O que esperar da maior feira de aviação da América Latina, vem aí a FIDAE 2012

2012LOGOCpia

O QUE ESPERAR DO EVENTO DESSE ANO?

A contagem regressiva para uma das maiores feiras de aviação do mundo e a maior América Latina já começou e você embarcará conosco nesse grande evento internacional. Enquanto acionamos os motores para essa grande cobertura, vamos conhecer o que nos espera em Santiago, entre os dias 27 de Março e 1º de Abril.

Os temas que passarão pela FIDAE desse ano são bastante diversos, conferindo-lhe um ar de diversidade e vanguardismo. São empresas do setor de aviação militar e civil (incluindo-se aviação geral, executiva e linhas aéreas), setor de defesa territorial, da soberania e patrimonial, equipamentos e serviços aeroportuários, entre outros:

 

rubros

 

Aviação Civil-Comercial

Após passar por algumas turbulências produzidas pela crise financeira internacional, o mercado de aviação civil latino-americano se mostra bastante promissor. As boas projeções de crescimento do setor, as recentes encomendas das linhas aéreas da região e o incremento na demanda por jatos executivos têm gerado uma imagem muito positiva da região, quanto ao crescimento e modernização da frota.

Os grandes fabricantes de aeronaves comerciais (Airbus e Boeing) coincidem nas projeções de crescimento do mercado aeronáutico para os próximos 20 anos. De acordo com a Boeing, o tráfego aéreo dentro da América Latina crescerá aproximadamente 6,5% ao ano, sobrepassando a média mundial, de 4,9%. A Airbus, projeta que a venda de aeronaves aumentará anualmente mais de 5% na região, também superando a média global.

 

Aviação Executiva

Ao fazer uma descrição desse mercado na América Latina, é importante ressaltar que México e Brasil são dos os maiores e mais exigentes usuários da aviação privada do mundo e suas frotas atuais superam as da Europa e Ásia, tanto em unidades quanto em horas de voo.

A América Latina opera nesse momento aproximadamente 2.600 jatos executivos, dos quais cerca de 85% estão no Brasil, México e Venezuela. O potencial de renovação desta frota na próxima década é estimado entre 500 e 700 jatos de todos os tipos, num montante financeiro de US$6 bilhões. Esse potencial é calculado com base na situação atual da frota onde 45% tem mais de 20 anos de serviço e outros 15% têm entre 15 e 19 anos. Some-se a esses números a projeção de crescimento do setor de 4% a 6% ao ano. Considerando essas projeções, a FIDAE se traduz em uma interessante vitrine para que as empresas ofereçam suas novas tecnologias dentro da região.

civil

 

 

Defesa

Desde o início, a FIDAE tem mostrado sua vocação para os segmentos de defesa, tendo posicionado-se como um evento que congrega um significativo números de empresas relacionadas a essa indústria. Prova disso, tem sido a massiva participação de expositores, destacando aqueles vinculados à produção de sistemas de armamentos, simuladores de voo, UAV, veículos terrestres e mecanismos de comunicação e transmissão de dados, entre outros.

Através dos anos, a feira tem se consagrado como um grande referencial regional no âmbito da Defesa e suas cifras assim indicam: entre as versões de 2006 e 2010, o segmento experimentou um crescimento de 42,1%, no que se refere à participação de empresas desse segmento. 

Dita expansão tem suas origens no crescente volume de investimentos que a América Latina e o resto do mundo realizam nesse setor. Segundo o Instituto Internacional de Estudos para a Paz, de Estocolmo (SIPRI), o gasto regional com defesa aumentou em 40% na última década, enquanto que na Europa e Ásia o crescimento tem se sustentado estável em 10% e 12%, respectivamente. Nesse sentido, a importância da FIDAE é fundamental devido a que, além da demonstração in loco de produtos com aplicação para defesa aérea, terrestre e marítima, também provê espaços para análises das reais necessidades de cada continente, incentivando a transferência tecnológica.

Além disso, a FIDAE tem se tornado cada vez mais um ponto de contato entre representantes das Forças Armadas da América Latina e as companhias líderes da indústria, cuja estreita vinculação incentiva as relações de cooperação em nível científico, comercial e logístico.

defesa

 

Segurança Interna (Homeland Security)

Dado o aumento das ameaças internacionais como narcotráfico e o terrorismo, os organizadores do evento decidiram também incorporar um novo nicho na FIDAE, chamado de Homeland Security (Segurança Interna). Presente nas três últimas versões da Feira, o referido nicho ganhou mais um ponto de encontro entre a oferta e a demanda de tecnologias relacionadas a segurança da pátria. Na versão de 2012, o evento voltará a concentrar o que há de mais representativo nesta indústria. Pelos altos volumes financeiros que os países estão investindo em segurança, pode-se notar a importância do tema na América Latina.

Como exemplo, o Equador investiu cerca de US$22 milhões na compra de aviões não-tripulados (UAV), enquanto que a Argentina controlará o narcotráfico na fronteira norte  com um radar móvel e cinco aeronaves equipadas com elementos de alta tecnologia. O Chile, por sua vez, assinou uma Carta de Intenção para a cooperação com a Agência Federal Americana para o Gerenciamento de Emergências (FEMA), enquanto que o governo anunciou a aquisição de tecnologias de ponta como a aquisição de câmeras de tele-vigilância, escâneres corporais, entre outros, com fim de reforçar o controle e a vigilância tanto nas fronteiras como nos aeroportos e portos.

A FIDAE 2012 exibirá um amplo portfólio destes e outros produtos, dentro do que se pode enumerar: sistemas de vigilância, equipamentos policiais, mecanismos de proteção das fronteiras e sistemas de identificação, detectores e sistema de comunicação, entre outros. O propósito será proporcionar aos participantes uma perspectiva atualizada dos últimos avanços aplicáveis ao campo da segurança, envolvendo também os avanços nos procedimentos de prevenção e gerenciamento de desastres naturais como incêndios, tsunamis e terremotos.

homeland

Manutenção de Aeronaves

O mercado latino-americano durante a última década tem mostrado um crescimento sustentado na área da aviação civil, comercial e de combate. Devido a isto, um sem número de importantes empresas têm investido no negócio de manutenção.

E assim, hoje em dia, grande parte das companhias aéreas da América do Sul possuem seu próprio centro de manutenções, oferecendo serviços a terceiros. É o caso da LAN, Sky Airline, Avianca, TAM, GOL, TACA, entre outras.  Também cabe mencionar a brasileira EMBRAER que, recentemente, criou um centro de manutenção de aviões na China, para atender a seus clientes naquela região.

Produto de todos esses itens supracitados, a FIDAE congrega as empresas de manutenção mais importantes da região, provendo aos clientes e possíveis compradores uma ampla gama de serviços e variedades na hora de escolher com quem trabalhar.

manteni

Equipamentos e Serviços Aeroportuários

O nicho de equipamentos e serviços aeroportuários adquiriu uma importância chave na FIDAE. A maior prova disso é o significativo número de delegações do setor que vão á feira para estabelecer contatos e promover seus serviços.

Sua participação não é um feito recente e já vem repetindo-se durante os últimos anos , motivada pelo aumento do tráfego de passageiros na região e pelos novos investimentos em infraestrutura aeroportuária. O Conselho Internacional de Aeroportos (ACI) informou que os terminais aéreos da América Latina e Caribe prestaram serviços a mais de 368 milhões de passageiros, 1,5% a mais do que no ano anterior, sobretudo devido ao alto desempenho das linhas aéreas de baixo custo, às fusões entre companhias e aos acordos de céus abertos com a União Européia e os Estados Unidos.

Os recentes anúncios feitos pelos governos do México, Colômbia e Brasil, quanto à construção de novos terminais aeroportuários, melhorias nos que já existem e privatizações, tem despertado o interesse dos operadores domésticos e estrangeiros, que vêem a FIDAE como uma vitrine para a obtenção de informações sobre esses projetos e a oferta de soluções para os operadores.

aerop

 

Tecnologia Espacial

Desde o ano de 1990 a FIDAE incorporou o nicho espacial em sua vitrine, quando contou com a presença da NASA, em uma visita que se repetiria no ano de 1996 com a exposição da maquete do seu veículo especial Ambassador. Outras visitas que se poderiam destacar são a do Museu Russo do Espaço, no ano de 1994 e a presença de astronautas como Frnaklin Chang-Díaz e Kenneth Browersox, entre outros.
Na FIDAE 2010 esteve presente a Agência Espacial Russa (ROSCOSMOS), entidade de grande renome a nível mundial. E assim, grandes empresas internacionais ligadas à fabricação de satélites e tecnologia especial, têm demonstrado interesse em desenvolver esse campo no cone sul.

Nesse âmbito, o panorama regional se apresenta bastante promissor pois grande parte dos países da região se encontram realizando projetos espaciais e tendem a implantar tecnologias destinadas ao uso civil e militar. Brasil, Argentina, Chile, Peru, Venezuela e México estão imersos em projetos espaciais.

espacio

 

Expositores

Já são 489 expositores confirmados, dos quais 37 brasileiros (cujo pavilhão está sendo organizado pela APEX). “Esta é a primeira vez em que estamos organizando uma participação conjunta do Brasil na Feira, quando teremos todas as empresas reunidas em um só local e com uma identidade visual única. Nosso objetivo é mostrar aos compradores internacionais que o Brasil é um parceiro confiável e seguro nessa área, que oferece produtos de qualidade, competitivos e inovadores. A indústria brasileira, tanto na cadeia aeroespacial como na de defesa e também em softwares, é altamente desenvolvida”, afirma Mauricio Borges, presidente da Apex-Brasil.

 

Crescimento no número de expositores – 1980 a 2010

grafico

Conforme confirmado no dia 15/02 pelo diário chileno El Mercurio. É certo que a Boeing enviará o novíssimo 787, considerando que a LAN (que tem 32 encomendas e espera receber dois jatos do modelo ainda esse ano) é a lançadora do modelo na América Latina. Todos desejamos, inclusive, que a aeronave já venha nas cores da companhia chilena, para tanto, depende da entrega do avião antes da feira. Caso não haja tempo suficiente, a fábrica americana enviará um protótipo do seu Dreamliner.

 

Representação do 787 nas cores da LAN (fonte: Boeing)

LAN

Da Europa, o consórcio EADS apresentará seu rol de produtos para aviação comercial e transporte militar. Assim como no show aéreo de Singapura, a apresentação da Airbus deverá contar com modelos em escala do Airbus A350, além de um ambiente de realidade virtual que aproximará os profissionais do novo jato intercontinental. Também é esperada a presença do A318 Corporate Jet, do A330 para transporte militar e de um modelo em escala do A320 Neos, versão mais eficiente da família de jatos de médio alcance e que tem mais de 1.300 encomendas firmes desde seu lançamento, no fim de 2010, tornando-o um recordista de demanda. Também estão confirmadas duas estrelas da feira, o A380 e o A400M.

 

Interior do A318 Airbus Corporate Jet (fonte: Airbus)

800x600_1329453880_IMG_5035

 

Detalhe da maquete do A350 (fonte: Airbus)

800x600_1329295279_ADO_2752

Esperamos todos na FIDAE, a maior e mais importante feira de aviação da América Latina. FIDAE 2012: EXPERIÊNCIA FAZ A DIFERENÇA.

Fontes: FIDAE, Boeing, Airbus, Apex, El Mercurio,