Grupo Lufthansa registra melhor primeiro trimestre em ganhos desde 2008.

“Estamos continuando nossa trajetória de sucesso no primeiro trimestre do ano e atingimos um novo bom resultado”, disse Ulrik Svensson, CFO (Chief Financial Officer) do Grupo Lufthansa, ao apresentar os resultados financeiros do grupo para os três primeiros meses do ano.  “Para um período que é tradicionalmente difícil para as companhias aéreas, nós registramos nossos primeiros resultados positivos desde 2008. O bom resultado é principalmente atribuído às tendências favoráveis na Lufthansa Cargo e ao crescimento expressivo na Lufthansa Technik. O que revela a força da nossa ampla configuração como um grupo de aviação.”




“Com as nossas companhias aéreas”,  Svensson continuou, “estamos vendo um desenvolvimento positivo no ambiente de preços e um aumento significativo do faturamento do tráfego. Ao mesmo tempo, no entanto, nós não podemos estar satisfeitos com o desenvolvimento de custos das nossas companhias aéreas. Então, vamos manter um claro e consistente foco em custos. Nosso ganho positivo no primeiro trimestre foi causado por resultados não-operacionais. É importante que mesmo sem eles, ainda fomos capazes de registrar um crescimento no resultado do primeiro trimestre.”

Consolidação total da Brussels Airlines

O faturamento total do primeiro trimestre do Grupo Lufthansa atingiu 7,7 bilhões de euros, um aumento de 11,2% em relação ao mesmo período do ano passado. Com o aumento do número de passageiros em substanciais 13% e as vendas da carga em alta de 8,3%, o faturamento do tráfego primeiro trimestre aumentou 10,9%, passando para 5,8 bilhões de euros. 4,9 pontos percentuais de aumento podem ser atribuídos ao faturamento do tráfego da Brussels Airlines, que foi totalmente consolidada em 1.o de janeiro de 2017. Isso também aumentou a força de trabalho do Grupo Lufthansa para aproximadamente 129 mil colaboradores.

A principal previsão de EBIT Ajustado foi de 25 milhões de euros no primeiro trimestre, um aumento de 78 milhões de euros em relação ao mesmo período do ano passado. O EBIT para o período foi aumentado em 65 milhões de euros para 16 milhões de euros. O resultado líquido para o período atingiu 68 milhões negativos (Q1 2016: EUR -8 million).

No primeiro trimestre, o total de gastos com combustível chegou a 1,2 bilhão de euros, 13% acima do nível do mesmo período do ano passado. Os custos unitários de moedas constantes não combustíveis nas linhas aéreas do Grupo aumentaram 1,4%. O aumento se deve a vários fatores, particularmente aos custos mais elevados de MRO na Lufthansa German Airlines e na Austrian Airlines, assim como alta nos custos relacionados aos passageiros como resultado do aumento da taxa de ocupação. Contra uma alta de 9,5% de capacidade, o faturamento da unidade de moedas constantes caiu 1,1%. Em março, as companhias aéreas do Grupo Lufthansa viram um aumento nos rendimentos pela primeira vez desde 2013.




Companhias aéreas de rede publicam resultados mais fracos

As companhias aéreas de rede do Grupo Lufthansa aumentaram o faturamento no primeiro trimestre de 224 milhões para 4,9 bilhões de euros. O EBIT ajustado para o período caiu 76 milhões de euros para 40 milhões de euros negativos contra uma base comparativa forte do ano anterior, que incluiu um item não recorrente na Austrian Airlines. Lufthansa German Airlines registrou um EBIT ajustado para o primeiro trimestre de 12 milhões de euros negativos (queda de 57 milhões de euros), enquanto a Austrian Airlines reportou um EBIT ajustado de 59 milhões de euros negativos (queda de 29 milhões de euros). SWISS, ao contrário, aumento o EBIT ajustado para o período de 14 milhões de euros para 35 milhões, e permanece como a companhia aérea do grupo com a maior margem de lucro.

Resultados das companhias aéreas ponto-a-ponto no mesmo nível do ano anterior

Tendo aumentado as capacidades em 113%, as companhias aéreas ponto-a-ponto do grupo praticamente dobraram o faturamento do primeiro trimestre, uma alta de 81%. Como complemento ao crescimento orgânico, os números positivos se devem em particular à consolidação da Brussels Airlines. O faturamento de unidades de moeda constante caíram 13,4%. Como os custos unitários foram reduzidos também, o EBIT ajustado das companhias aéreas ponto-a-ponto de 132 milhões de euros esteve bem em linha com o ano interior.

Companhias de serviço levam ao desenvolvimento de resultados positivo

O desenvolvimento positivo do EBIT ajustado é primeiramente atribuído às melhorias na Lufthansa Cargo e na Lufthansa Technik. Lufthansa Cargo se beneficiou de uma boa recuperação na demanda de carga e pelos primeiros frutos do programa de redução de cursos e aumento o EBIT ajustado para o período de 52 milhões de euros para 33 milhões de euros. Lufthansa Technik aumentou tanto o faturamento quanto a margem (9,4%) para registrar um EBIT ajustado de 137 milhões de euros, um aumento de 50 milhões de euros sobre o primeiro trimestre de 2016. Apesar da reestruturação de custos, o Grupo LSG registrou resultados que, em 2 milhões de euros negativos, estava bem em linha com os 2 milhões de euros do ano anterior. As outras companhias do grupo e funções centrais aumentaram os ganhos do primeiro trimestre (incluindo câmbio e efeitos de consolidação) em 58 milhões de euros versus o valor do ano anterior 29 milhões de euros.




Desenvolvimento sólido de indicadores financeiros chave

O resultado operacional melhorado e as fortes reservas antecipadas aumentaram o fluxo de caixa das atividades operacionais do Grupo em 49.5%, chegando a 1,6 bilhão de euros.  Fluxo de caixa livre praticamente dobrou para 1,1 bilhão de euros, apesar de um aumento de 5,7% nas despesas de capital.  O débito financeiro líquido foi reduzido para 1,9 bilhão de euros, 28,7% menor do nível registrado no fim de 2016. A razão patrimonial também declinou para 17,9% cerca de 2,7 pontos percentuais menos do que o nível registrado no fim de 2016. Isso é resultado do total do balanço patrimonial ampliado de um novo empréstimo nota promissória, a consolidação da Brussels Airlines e a tendência favorável de reservas antecipadas.

Disposições em matéria de pensões aumentaram 3,5% comparada com o fim do ano de 2016 para 8,7 bilhões de euros, como resultado de uma redução de 0,1 pontos percentuais nas taxas de desconto atuariais. A contribuição inicial de 1,6 mil milhões de euros para o fundo de pensões de contribuição definida para os comissários de bordo da Lufthansa German Airlines não está ainda contabilizada e só será refletida no balanço posteriormente. Isto reduzirá então o total do balanço outra vez e melhorará a relação da equidade em conformidade.

Perspectiva

“Apesar dos resultados fortes no primeiro trimestre e a boa perspectiva de reservas nas companhias aéreas, nossa orientação para todo o ano de 2017 permanece inalterada”, disse Ulrik Svensson. “Em nossas companhias aéreas, ainda não temos visibilidade suficiente nas reservas do importante terceiro trimestre.”

Para todo o ano de 2017, o Grupo Lufthansa espera registrar faturamento substancialmente maior e um EBIT ajustado levemente abaixo em relação ao ano anterior. Os custos de combustível, incluindo os da Brussels Airlines, devem crescer algo em torno de 500 milhões de euros. Com 4,5% de crescimento orgânico de capacidade e um aumento de capacidade geral de 12,5%, receitas constantes da unidade monetária devem cair menos que em 2016. E apesar do aumento dos custos unitários registrados no primeiro trimestre de 2017, o Grupo Lufthansa se mantém comprometido com o objetivo de longo prazo de reduzir os seus custos unitários de moeda constantes não-combustíveis, e vai continuar a perseguir continuamente este objetivo.

Pela Assessoria de Imprensa da Lufthansa

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é piloto e Bacharel em Ciências Aeronáuticas. Formado em Design e Performance de Aeronaves pela California State University Long Beach e Segurança da Aviação pela Western Michigan University. Membro da AOPA e da AIAA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *