Neeleman leva TAP na briga dos Açores: voos diretos para os EUA

A TAP Air Portugal pretende abrir mais rotas no arquipélago dos Açores, inclusive para aeroportos norte-americanos, declarou David Neeleman em entrevista ao site LUSA. Seria a terceira companhia a realizar voos entre os EUA e o arquipélago português, complicando a situação da aérea local Azores Airlines.




Caso as novas rotas se confirmem, a TAP irá competir diretamente com a Azores Airlines (SATA) que realiza as rotas de Ponta Delgada nos Açores para Boston (MA), Providence (RI) e Oakland (CA) nos EUA, além Toronto e Montreal no Canadá. E assim como a Azores Airlines, a TAP deverá utilizar os novos Airbus A321neo/LR na rota.

“Nós estamos pensando em ter mais voos nos Açores, e possivelmente criar rotas do Açores para os Estados Unidos. Nós estamos pensando isto para o próximo verão (junho). Também estamos colocando mais aeronaves em Porto e podemos fazer outras coisas em Madeira” disse Neeleman.

A Delta anunciou em setembro do ano passado uma expansão em Portugal, com voos para os Açores e Lisboa. A companhia inicia em maio os voos entre Nova Iorque (JFK) e Ponta Delgada com o Boeing 757, e de Atlanta para Lisboa com o Boeing 767. Ambas as rotas serão sazonais e serão feitas até setembro deste ano.

Concorrência pode dar fim à Azores, que caso privatizada pode ir para a mão de Neeleman

© Airbus

Reportes apontam que a Azores está com dívidas de €200 milhões de euros, e que a companhia precisa urgentemente de injeção de capital para não deixar de pagar os empregados. A companhia sofreu nos últimos tempos com o Airbus A310, que deixou a empresa na mão por diversas vezes, inclusive resultando em uma semana de voos cancelados para Boston devido a problemas mecânicos na aeronave.

A aposta da companhia seria o novo A321neo que foi recentemente entregue, mas a aeronave não teve um bom começo: ficou parada por quase três semanas em Lisboa por falta de pagamento ao lessor (empresa dona da aeronave e que faz o leasing para a cia. aérea). Este problema atrasou em semanas o batismo da aeronave em Ponta Delgada.

A concorrência com a Delta e a TAP, que tem maior conectividade tanto nos EUA e na Europa por fazerem parte de grandes alianças, vai ser um grande desafio à Azores. Outro ponto é o possível fim do acordo interline com a JetBlue, que possui um hub em Boston e distribui os passageiros da Azores em seus voos, dando mais opções para os clientes da pequena aérea portuguesa.




A JetBlue por sua vez foi fundada e é controlada pelo brasileiro David Neeleman, que também controla a TAP e a Azul. Mesmo sendo da Star Alliance, a TAP hoje tem mais acordos com a JetBlue do que a United Airlines por exemplo. A concorrência direta na rota EUA – Açores pode levar que a americana favoreça a “irmã” TAP.

Outro ponto é a possível privatização da SATA, dona da Azores Airlines. Uma briga está sendo travada no meio político entre partidos de esquerda e direita, que são respectivamente contra e a favor da privatização parcial da SATA. Esta privatização seria feita com a venda de 49% do capital da empresa para um comprador a ser escolhido, nos moldes do que foi feito na TAP.

Durante o batismo do A321neo da Azores, governador regional dos Açores, Vasco Cordeiro, disse que o concurso/licitação para a venda do capital da SATA será feito neste mês de fevereiro, mas ainda não está nada confirmado e a oposição faz forte pressão contra a privatização da empresa. Rumores no início deste ano apontavam que o favorito para comprar metade da Azores seria o próprio David Neeleman, que pelo jeito está querendo dominar os Açores, seja com a TAP ou com a SATA.

Com informações dos jornais Portuguese American Journal, RTP Açores e Diário de Notícias (DN)

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é piloto e Bacharel em Ciências Aeronáuticas. Formado em Design e Performance de Aeronaves pela California State University Long Beach e Segurança da Aviação pela Western Michigan University. Membro da AOPA e da AIAA.