O momento da GOL e o que muda daqui para frente. Entenda! (+70 fotos)

339

Durante o evento de apresentação da nova identidade visual e dos novos serviços a bordo, Paulo Kakinoff, presidente da GOL Linhas Aéreas Inteligentes, concedeu uma entrevista coletiva à imprensa, onde tirou dúvidas e esclareceu muita coisa sobre a operação da companhia daqui para frente. Confira os principais destaques do que acontecerá na GOL nos próximos anos, bem como veja belas imagens do evento.

 

O momento atual da empresa 

Paulo Kakinoff ressaltou que a mudança da identificação visual resultou de um exercício de reflexão que os executivos e o conselho fizeram sobre o momento da empresa. Ele citou 13 resultados atingidos pela companhia que mostram sua evolução e sua maturidade. O resultado dessa análise da gestão foi a decisão por coroar todas essas conquistas com algo marcante, como a mudança da identidade visual.

Os itens citados por ele e que demonstram o grau de amadurecimento da empresa são: ser líder no transporte de passageiros, ter um processo de compra de passagens facilitada, operar no conceito fast-travel, ser uma empresa pontual, ter um produto diferenciado como é o Gol+, ampliar a malha de rotas e capilaridade no Brasil e Américas, reforçar alianças internacionais, disponibilizar o serviço de bagagem expressa, criação do serviço de apoio ao passageiro “Conte Comigo”, ter aplicativos de celular que sejam robustos e com geolocalização e as três novidades divulgadas recentemente, que são o wi-fi, o serviço de bordo e as novas poltronas.

 

Frota

Pauko Kakinoff informou que a empresa pretende manter a frota padronizada para os próximos anos, ou seja, composta exclusivamente de aeronaves do modelo Boeing 737.  Segundo ele, até 2023, a empresa deve receber entre 10 e 15 novos Boeing do modelo por ano, no entanto, não é possível afirmar nesse momento se as novas aeronaves aumentarão a frota ou se substituirão os modelos mais antigos, uma vez que, segundo ele, o ritmo será ditado pelo mercado.

Ele afirmou que a empresa deve receber mais 15 Boeing 737 NG para, então, começar a receber os modelos 737 Max – o que deve acontecer em 2017. Como o contrato entre a Gol e a Boeing permite alguns ajustes ao longo de sua vigência, dependendo do mercado, poderão ser considerados os Boeing 737-900 Max, que são mais maiores em comprimento e, portanto, capazes de transportar mais passageiros.

Por fim, quando questionado sobre a compra de aeronaves maiores, Kakinoff foi objetivo: a empresa não tem planos para aquisição de aeronaves de maior porte.

 

Rotas

Sobre novas rotas, Kakinoff citou, em dois momentos, a intenção de voar para Havana, Cuba (que aguarda aprovação dos governos de ambos os lados). Também informou que a empresa pretende expandir as operações internacionais, mas não deixou pistas sobre os potenciais destinos. A estrutura de “mini-hubs” continua, estando eles em Punta Cana e Caracas.

Quanto a alianças, nada foi divulgado, no entanto sabe-se que suas parceiras Delta e Air France-KLM são membros da Skyteam. Quanto à parceria com a TAP, em razão da recente privatização da empresa portuguesa, Kakinoff informou que ela continua até o final do contrato (a data não foi divulgada).

 

Novidades a bordo

Os snacks gratuitos serão introduzidos ao serviço de bordo no dia 24 de Julho de 2015. Conversamos com o superintendente de produtos da empresa Mãe Terra, Luigi Bavaresco, que nos explicou tratar-se de um produto desenvolvido exclusivamente para a Gol. Trata-se de um biscoito integral feito com ingredientes orgânicos e com um sabor sútil, mas bem agradável, como também pudemos experimentar.

Outra novidade fica por conta dos novos assentos, que serão revestidos por couro sintético, deixando o voo mais confortável. A distância entre os assentos permanece a mesma da atual, ou seja, com os espaços GOL+ em sete fileiras de assentos e as demais em tamanho padrão. Paulo Kakinoff pontuou que hoje a distância entre os assentos que a GOL pratica é a maior do Brasil, que lhe garantiu a classificação “A” da ANAC. A troca do assento em toda a frota deve levar 18 meses e será iniciada em Janeiro de 2016.

O sistema de entretenimento de bordo também será implementado a partir do primeiro trimestre de 2016 e toda a frota estará equipada em um prazo de 3 a 4 anos. A respeito da TV via satélite, Kakinoff se limitou a dizer que está em negociações com uma empresa, mas, por sigilo, não pode abrir agora a informações.

Quanto ao wi-fi a bordo, ele será operacionalizado pela empresa Gogo (a mesma que fornece serviço de dados para a Delta Airlines, acionista da Gol). Todas as aeronaves serão equipadas com uma antena e a conexão será via satélite, o que melhora a velocidade de transferência de dados quando em voo. A partir do wi-fi, os passageiros poderão realizar suas atividades profissionais ou de lazer, usando seus próprios dispositivos e, além disso, poderão acessar conteúdos que a Gol disponibilizará para compra, como filmes, por exemplo. Os preços e pacotes serão divulgados quando o serviço estiver mais próximo de ser disponibilizado, o que o presidente adiantou é que passageiros Diamante terão o serviço de forma gratuita.

Nos pareceu interessante saber que, uma vez conectado no wi-fi, o cliente GOL poderá ter informações sobre voos alternados, acompanhar a rota e, caso o voo seja cancelado, ele saberá detalhes sobre o que fazer, como a qual hotel ele deve se dirigir até que chegue o horário do voo para o qual foi alocado.

“Somos a mesma GOL, com o DNA de baixo custo, só que agora com mais serviços, produto superior e na vanguarda do setor”, destaca.

 

 

A nova logomarca e pintura

Segundo Kakinoff, a nova marca é uma evolução daquela que durante mais de 14 anos foi a cara da companhia, só que agora mais moderna e robusta. Foram preservados os principais elementos que compõem a identidade visual da companhia, como a cor laranja e o nome da empresa como logomarca. Os elos foram entrelaçados para representar a essência da GOL, que permanece a mesma desde a sua fundação: aproximar pessoas, histórias e destinos.

“O novo logo da GOL passa a contar agora com um símbolo, além do nome, que será facilmente identificado pelos clientes e associado a todos os valores e atributos da companhia” ressalta Marcus Sulzbacher, diretor de criação de design da AlmapBBDO e responsável pelo projeto da marca. “Este elo representa ainda a união, afinal, a GOL aproxima as pessoas a seus sonhos e destinos”.

O processo de repintura de toda a frota deverá levar entre 2,5 e 3 anos para estar concluído e, a partir de agora, todos os aviões novos que chegarem, já vêm no novo padrão de pintura.

Uma curiosidade super interessante. O voo inaugural dessa pintura foi realizado na rota Confins – Congonhas, e comandado por Jones Venzon, o primeiro piloto da companhia e que fez o voo inaugural da GOL no começo dos anos 2000. À sua direita a co-piloto Paula Petean (veja uma foto super legal que fizemos dos comandantes de fronte ao novo 737 nas novas cores).

 

 

O que não muda

Os uniformes da tripulação permanecem os mesmos, até por que foram mudados recentemente. Conforme o presidente Kakinoff mencionou, a mudança dos uniformes foi a primeira etapa dessa transição que estamos vendo a partir de agora.

O conceito “low cost, low fare” também permanece e a companhia informou que tem o compromisso de praticar os menores preços do Brasil.

 

Veja todas as fotos: