Linha Aérea Redentora irá iniciar voos da Pampulha para Brasília e Guarapari.

A partir do dia 15 de maio, a Linha Aérea Redentora irá iniciar voos entre Brasília e Belo Horizonte, com escalas nas cidades mineiras de Paracatu e Patos de Minas. Também já está programado o início de voos para a cidade capixaba de Guarapari, com saída de Belo Horizonte e escala em Manhuaçu-MG.




Os voos serão operados pela Apuí Táxi Aéreo, com aeronaves Embraer 110 Bandeirante com capacidade para 15 passageiros. A ideia do fundador, Wilson Pessoa, é conectar o interior à capital federal e à capital de Minas Gerais.

O nome da Linha Aérea é uma homenagem à Princesa Isabel, conhecida como Redentora, que rompeu os grilhões ao realizar a abolição da escravatura em 1888. Com demanda de empresários e diversas indústrias no meio oeste de Minas Gerais, a Linha Aérea Redentora irá inovar ao conectar o interior do estado às capitais.

Os voos serão realizados às segundas, quartas e sextas inicialmente, e o serviço de bordo será incluso. A parte operacional também ficará por conta da Apuí Táxi Aéreo, que já está montando base no Aeroporto da Pampulha em Belo Horizonte.

Confira abaixo a tabela com horários dos voos:

Origem Saída Destino Chegada
Brasília 06h30 Paracatu 07h15
Paracatu 07h35 Patos de Minas 08h15
Patos de Minas 08h45 Belo Horizonte 09h45
Belo Horizonte 15h05 Patos de Minas 16h05
Patos de Minas 16h35 Paracatu 17h15
Paracatu 17h30 Brasília 18h15

Iniciar uma linha aérea atendendo o interior do estado é um sonho antigo do senhor Wilson Pessoa, que, além de empresário, é aviador. Foram anos de tentativas de iniciar as rotas, desde uma tentativa de parceira com a então TAVAJ até finalmente encontrar parceria com empresários para o projeto decolar.

Existem planos também para voos nas cidades mineiras de Muriaé e Juiz de Fora, e posteriormente para os aeroportos cariocas de Jacarepaguá e Cabo Frio, todos os voos partindo do Aeroporto da Pampulha. Na alta temporada do verão existem planos para voos diretos entre Belo Horizonte e Guarapari, que é a praia preferida dos mineiros.

As passagens podem ser adquiridas através do site da Apuí clicando aqui.

Além dos voos de passageiros, a Linha Aérea Redentora irá realizar transporte de cargas em parceria com a DF Transportes, atendendo diversas empresas que operam nas regiões dos voos e que precisam realizar negócios em Brasília e Belo Horizonte.

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é piloto e Bacharel em Ciências Aeronáuticas. Formado em Design e Performance de Aeronaves pela California State University Long Beach e Segurança da Aviação pela Western Michigan University. Membro da AOPA e da AIAA.

54 Comments:

  1. Olha ai Alexandre Alves os Bandecos na linha.

  2. Dependendo do preço, eu embarco nessa!

  3. Não entendo como nenhuma aérea ousou até hoje um vôo entre MOC e BSB… Existem tantas pessoas que vão e vêm todo dia nos dois sentidos…. Temos duas empresas de ônibus, e nenhuma aérea teve essa iniciativa até hoje…

  4. Bom ver que tem quem acredite nas regionais de nicho .

    • Exatamente essa é a minha idéia ligar essas duas regiões de Minas com 1.000.000 de pessoas com a capital do Brasil e a capital de Minas em poucos minutos .meu nome Wilson mentor e idealizador do projeto

  5. Rafael Preato Antônio Carlos Filho Bianca Gonçalves

  6. Kkkkkkk a passagem deve ser o olho da cara com certeza.

  7. Muito bom mesmo! Era o que estava faltando para a população dessas regiões longes das capitais, que ate então eram esquecidas nesse sentido.

  8. Larissa Cristina guarapari não é perto da sua tia?

    • Esses preços são para uma aeronave de 15 lugares se fosse de 200 lugares seria bem mais barato meu nome Wilson mentor e idealizador desde 1998

    • Iniciativa e idéia louvável. Parabéns.
      Entendo o argumento de que são só 15 lugares, o custo operacional é alto e por isso o custo por passageiro também é alto. Torço pra que dê certo. Mas sinceramente acho pouco provável que seja viável com uma aeronave bandeirante. Talvez na rota BH – interior de Mg. Ideal que fosse no mínimo um EMB 120 Brasília.
      O custo é muito alto, mesmo pra quem viaja a negócios e serviço. Já na rota BH-Guarapari não vejo possibilidade. Até porque quem vai pra Guarapari não é bem o público que pode pagar 600 reais em uma passagem.

    • Ah, havia me me esquecido. No trecho Patos – BH o preço de vocês está 200 reais mais caro do que da empresa concorrente. R$ 600,00 contra R$400,00.
      Se não baixar, vai voar vazio.

    • O problema que o Embraer 120 ele depende de pista longas de 1800 mts para essas localidades

    • O nosso vôo não é subsidiado pelo estado por isso é mais caro , mais veloz , com lanche a bordo, com mais uma turbina em vez de uma são duas mais segurança , avião mais pesado e estável , mais espaçoso com lanches a bordo

    • A partir de 15 de maio o vôo da codemig não existirá mais

    • Fala bobagem não amigo. Pro Brasília são 1420 mts de pista pra decolagem a 4600 pés e 1650mts de pista pra pouso se lotado e com tanques cheios.

    • Obrigado amigo, por 600 reais não dá pra mim, vou continuar indo até aax e pagando 299 reais pra ir no atr72 da Azul pra cnf.

      • Wilson Pessoa de Carvalho

        Voar na parte da manhã de Brasília para BH nos horários das sete horas em diante até as 10.00hs para confins não existe passagens inferiores a 850.00 contra os nossós 747.00 direto para Pampulha