Flybondi inicia contratação dos 100 primeiros comissários de bordo.


A Flybondi, primeira empresa low-cost da história da aviação argentina, anunciou essa semana que abriu processo de seleção para os seus primeiros 100 comissários de bordo, que serão baseados na cidade de Córdoba. Os candidatos devem ter nacionalidade argentina e ter mais de 20 anos de idade, além de inglês intermediário.




O governo do presidente Macri tem promovido ações para ampliar o acesso dos argentinos ao transporte aéreo. A notícia divulgada pela FlyBondi é um alento num mercado que passou por uma longa estagnação. Veja mais informações da empresa.

 

Boeing 737-800

A empresa tem se movimentado no sentido de obter as aprovações necessárias para operar. Recentemente elegeu oficialmente o Boeing 737-800 como aeronave que vai compor sua frota. A decisão final foi tomada em uma reunião entre Julian Cook, CEO da empresa aérea e José Sicilia, diretor comercial da Boeing para Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai.

Os Boeing 737 da FB terão configuração de 189 assentos. Segundo comunicado da empresa, assegurarão o menor custo por assento do mercado argentino. O Boeing 737 concorria com o Airbus A320.

No comunicado à imprensa argentina, a FB ainda informou que que espera uma relação de longo prazo com a Boeing, inclusive denotou interesse em novas encomendas, da série Max. Por enquanto, a empresa busca por empresas de leasing que lhes possam fornecer as aeronaves para início de operações, previsto para o segundo semestre de 2017. A empresa espera operar 25 aeronaves em 5 anos.

 

Rotas autorizadas

Em 13 de fevereiro, a ANAC (da Argentina), publicou uma série de documentos com as rotas solicitadas por várias empresas aéreas durante a audiência pública de 27 de dezembro passado. Das 99 rotas solicitadas pela FB Linhas Aéreas (razão social da FlyBondi), 78 foram aprovadas. A maioria dos voos são domésticos, partindo de Buenos Aires, com os quais a empresa promete revolucionar o transporte aéreo argentino.

Confira todas as rotas para o Brasil que foram aprovadas e que podem ser iniciadas nos próximos anos, quando a empresa estiver operando efetivamente:

– De Buenos Aires a Salvador, Florianópolis, Porto Alegre, Recife, Curitiba, Fortaleza, Natal, Porto Seguro, Brasília, Belo Horizonte e Maceió;

– De Córdoba a São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador;

– De Mendoza a São Paulo e Rio de Janeiro;

– De Rosário a São Paulo e Rio de Janeiro

– De San Carlos de Bariloche a São Paulo;

– De Salta a São Paulo;

– De Puerto Iguazu a São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre.

Observação: as rotas foram aprovadas pelo Governo Argentino, baseado no acordo existente entre os países. A ANAC brasileira também precisa aprovar as operações dessas empresas no Brasil, o que (imaginamos) não será um grande empecilho.

 

A empresa

Um grupo de empresários argentinos, amparados em fundos provenientes de grandes nomes da indústria aeronáutica, deu início à ideia de uma companhia aérea no conceito ultra low-cost no país portenho, a FlyBondi.

Por trás do projeto, como investidores, estão nomes como Michael Cawley, membro do conselho da Ryanair, Montie Brewer, ex-CEO da Air Canada e Robert Wright, fundador da British Airways Citiflyer Express, além do argentino Gastón Parisier e do suíço Julian Cook. Juntos, os investidores teriam aportado US$ 75 milhões com objetivo de iniciar as operações já em 2017, dando início à primeira empresa de baixo custo da história argentina.

O conceito já é conhecido no Brasil, promoveu a inclusão e fez com que um novo mercado, cheio de viajantes que antes não voavam, fosse atingido e passassem a usar do avião como meio de transporte. Na Argentina, apenas 10% da população usa avião e a companhia projeta que 50% dos argentinos estarão voando em cinco anos.

Dentre os planos da empresa estão começar com 6 aeronaves e chegar a uma frota de 25 (modelo ainda não divulgado), em 5 anos, com os quais se almeja transportar 8 milhões de passageiros em voos domésticos e regionais. A Flybondi já se encontra inscrita como sociedade anônima desde 24 de Junho de 2016.

Uma curiosidade, a palavra “bondi” tem o significado de ônibus, na Argentina.

Do nosso parceiro Aviacionline.com

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.

63 Comments:

  1. Jessica David Juliana Reis Souza Sheila Gonsalves Bruna Castro Thamirys Moraes Letícia Galvão Beatriz Tessitore

  2. Nova empresa aérea no mercado que bom !

  3. Não tenho nacionalidade argentina e nem 20 anos ainda. Rs

  4. Ester Gonçalves, Ligia Gonçalves

  5. Marcos Montez Montez
    Monique Drumond
    Andrea Mattos
    Sergio Lopes
    Daniel Praça

  6. Adriana Freire Priscilla López

  7. Tomara que não seja parecida com a merda da GOL!

  8. Se for para somar, seja bem vinda….. Vamos ver no que vai dar

  9. Uma verdadeira lata de sardinha 189 assentos,afff

  10. Empresas aéreas gastam fortunas em Branding para definir cada nome esquisito. De Flybondi para FlyBondão e um pulo! Hehehe

  11. Monique Drumond eu já tinha visto amiga ontem ……mas será só pra nacionalidade Argentina

  12. Se liga Jefferson Carlos Rodrigues

  13. O Brasil que está precisando disso. Uma NOVA cia aérea que contrate vários comissários.

  14. Andreza Santana Pedro Henrique Danielle Durães

  15. A flybondi é uma.linha aerea argentina

  16. Qual a previsão do primeiro vôo ?