GOL amplia compromisso com acessibilidade e estreia novo modelo de escada.

30gol-aeroin-164

A Gol Linhas Aéreas apresentou à imprensa um novo equipamento, idealizado e adaptado ao mercado brasileiro por sua equipe, que vai facilitar a acessibilidade à aeronave para pessoas com mobilidade reduzida, principalmente em posições de estacionamento remoto.

Em aeroportos onde a ligação do terminal com o avião não é feita via fingers, esse novo equipamento vai ficar disponível, diminuindo a dependência da companhia pela administração aeroportuária. A escada, que conta com placa solar que abastece sua iluminação noturna, já está disponível nos aeroportos de Congonhas e Santos Dumont para atender a demanda da ponte aérea Rio-SP. A ideia da Gol é levá-la a mais aeroportos até o fim do ano.

Um grande teste enfrentado pela companhia foram as Paralimpíadas Rio 2016. Em um único voo foram transportados 23 cadeirantes, mesmo com o equipamento em fase de testes.

O treinamento às equipes nos aeroportos foi intenso e a Gol também contou com consultorias para buscar soluções de acessibilidade e inclusão, sendo que esta é apenas uma delas, como garantiu o vice-presidente de operações da empresa, Sergio Quito.

 

André Le Senechal

Pesquisador apaixonado, piloto privado. Aluno de Aviação Civil na Anhembi Morumbi. Respira o ar do Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos. Assíduo praticante de Plane Spotting e Simuladores de voo.
  • Não seria mais fácil um elevador?

  • Azul Linhas Aéreas Brasileiras podiam copiar a ideia… esse tipo de ideia faz bem ser copiada 😉

    • Se fosse mais informado, saberia que ela já possui desse modelo

    • nunca vi, leandro… e olha que eu viajo bastante 🙂 e sofro nos fingers também.

    • A azul também tem mais é somente utilizado em ATR e somente quando vai embarca cadeirante

    • ah bom, explicado!

  • Elevador pra quem precisa, escada para os demais. Na mesma plataforma. Isso sim seria inovador. Me botar num tubo longo e sem Ar Condicionado no sol é dose!

    • Tadinho!

    • Morrendo de pena dele tb…

    • Bem, eu teria pena das pessoas com problemas de locomoção serem submetidas a essa solução (porca) para o “mercado brasileiro” (significa que aceitamos qualquer coisa?) que vai coloca-los em uma estufa até descerem do avião. Vivemos em um país tropical, com temperaturas frequentemente até ultrapassando 40 graus, onde climatização é necessária. Para todos.
      Agora, se os funcionários da Gol tratam como “tadinhos” e “que estão morrendo de pena” dos que tem dificuldades de locomoção (como eu!) acho melhor rever os conceitos.
      Grato.

    • Rodolfo Maymone, o tempo a se passar dentro do que você chamou de tubo, não ira passar de 2 minutos, como você mesmo disse vivemos em um país tropical, estamos sujeitos a altas temperaturas a todo tempo. A aeronave e o ônibus que o leva até lá são climatizados. Além do mais, o aluguel do ambulift iria demorar muito mais e tirar um pouco da autonomia de quem não quer ajuda para subir ou descer.

  • Modelo tupiniquim…

  • Fazendo jus ao slogan, parabéns!

  • Com todo respeito. Se fizesse um concurso pra desenvolver um projeto com tal objetivo talvez os resultados seriam mais positivo. Imgina o espaço que isso consome, o transporte disso de um lado pra outro nos aeroportos. ..

  • Mas acessibilidades por favor