Aeroporto de Curitiba/Afonso Pena tem alta de 9% nas importações.

O terminal de logística de carga (Teca) do Aeroporto Internacional de Curitiba/São José dos Pinhais – Afonso Pena (PR) registrou crescimento de 9,09% na movimentação de volumes importados no primeiro semestre deste ano ante o mesmo período de 2016. De janeiro a junho, o complexo logístico recebeu 5.653,6 toneladas (t) de cargas, ante as 5.182,3 t armazenadas nos seis primeiros meses do ano passado.




Entre as principais cargas movimentadas no setor de importação do Teca de Curitiba, destacam-se insumos para automóveis, peças e partes automotivas – incluindo caminhões, ônibus e equipamentos agrícolas –, equipamentos eletrônicos e de informática, partes e peças para elevadores, esteiras e escadas rolantes, materiais para a indústria cirúrgica e produtos químicos. Essas mercadorias vêm de países como França, Alemanha, Suécia, EUA, Espanha, Itália e Argentina.

De acordo com o superintendente do aeroporto Afonso Pena, Antonio Filipe Bergmann Barcellos, o complexo logístico do Afonso Pena movimenta uma grande variedade de cargas, atendendo a diversos setores da indústria e fomentando o desenvolvimento do estado, da região e do país. “Este crescimento é uma ótima notícia em meio ao período que estamos vivenciando e sinaliza uma melhora na atividade econômica do país”, afirmou.

Complexo logístico do Afonso Pena

O Teca de Curitiba foi inaugurado no ano de 1974, sendo o primeiro complexo logístico da Infraero. Conta com uma área total de 34 mil m², sendo 17 mil m² de área construída e 3.364,96 m² para armazenagem. O espaço inclui câmaras refrigeradas e uma estrutura de 600 m² para o recebimento de cargas vivas. O terminal de cargas do Afonso Pena é um dos três complexos logísticos aeroportuários do Brasil aptos para o armazenamento de cargas vivas – os demais são os Tecas do Aeroporto de Viracopos (SP) e do Aeroporto do Galeão (RJ).

Entre os equipamentos disponíveis para a movimentação de cargas no Afonso Pena, há empilhadeiras a combustão e elétricas, transpaleteiras elétricas e manuais, niveladoras de docas, plataformas elevatórias, racks fixos, porta-paletes, trator, carreta de reboque tipo dolly, carreta de reboque tipo prancha, carreta de reboque tipo bagagem, balanças diversas, cofre, guincho para trator, equipamentos de raios x, varredeira e termohigrômetros.
Informações pela Assessoria de Imprensa da Infraero.

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é assessor de editoria do AEROIN.

Comente