IBAS 2017 espera movimentar R$ 1 bi em negócios.


Com investimento superior a 3 milhões, o IBAS – International Brazil Air Show vai congregar importantes agentes para discutir as perspectivas e soluções para o setor. No Brasil, o setor aéreo contribui com 1,3% do PIB, além de ser responsável por cerca de 1,6 milhão de empregos, incluindo o trade turístico. “O mercado brasileiro apresenta enormes oportunidades de desenvolvimento. Um exemplo é o investimento de R$8,5 bilhões nos próximos anos, previsto pelo BNDES, no processo de concessões de aeroportos”, destaca Paula Faria, diretora executiva da Sator, organizadora do evento.

Em novembro, o Governo Federal anunciou a concessão de mais quatro aeroportos. “Nossa expectativa é movimentar negócios da ordem de R$ 1 bilhão durante os cinco dias”, afirma Paula.

O mercado brasileiro é bastante promissor. As empresas nacionais possuem mais de 600 aeronaves na aviação comercial, sendo que a frota executiva brasileira é a terceira maior do mundo, com 1.650 aeronaves, atrás apenas do México e dos Estados Unidos. Isto significa que 5% da frota executiva mundial está em terras brasileiras.

FUTURO

De modo geral, o otimismo é palavra de ordem para o mercado de aviação brasileiro. O Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil calcula que até 2020 o Programa de Aviação Regional deve receber R$ 1,2 bilhão em investimentos, R$ 300 milhões por ano a partir de 2017. São fundos do FNAC (Fundo Nacional de Aviação Civil), composto por taxas e outorgas da aviação, e que só podem ser investidos no próprio setor.

Coroando a boa fase, a Embraer, 3ª fabricante de aeronaves do mundo, atrás apenas de Boeing e Airbus, anunciou, em 2014, o lançamento de um fundo de investimento em participações para o setor aeroespacial, em conjunto com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e outros dois parceiros, com patrimônio inicial de R$ 131,3 milhões. Só em 2015, o BNDES destinou cerca de R$ 1 bi de desembolso direto ao setor aeronáutico.

A Boeing declarou recentemente que as Perspectivas de Mercado 2015 (CMO) preveem que as companhias aéreas da América Latina comprarão mais de 3 mil aeronaves, avaliadas em US$ 350 bilhões, ao longo dos próximos 20 anos – sendo que mais de 40% serão destinadas a empresas brasileiras.

NEGÓCIOS

Segundo o Air Transport Action Group (ATAG), um terço de todo o comércio global em valor é transportado por via aérea e a aviação é um componente-chave dos negócios globais. Para se ter uma ideia, em 2014 quase 120 milhões de passageiros foram transportados em voos domésticos e internacionais. O setor de aviação, e correlatos, gera 1,2 milhão de empregos. Se adicionarmos a área de turismo à lista, o número chega à 1,6 milhão.

O IBAS contará com uma programação desenvolvida especialmente para atrair o público internacional para o evento, como rodadas de negócios, debates e seminário.

Pela primeira vez no Brasil, o Wings of Change (WoC) reunirá os líderes da indústria de transporte aéreo, autoridades aeronáuticas e representantes do setor público, executivos de companhias aéreas e aeroportos, órgãos reguladores, prestadores de serviços e autoridades de turismo para discutir as oportunidades e desafios da indústria da aviação. O WoC é organizado pela IATA (Associação Internacional de Transporte Aéreo), entidade que congrega cerca de 265 companhias aéreas no mundo, o equivalente a 83% do trafego aéreo total.

O Flight Deck Matters, iniciativa do IBAS – International Brazil Air Show, terá como objetivo debater os desafios para a viabilização de operações efetivas na aviação geral, simplificando os processos e procedimentos realizados pelos pilotos e formação de mão de obra. Além disso, irá discutir os entraves atuais da infraestrutura destinada ao setor e o desembaraço de processos regulatórios, administrativos e aduaneiros do segmento. As discussões proporcionarão uma visão clara dos novos desafios, ameaças e oportunidades do setor, analisando novas exigências de compliance, cenário e prognósticos de futuro de curto, médio e longo prazo

O Business Aviation Trends tem como propósito principal estimular debates sobre as tendências de otimização e utilização de aeronaves, além de discutir sobre temas importantes para ampliar a utilização da aviação de negócios na América Latina, tendo em perspectiva a importância da aviação geral como vetor de desenvolvimento econômico e mostrando o potencial da aviação executiva como precursora de empreendedorismo, gerando renda para todo o país.

O Aerospace Day, seminário realizado pelo IBAS em conjunto com o Parque Tecnológico São José dos Campos, possui o foco na cadeia aeroespacial e o desenvolvimento econômico do setor, o seminário busca mostrar o potencial do setor aeroespacial no Brasil e as oportunidades do mercado brasileiro para este ramo. Entre os temas abordados estarão questões referentes aos atores principais do mercado aeroespacial brasileiro, as oportunidades de negócios no país, inovação no mercado, diretrizes para fornecedores, entre outros.

O IBAS também traz o seminário Women in Aviation com a finalidade de promover discussões a respeito do incentivo à participação das mulheres na aviação na América Latina, e reconhecer as pioneiras que trouxeram contribuições históricas para o setor.

A Secretaria de Aviação Civil brasileira escolheu o IBAS para sediar seu 1º Seminário de Tecnologia e Inovação para Aeroportos, que busca debater e apresentar as últimas novidades tecnológicas que podem melhorar o desenvolvimento das operações aeroportuárias no Brasil.

ENTRETENIMENTO

Para os amantes da aviação, mas que não necessariamente estão inseridos no universo de negócios e debates do segmento, o IBAS preparou uma programação especial com exposição de aeronaves e equipamentos, simuladores de voo, atividades recreativas, espaço kids, venda de souvenirs e exposições culturais.

O IBAS também será palco da 1ª Edição do Prêmio CAB – Confederação de Aerodesporto Brasileiro – que reconhecerá os atletas e envolvidos que fazem do Aerodesporto a sua porta de entrada na Aviação Brasileira e Mundial. A CAB irá conferir Diplomas aos 10 primeiros classificados de cada modalidade aerodesportiva, aos recordistas nacionais e internacionais, às celebridades e defensores do Aerodesporto de 2016. Dentre os homenageados estão paraquedistas, pilotos de balão, parapente, asa-delta, ultraleves, aeromodelos, paramotores, planadores, acrobatas e novas modalidades, que com técnica e profissionalismo colorem o nosso céu de norte a sul.

Inspirado em eventos consagrados como o francês Le Bourget e o chileno International Air & Space Fair (FIDAE), o IBAS ocupará uma área de aproximadamente 50 mil m2 no Terminal 1 de passageiros e espera receber cerca de 80 mil pessoas. De 29 a 31 de março o acesso será restrito aos profissionais e empresários do setor aeronáutico; já nos dias 1º e 2 de abril, o evento será aberto ao público, com venda de ingressos na bilheteria. “Por tudo o que o Brasil representa para o segmento, o país merece um evento desta grandiosidade”, reforça Paula Faria.

A organização está preparando uma série de apresentações no Galeão e na Praia de Copacabana. Em breve a grade com a programação estará disponível.

Informações da Assessoria de Imprensa do IBAS.

Luis Neves

É agente de turismo e acompanha a evolução da aviação brasileira desde o final da década de 80. Fotografa tudo o que voa e tem uma das maiores coleções de fotos de aviação do Brasil.

4 Comments:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *