A grata experiência de voar EMIRATES

banner

Impressiona logo de cara ser recebido na aeronave desse jeito: “seja bem vindo a bordo da Emirates, neste voo estamos preparados para lhe atender em árabe, português, inglês, espanhol, chinês, francês, alemão, japonês, italiano e tailandês”. E olha que me esqueci de duas línguas, por que naquele voo eram 12 os idiomas falados.

Um voo de 14 horas de voo, sem escalas, em que você nem sente o tempo passar é suficiente para ser classificado com um ótimo voo. Sem sombra de dúvidas, voar na Emirates é uma experiência única. Isso na econômica! Nas classes executiva e primeira, a Emirates é uma das empresas globais que regem os mais altos padrões atualmente.

Antes de relatar o voo, deixe-me mostrar algumas características interessantes do aeroporto internacional de Dubai, onde chegamos e partimos através do terminal mais novo, que é lindo por dentro e por fora.

Na verdade, é um daqueles lugares que faz você se sentir no primeiro mundo mesmo, além da beleza, tudo muito bem sinalizado, com amenidades que fazem a diferença como, por exemplo, os indicadores de quanto tempo você levará caminhando até seu portão de embarque a partir do lugar onde está. Essa é uma informação interessante de ter, por que vai te ajudar a se programar perfeitamente.

O free-shop é ‘coisa de louco’, além de enorme e separado em ilhas para fácil identificação do produto que você procura, há ainda lojas de jóias de derrubar o queixo. Durante toda a minha estada em Dubai, percebi que os indianos são grandes consumidores de jóias e ouro, que é mais barato do que no resto do mundo, mesmo no free-shop. Nos arredores, jornais do dia à vontade e uma sala exclusiva para fumantes.

Outra coisa interessante é que embarcamos da porta B4. Antes de entrar no avião existe uma ante-sala, em que você precisa apresentar seu tíquete de embarque e o documento para entrar. Isso agiliza demais o embarque por que, quando as portas do avião são abertas, todos estão com os documentos checados. O embarque é muito rápido!

745

Tudo muito bem sinalizado!

744

Free-shop separado em ilhas, muito luxo e muito ouro!

752

Por esse painel você controla o tempo de caminhada até o gate

758

Mapa detalhado do terminal. Duas mesquitas.

771

Nosso gate

783

A ante-sala que comentei acima, tudo pronto para o embarque

 

Mas no nosso caso embarcamos por onde? Acreditem, pegamos um ônibus e fomos pela remota. Sim, em Dubai também tem remotas como no Brasil. Como entusiasta de aviação, jamais que iria reclamar, principalmente depois das fotos que consegui fazer dali.

Embarque efetuado, nossos assentos foram os 46 J/K, as duas da janela, lá no fundo da espaçosa aeronave – pelo menos para mim com 1.74m – Nos ajustamos, esperamos os anúncios da tripulação, conferimos nosso kit de amenidades e ligamos nosso sistema de entretenimento a bordo. Em qual canal eu liguei? Na câmera da frente do avião, é claro, veja as fotos abaixo que bacanas.

Esperamos a decolagem de outro Boeing 777-300 e de um Airbus A380 e então chegou nossa vez. Decolamos pesados, mas suaves. A aeronave é excelente e forte. Pisaríamos em solo novamente dali a 14 horas.

1036

Espaçoso para meus 1,74m

Emirates_Airlines_Boeing_777-300ER_3class_private

Clique para ver o mapa de assentos da aeronave. Eu escolhi os assentos do fundo (mas longe da galley e banheiros).

790

De ônibus, embarque pela remota

792

Subindo no gigante de mais de 70 metros

800

Aeronaves da Emirates do nosso lado

908

Devidamente acomodados no fundo da aeronave, na janela.

826

Um 777 e um A380 à nossa frente para decolar

 

O voo, como dito, tem 14 horas e é o mais longo voo sem escalas para São Paulo. A princípio parece ser muito tempo, mas na medida em que as horas passam você começa a entender por que a Emirates tem ganhado tantos prêmios. Tem sempre alguma coisa acontecendo a bordo e, por isso, o tempo literalmente voa.

Pouco depois da decolagem é feito o primeiro serviço de bordo, com uma refeição servida pelos cordiais e multilíngues comissários de bordo. A simpatia é enorme – e o treinamento também – tanto na ida como na volta não vi um só comissário com cara fechada. Todos sorridentes, abertos a conversar e, inclusive, falar de coisas de suas vidas. As pessoas pedem para tirar fotos com as comissárias e elas atendem com grande atenção (claro, melhor pedir nas primeira horas de voo).

O sistema de entretenimento a bordo é sensacional, denominado ICE – Information, Communication, Entertainment – ele tem milhares de horas de programação, de todo o tipo, para todos os gostos. A fim de continuar no clima árabe, selecionei uma rádio árabe para curtir durante as primeiras horas. Depois, deixei um filme rolando enquanto a tripulação servia uma nova rodada de salgadinhos e bebidas.

Admito que não consegui dormir nas quatorze horas, mas cheguei sem cansaço. Após algum tempo as luzes da cabine foram apagadas e um belo “céu estrelado” surgiu no teto do avião – são coisas assim que mostram o por quê da Emirates ser referência.

Nesse longo intervalo de várias horas de voo, quem quisesse poderia ficar em pé nas galleys e, inclusive, petiscar mais salgadinhos, comer uma fruta fresca ou tomar um drink. A tripulação prepara nessas galleys um balcão repleto de comidas e bebidas para que os passageiros se sirvam. Fantástico, não? Eu mesmo abusei do suco de tomate e das barrinhas de cereal, mas houve quem tomasse algumas garrafinhas de vinho. Tudo muito rico, realmente um diferencial.

Completa a experiência o kit de bordo que tem uma venda para os olhos, uma escova e uma meia. No banheiro, tudo é muito pensado no passageiro, com amenidades que incrementam o voo. Outra coisa que me chamou a atenção foi o encosto para cabeça no assento, que é bem resistente e deixa a cabeça bem apoiada – veja uma foto abaixo.

031

Kit de viagem da econômica. Muito útil!

991

Encosto do assento bem rígido, evita que a cabeça balance muito e dá um bom apoio.

845

Menu com almoço, lanche, jantar e outro lanche

065

Sistema de entretenimento completo: o ICE

113

A primeira refeição do dia.

 

As horas vão passando e a experiência a bordo continua agradável, algumas horas antes de iniciar a descida é servida mais uma refeição completa. Ah, não comentei ainda, mas os talheres são de metal, personalizados para a Emirates, algo raro hoje em dia. Enquanto isso, o “céu” continuava estrelado.

Nesse momento, os passageiros se entretêm com o enorme conteúdo do ICE. Eu prefiro ler as manchetes do dia, que estão disponíveis no canal da BBC News. A seguir troco para o canal de informações do voo e ali estão expostos dados que outras empresas geralmente não colocam como o tipo do avião e até o seu prefixo. Como já vimos lá no começo desse relatório de experiência de voo, é possível que você assista a uma das câmeras colocadas do lado de fora do avião – no bico e na barriga. É claro, eu assisti o pouso por uma dessas câmeras.

Uma curiosidade interessante e inerente ao mundo árabe é que o sistema de entretenimento a bordo da Emirates apresenta uma rosa dos ventos, que indica a exata posição de Mecca, para onde os islâmicos direcionam suas orações.

Próximo ao pouso é servido mais um lanchinho, dessa vez uma fatia de pizza. Nosso pouso acontece em São Paulo um pouco adiantado, antes das 17h. Uma tarde nublada, diferente do sol de 48º que encontramos no deserto árabe.

 

124

Várias opções de entretenimento

922

Cordialidade é a marca do serviço de bordo

886

Primeiro lanche!

939

O “céu” da Emirates é sempre estrelado.

902

Banheiro com suas amenidades.

853

Mesa cheia na galley durante todo o voo.

848

Bebidas e frutas a vontade.

952

Nossa segunda refeição completa.

1009

E o último lanchinho antes do pouso.

1051

Motores cortados, chegamos!

 

Recomendamos muito a empresa. Veja mais fotos:

 

Carlos Ferreira

É profissional de marketing e pesquisador de temas relacionados à aviação há quase duas décadas. Leva a câmera fotográfica para onde vai e faz mais fotos de aviões do que dos passeios. Responsável pela linha editorial da revista eletrônica AEROIN.net.

Comente