Voando na goiana SETE LINHAS AÉREAS.

22

No termino da reunião com o Brigadeiro Rossato, seguimos para o Aeroporto internacional Juscelino Kubitschek, aeroporto que passou por diversas melhorias após a assunção da administração pela Inframerica.

A Sete Linhas Aéreas é a única empresa aérea do Brasil a interligar exclusivamente as regiões centro-oeste, nordeste e norte do Brasil. São rotas que se encaixam como uma luva na estratégia da empresa e, não poderia ser diferente, os voos vão lotados. Na minha volta de Brasília para Goiânia, peguei o trecho final de um voo vindo lá do Pará.

Apenas para apresentar melhor a empresa, seguem alguns dados: com sede em Goiânia, a empresa opera uma frota de turboélices composta por aeronaves Embraer 120 (30 passageiros) e Cessna C208B Grand Caravan (9 passageiros); coloquei o mapa de rotas abaixo para que todos conheçam as conexões possíveis.

SETE_MapaDeRotas_AbaSite

 

Meu voo foi na noite de um dia bastante corrido em Brasília, onde participei do café da manhã com o Comandante da Aeronáutica, Brigadeiro Rossato. Fui ao aeroporto já no fim da tarde e fiz meu check-in rapidamente. É verdade que não haviam muitos passageiros embarcando na capital federal. Além de mim, mais três apenas; os demais já estavam na aeronave, que vinha do interior do Pará.

Aguardamos o desembarque de alguns passageiros e então pudemos entrar. Fomos recebidos com muita simpatia pelo comandante Wlélio, pelo primeiro oficial Mike e pelo comissário Alessandro, que gentilmente propôs uma foto com toda a equipe quando descobriu que eu escreveria esse flight report.

Nosso voo seria no Embraer EMB-120 de prefixo PR-STZ, uma aeronave recém chegada na companhia e que é a mais bonita, na minha opinião, devido ao fato de ser a única a ter uma pintura cromada de alumínio polido. Muito bonito. Coloquei fotos para você entenderem do que estou falando.

 

Sentados e om os cintos afivelados, atentamos para as instruções do comissário Alessandro. Saímos um pouco antes do horário previsto e o tráfego aéreo em Brasília estava intenso. Às 19h40 o voo SETE 6413 alçava voo.

Curvamos no sentido da capital goiana, seria um voo bem rápido, de 30 minutos e a 4.000 metros de altitude. Por ser assim rápido, esse trecho não tem serviço de bordo, até por que não há tempo suficiente para isso.

Fomos recebidos em Goiânia com chuva leve, embora as poucas nuvens e na minha opinião foi um voo muito agradável. O comandante fez aquele pouso digno de aplausos, o ora famoso “pouso manteiga”. Paramos em frente à sala de desembarque, onde a aeronave já era esperada pela equipe de terra para desligar os sistemas e fazer a limpeza interna, nos preparativos para o os voos de amanhã.

Na verdade, nem deu pra sentir o voo de tão rápido. De fato é uma opção muito viável a quem precisa ir de Goiânia a Brasília, assim como para o norte do país.

Eu agradeço, em nome da equipe AEROIN, a todos os envolvidos nesse voo. Ao Sr. Décio, Srta. Bruna Macedo, Sr. Vitor Santos, à Gerente da base Brasília, Srta. Carla Lima, aos agentes de aeroporto Raylson Lucas, Ricardo Coelho e Wevertton Lima, ao time do atendimento de pista Fernando Fernandes e Wenderley Torres e, é claro, à tripulação mencionada acima.

Reporte de voo escrito por Ícaro Roberto, editor AEROIN para o Brasil Central.

 

Icaro Roberto

Um apaixonado por aviação desde criança, estuda piloto privado no Aeroclube de Goiás, colecionador de prefixo de aeronaves, fotografa tudo, desde aeronaves experimentais monomotor, a aeronaves quadrijato.

Um Comentário:

  1. Meu irmão Mike, orgulho!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *