LATAM Brasil não cobrará por bagagem nos primeiros meses da regra.

Há alguns meses, o Grupo LATAM Airlines anunciou seu novo jeito de voar para voos domésticos em todas as operações, pelo qual o cliente terá mais opções ao escolher sua passagem, pagando apenas pelo que de fato necessita. Nesse sentido, alguns serviços que sempre foram cobrados de todos os passageiros passarão a ser opcionais. Exemplos desses serviços são o despacho de bagagem, a seleção de assento e a alimentação a bordo.




Para dar início à implementação dessa nova estratégia, a partir do dia 14 de março, a LATAM Airlines Brasil alterará suas regras de bagagem com relação à franquia permitida por passageiro e à cobrança do excesso. As novas regras adaptam os processos da companhia à revisão das Condições Gerais de Transporte Aéreo (CGTAs), aprovada pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) em dezembro de 2016.

“A experiência internacional mostra que os preços das passagens caíram e mais pessoas passaram a usar o transporte aéreo onde a bagagem despachada é cobrada à parte. Com o novo jeito de voar, a LATAM e suas filiais projetam reduzir em até 20% as tarifas mais baratas disponíveis para seus voos domésticos até 2020, consolidando sua importância para o desenvolvimento do turismo na região e contribuindo para o crescimento do tráfego aéreo. Nossa meta é aumentar em 50% nossos passageiros transportados até 2020”, afirma Cláudia Sender, CEO da LATAM Airlines Brasil.

Nos últimos 10 anos, a LATAM e suas filiais diminuíram em cerca de 50% suas tarifas mais baixas em suas rotas domésticas, triplicando o tráfego aéreo na região. “No caso do Brasil, nossas tarifas médias caíram cerca de 60% na última década, permitindo o acesso a milhões de passageiros ao transporte aéreo. Nosso objetivo é seguir avançando neste caminho. Com as mudanças, nossos passageiros poderão escolher como voar e poderão voar mais vezes, o que resultará num crescimento de todo o tráfego aéreo”, completa Claudia Sender.

Para ajudar o cliente a se adaptar a esta nova dinâmica e garantir uma excelente implementação do novo processo, durante os próximos meses o despacho da primeira bagagem de 23 quilos ainda será gratuito e a cobrança será apenas sobre o excesso. “Queremos dar tempo ao cliente para que se acostume com nossos novos procedimentos antes de iniciar a cobrança da primeira mala em voos domésticos”, comenta Adriana Gomes, Diretora de Marketing da LATAM Airlines Brasil.

Ainda este ano, em data a ser comunicada posteriormente, a LATAM iniciará a cobrança também da primeira mala em voos domésticos.

Mudanças confirmadas a partir de 14 de março de 2017:

1) Bagagem de mão: para viagens realizadas a partir de 14 de março, há aumento no peso da bagagem permitida a bordo das aeronaves em todos os voos, passando de 5 para 10 quilos por passageiro (exceto Premium Business e Premium Economy, que mantém a franquia de 16 quilos). As regras relacionadas às dimensões da bagagem de mão seguem inalteradas: no máximo 55 cm x 35 cm x 25 cm (altura x largura x espessura).

2) Bagagem despachada: nos primeiros meses, os clientes que emitirem bilhetes a partir do dia 14 de março terão direito a despachar um volume de até 23 quilos em voos dentro do Brasil e de/para a América do Sul. Para os demais voos internacionais, os clientes poderão despachar até dois volumes de 23 quilos cada. Já os clientes nas cabines Premium Business e Premium Economy poderão transportar até três volumes de 23 quilos. As regras relacionadas às dimensões da bagagem despachada seguem inalteradas, onde largura + altura + comprimento somados devem ter até 158 centímetros.

3) Excesso de bagagem: há alteração no pagamento do excedente de bagagem a partir do dia 14 de março, seja pelo call center, site ou pessoalmente no aeroporto. A cobrança será mais simples e feita por meio de taxas fixas por peça, por faixa de peso e/ou por tamanho excedente. Os valores variam de acordo com o tipo de voo: doméstico, América do Sul ou internacional.

Segue um resumo das novas regras e cobranças, com os respectivos preços que entrarão em vigor em 14 de março:

Os clientes do programa LATAM Fidelidade das categorias Gold, Platinum, Black e Black Signature terão benefícios diferenciados relacionados à franquia de bagagem e, novamente, a companhia fará as mudanças em fases para que o cliente tenha tempo de se acostumar com os novos procedimentos.


* todos os volumes citados equivalem até 23kg cada

Todos os detalhes poderão ser consultados no site da companhia:
www.latam.com/suabagagem

 
Informações pela Assessoria de Imprensa da LATAM Airlines Brasil.
 

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é assessor de editoria do AEROIN.

35 Comments:

  1. Dependendo da atitude das concorrentes, o hibrido LATAM vai continuar a perder espaço no mercado brasileiro.

  2. Nada como um artigo do Aeroin para explicar as coisas para o publico em geral!
    Não se trata de exploração ou qualquer outro motivo,apenas dar opções para o cliente,ele paga por aquilo que usa!

  3. Vai continuar cobrando… todo mundo paga por uma franquia que nem todos usam, a opção de poder escolher quantos kgs de bagagem levar faz bem ao bolso, a concorrênçia vai demonstrar isso.

  4. Engraçado, ate umas horas atras LATAM havia anunciado que cobraria “a partir de 50 R$” por cada mala despachada 😉

  5. Depois que viu a repercussão negativa nas redes sociais!

  6. Se eu entendi direito, vai valer mais a pena levar duas malas de 23kg do que apenas uma de 46kg.
    Levando duas de 23k dá um total de R$ 130,00 (50 reais pela primeira e 80 reais pela segunda)
    Se levar apenas uma de 46kg vai pagar R$ 250,00 (50 reais pela mala mais 200 reais de excesso)
    Meu raciocínio está correto???

  7. Eu fico só pensando nas pessoas aqui se a Ryanair, Vueling, EasyJet entrassem no mercado brasileiro e cobrassem por tudo separadamente. Os amigos irião ter um ataque do coração. Só deixando claro, muitas empreses consideradas Legacy cobram por bagagem, por assento e esse tem preços diferenciados em distintas partes da aeronave, cobram por bebidas, sanduíches e por ai vai. Não vejo nada demais cobrar por bagagem despachada ou cobrar por catering.

    • Posso estar enganado, mas a Ryanair cobra, porém suas passagens são mais baratas.. no caso do Brasil simplesmente elas poderão cobrar.. bom seria se alguma delas anunciasse passagem mais barata… No Brasil não tem empresa loe coast, Azul, Avianca, Gol, Latam… Todas revezam no preço.. já fiz a mesma rota com 3 companhias diferentes no preço mais baixo.

  8. Duvido que o preço caia, aqui é Brasil pessoal!

  9. Rafael Pereira não vai cobrar combustível de graça vamos abrir uma CIA aérea em sociedade o que acha?

  10. Uauuuuu , que lindo, me amarro nessas máquinas .

  11. Pingback: Novas regras na Aviação Civil Brasileira: Veja em detalhes o que muda. - AEROIN

Comente