Ipanema 203 estreia na Agrishow após certificação.

Embraer Ipanema 203 01

A Agrishow 2016 será o primeiro evento da nova aeronave agrícola desenvolvida pela Embraer, o Ipanema 203, depois de o modelo receber a homologação da autoridade aeronáutica. As primeiras cinco aeronaves foram entregues ainda em dezembro passado, e os clientes já começaram a operá-la para a atual safra, em diversas aplicações.

A expectativa de negócios é favorável, dado o feedback obtido em 14 eventos de apresentação em diferentes cidades do interior do Brasil, quando cerca de 200 pilotos realizaram voos de testes.

“Diversas funcionalidades que anunciamos no ano passado agora já estão incorporadas à aeronave e poderão ser conhecidas pelos visitantes da Agrishow”, explica Alexandre Solis, diretor da Unidade da Embraer em Botucatu, onde o Ipanema é produzido. “O significativo aumento de produtividade, o conforto superior para o piloto e o menor custo operacional do mercado oferecido pelo novo modelo têm atraído os olhares de novos clientes”. O Ipanema é a única aeronave do mundo produzida em série para voar movida a etanol.

A aeronave já está credenciada para ter até 80% do seu valor total financiado pelo Finame, linha de crédito fornecida pelo BNDES para maquinário agrícola.

Líder no mercado de aviação agrícola no Brasil, o Ipanema é utilizado principalmente na pulverização de fertilizantes e defensivos agrícolas, evitando perdas por amassamento na cultura e flexibilizando a operação. As principais culturas que têm demandado o avião são: algodão, arroz, cana-de-açúcar, citrus, eucalipto, milho, soja e café. Ele também pode ser utilizado para espalhar sementes, combater vetores e larvas, no combate primário a incêndios e povoamento de rios.

 

Sobre o Ipanema 203

O Ipanema 203 é uma evolução do produto que é líder em seu segmento, com mais de 60% do market share no Brasil e mais de 1.360 unidades vendidas. O novo modelo possui dois metros a mais de envergadura de asa em relação ao anterior e hopper com capacidade 16% maior em volume. A nova envergadura da asa permite uma faixa de deposição 20% maior, o que aumenta ainda mais a sua produtividade.

No Ipanema 203 os winglets (pontas das asas) foram reprojetados, aumentando o controle e melhorando a eficiência da pulverização. O avião tem novo sistema de ar condicionado, cinto de segurança com air bag e cabine mais alta, com novo conceito ergonômico. As alavancas de comando e os pedais foram reprojetados, com ângulos mais suaves, que permitem controles ainda mais precisos. Tudo isso para facilitar o dia a dia do operador, permitindo que ele desempenhe seu trabalho com maior conforto e eficiência.

É a primeira reformulação do produto desde 2005, quando o Ipanema 202 se tornou a primeira aeronave produzida em série no mundo a sair de fábrica certificada para voar com etanol (álcool hidratado), mesmo combustível utilizado em automóveis. A fonte alternativa de energia renovável, derivada da cana-de-açúcar, reduziu o impacto ambiental e os custos de operação e manutenção e ainda melhorou o desempenho geral da aeronave, tornando-a mais atrativa para o mercado. Hoje, cerca de 40% da frota em operação é movida a etanol e aproximadamente 80% dos novos aviões são vendidos com essa configuração.

 

Ficha técnica – Ipanema 203

Comprimento das asas: 13,30 m
Envergadura da empenagem: 4,27 m
Altura máxima: 2,43 m
Comprimento da aeronave: 8 m
Diâmetro da hélice: 2,18 m
Capacidade do hopper: 1.050 litros

Características

Velocidade de Cruzeiro a 75% da PMC: 185 km/h ou 115 mph
Distância de decolagem / Corrida no solo: 254 m (nível do mar , 15°C Motor a etanol)
Distância de pouso: 214 m
Consumo de Combustível (melhor potência) Regime de 75% da PMC: 98,4 litros/h (26 US gal.) (motor a etanol)

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.