assentos, caraca deve ser um pouquinho apertado esse negocio kkkkkk

  3. Ela podia operar em Cuiabá(CGB) né hahahahaha

  4. Tera rota pra fortaleza muito bom

  5. Por que sempre falam que é a primeira low cost da história da aviação argentina? Nunca ouviram falar da LAPA?

  6. Acho que nos próximos anos viajar de avião vai ser mas acessível que andar de ônibus,e os serviços cada vez pior,não sei como as grandes empresas vão sobreviver com tanta concorrência.Aliás não sei como essas low cost sobrevivem com passagens tão baratas exemplo disso é: Ryanair entre outras.

  7. Lembra um pouco a pintura da gol

  8. A Gol da Argentina (B738) low coast

  9. Carakaa 189 pax. . . imagina eu com 1,88 de altura, iria morrer de dor nas pernas, deve ser ultra apertado, vc senta e nao pode mais se mexe ate o fim do voo. . .