LATAM anuncia grande ajuste em sua malha aérea internacional.

lantam
Alinhado com o plano estratégico de oferecer a melhor conectividade a partir da América Latina, o Grupo LATAM Airlines prepara seis novas rotas internacionais para o último trimestre de 2015 e o ano de 2016. Os novos destinos fortalecerão a malha internacional do Grupo entre a América Latina e a América do Norte, o Caribe, a Europa e a África. Já no Brasil, a TAM readequará a sua malha aérea internacional e vai privilegiar os mercados mais promissores para enfrentar o cenário econômico desafiador do país.

“O Grupo LATAM tem o compromisso de ampliar a conectividade dos seus clientes em toda a América Latina. A dimensão do Grupo, presente em diversos países da América Latina, é o que nos permite combinar flexibilidade, capilaridade e conectividade para abrir novas rotas mais promissoras, realizar remanejamentos estratégicos em toda a nossa rede de voos e, ainda, promover readequações nos mercados onde há retração da demanda”, comenta Claudia Sender, presidente da TAM S.A.

Nesse sentido, as mudanças da TAM no Brasil começarão pelo cancelamento da rota Belo Horizonte–Miami, que vinha sendo operada com três frequências semanais, a partir de março de 2016. A TAM seguirá oferecendo ao público mineiro opções de rápida conexão em outros hubs (centros de conexão internacional) do Grupo LATAM, sobretudo a partir de Brasília, que já conta com voos regulares e diretos para Buenos Aires, Miami e Orlando. Para melhorar a conectividade, o Grupo ainda aumentará de três para sete frequências semanais a rota Brasília-Orlando.

Já o voo São Paulo-Orlando será reduzido de onze para sete frequências semanais e passará a ser operado pelo novo Airbus A350 XWB a partir do segundo trimestre de 2016. O voo Manaus-Miami também terá readequação a partir de abril de 2016, passando de cinco para quatro frequências, enquanto a rota Fortaleza-Miami será ampliada de uma para duas frequências, ambos semanais.

A partir de fevereiro de 2016, a TAM também vai passar a operar voos diretos entre São Paulo e Bogotá, aumentando de sete para 11 o número de frequências semanais das empresas do Grupo LATAM nesta rota. Essa mudança ampliará também as opções de rápida conexão para os destinos caribenhos oferecidos a partir da capital colombiana. Paralelamente, a partir de janeiro do próximo ano, a empresa assumirá algumas operações do Grupo LATAM na rota São Paulo-Lima.

A partir de novembro de 2015, a LAN começa a operar a rota Santiago-São Paulo-Milão, e durante o ano já adicionou três novas frequências entre Santiago e Madri. Já a partir de junho de 2016, o recém-lançado voo da TAM entre São Paulo e Barcelona ganhará reforço e passará a ser diário, ampliando a conectividade entre a América do Sul e a Europa. E, finalmente, no próximo ano serão ampliadas de 14 para 17 o número de voos semanais da LAN Peru entre Lima-Miami, para reforçar a conectividade com todo o continente sul-americano a partir da capital peruana.

Como já anunciado, a TAM começará a voar entre Brasília e Punta Cana a partir de dezembro deste ano. Paralelamente, a TAM, aguarda a aprovação das autoridades para operar a rota entre São Paulo e Johannesburgo (África do Sul), que tornará o Grupo LATAM o único Grupo de empresas latino-americano com operações aéreas regulares para o continente africano.

 

As novas rotas internacionais do Grupo LATAM

O Grupo LATAM Airlines se prepara para aumentar a sua rede internacional de mais de 140 destinos em 2016 e fortalecer a conectividade da América Latina com outros mercados, operando pela primeira vez voos diretos da LAN Peru entre Lima e Washington D.C. Com este lançamento, a LAN Peru se tornará a única empresa aérea da região a ligar diretamente as capitais peruana e norte-americana.

A partir de dezembro de 2015, a LAN Peru também planeja lançar os voos diretos Lima-Montevidéu e Lima-Antofagasta. Adicionalmente, a LAN Colombia começará a operar a rota Bogotá – Punta Cana.

“Estamos muito contentes com esses anúncios, que representam um marco relevante para o Grupo. Com a LAN Peru, iniciaremos as operações para um quinto destino nos Estados Unidos, nos tornando a única empresa a conectar de forma direta Lima e Washington D.C., além de fortalecer as operações entre a América Latina e os EUA. Outra novidade para o Grupo é a possibilidade de incorporação de um novo voo entre São Paulo e Johannesburgo. A TAM está aguardando as aprovações por parte das autoridades para inaugurar a rota durante 2016, o que seria uma grande notícia para nossos passageiros e clientes de carga já que não existe não existe outro Grupo de companhias latino-americano que conecte a região e a África”, destacou Enrique Cueto, CEO do Grupo LATAM Airlines.

Confira abaixo os detalhes dos novos voos das empresas do Grupo LATAM Airlines em 2015 e 2016 já confirmados, aprovados pelas autoridades e no aguardo de aprovações:

latamrotas

11 Comments:

  1. Apesar de cancelamentos e menos frequencias entre destinos, nota se que o Grupo Latam investe pesado no Brasil. Esperamos que a crise se dissolva o mais rapido possivel, desta forma assim encrementando mais o mercado brasileiro com novos destinos e frequencias.

    • Oi Marco, desculpa discordar, mas ao que parece (se eu pudesse fazer uma previsao pelo que vejo do Grupo), é que eles vao exterminar a Tam, nao vao (e nem estao a) investir no Brasil, vao ficar com as rotas e com as “notas”. Quanto mais eu vejo o modus operandi da Latam aqui no Brasil, mais eu tenho certeza que eles vao só levar as divisas para o Chile. Golpe conhecido também com “Tomamos um cango”. Claro, isso é só minha opiniao baseada nas informacoes que chegam a nós, o público, mas há que se ler nas entrelinhas. Nossa crise será a desculpa perfeita para eles cortarem cabeças brasileiras, terceirizarem de montao, colocando muito menos gente que receberá salários muito menores, vao cortar nossas linhas lucrativas para justificar por que a Tam vai “oficialmente quebrar” e vao colocar a Lan em tudo. Quem viver verá. Já colecione sua memorabilia, porque nao vai ficar nem sombra brasileira a nao ser o que seja estritamente necessario legalmente falando. Honestamente espero que esta seja a previsao mais errada da minha vida. 🙂

    • Adriana Karady, interessante sua posição. Não havia olhado por este angulo. Bem, sabemos que os chilenos sonhavam com o maior mercado da America Latina, o Brasil. Acho tambem que eles não são tão ingenuos em deixar esse mercado sem investimento, isso seria cortar a propia carne. A TAM não valorizou o trabalho e sonho de seu fundador e entregou a aos chilenos. Não se pode esquecer tambem que há uma concorrencia de mercado interno e sabemos tambem que o maior portão de entrada para a America do Sul é o Brasil. Hoje há excelentes linhas aereas dos quatro cantos do mundo voando para o Brasil, crise a parte ainda somos o maior receptivo e emissor turismo/negocio na America Latina e a LATAM sabe disso e não vai arredar. Na minha mais honesta opinião, acho legal tais investidas da LATAM, mas no futuro proximo ela não será, como nunca foi uma excelente linha aerea. No Brasil entre as ruins, salvo a Azul, a TAM ainda é descente.

  2. Ano que vem vou para Cartagena e vou de TAM até Bogotá e de lá sigo de LAN, quero fazer um review desse vôo como posso enviar?

  3. Ana Lucia Couto, isso explica o porque o vôo BSB-PUJ estava com preço bom…

  4. CNF/MIA já entrou no ajuste… 🙁

  5. A posição geográfica do RN como ponto estratégico para a instalação do novo HUB da LATAM no Nordeste, é indiscutível basta lembrar da passagem do então presidente Franklin Roosevelt, aqui em Natal, durante a Segunda Guerra Mundial, que serviu como ponto fundamental para reconquista da Europa. (Trampolím da vitória) .

Comente