Para ganhar o céu, mineira transforma comissárias em chaveiros.

O mundo da aviação é algo realmente encantador e surpreendente, mas ao mesmo tempo tem caminhos difíceis e turbulentos para se atingir o desejado cargo em uma empresa aérea: cursos caros, exigências altas e processo seletivo acirrado, somente para citar alguns empecilhos que fazem parte da carreira de um aviador ou aviadora.




Não foi exceção para Débora Oliveira. A jovem mineira de 27 anos é de família humilde e não tinha condições de bancar o sonhado curso de comissária. Sem apoio da família, para reverter a situação ela começou a fazer chaveiros personalizados de mini-comissárias em feltro. Começou a vender sua bela arte, que caiu no gosto de diversas comissárias no país.

 

Conhecemos sua história através de uma corrente que chegou ao WhatsApp de um de nossos editores. Conversamos então com a Débora sobre o seu trabalho e seus sonhos.

– Quando e como começou o seu sonho de ser­ comissária?

O despertar deste sonho se iniciou em outubro de 2016, quando meu namorado começou a trabalhar no call-center da Azul Linhas Aéreas, e em uma das etapas do treinamento fez uma visita à UniAzul, em Campinas. No retorno me mostrou todas as fotos e me contou sobre tudo que havia visto lá. Fique extremamente alucinada e senti um grande sentimento crescendo ali naquele momento. Sempre achei a aviação algo extremamente encantador, mas, por vezes, algo “intocável” para mim. Principalmente pelo fato de morar bem afastada do aeroporto e de vir de uma família mais humilde….

– Como é o apoio da s­ua família? Algué­m trabalha na aviação?

No início, quando contei para todos que havia escolhido fazer o curso de Comissário de Bordo no próximo ano de 2017, tive uma grande surpresa. Todos se opuseram à minha escolha. No início foi bem triste, esperava uma atitude diferente de  todos eles. Eles queriam que eu entrasse na faculdade e me julgavam “mais velha” para a profissão, pois já estou com 27 anos. E acho também que, por meus pais serem muito humildes, acharam que eu realmente não teria chance de entrar em uma empresa aérea, pois realmente não conhecemos ninguém que trabalha neste setor.

Porém, em um dia em que havia discutido esse assunto com minha mãe, ela me falou para parar de quebrar a cabeça com mais um curso que não me levaria a nada. Chorando fui ao banheiro e, olhando no espelho, prometi para mim mesma que iria provar a todos que eu seria capaz e que, sim, eu conseguiria dar orgulho a eles, sendo bem sucedida nesta nova profissão escolhida e tão batalhada. Com o passar dos meses todos foram vendo que realmente estou decidida a entrar nessa profissão e conheceram um pouco mais sobre este mundo da aviação. Com isso, hoje todos aprovam minha decisão e esperam ansiosos a conclusão do meu curso.

Gostaria também de ressaltar que, no meio deste caminho, pude encontrar pessoas lindas, e gostaria de deixar aqui também o meu agradecimento a uma pessoa muito especial. Quando resolvi ser comissária, pedi ajuda para várias moças que já estavam na profissão para saber sobre a carreira, e Deus me colocou uma amiga muito especial em meu caminho. Uma amiga comissária que me ajudou e continua me ajudando até hoje a não desistir deste meu sonho. Dhessyca, amiga, muito obrigada! Você foi meu presente da aviação!

– Como surgiu a ideia­ de fazer chaveiros e­m feltro?

Sempre gostei de fazer artesanato, e como estava pagando sozinha o curso de comissária + o curso de inglês, me vi realmente sem condições para pagar as outras dispensas, principalmente o CMA, pois com os dois cursos comprometi praticamente meu salário inteiro. Em um dia na internet vi um desenho bem fofo de uma comissária para colorir. Dali pensei, “poxa eu poderia fazer algumas para vender no curso para minhas amigas”. Desde então elaborei os moldes e fui melhorando cada dia mais as minhas bonequinhas até chegar como elas são hoje.

– Como tem sido o ret­orno sobre os seus pr­odutos? Realmente aju­da a realizar seu sonho?

O retorno já tem me ajudado muito! No momento estou juntando para pagar os exames do meu Certificado Médico Aeronáutico (inspeção de saúde necessária para tripulantes).

– E quais as expectativas e­ planos para sua carr­eira?

­Minhas expectativas são as melhores, pois acredito sim que, com muito esforço e dedicação, irei conseguir entrar nesta profissão tão sonhada e tão batalhada. Sei que este sonho não nasceu por acaso. Que quando chegar lá, vou olhar para trás e agradecer muito por todas as coisas que passei, e vou conseguir dar orgulho aos meus pais e a todos que me amam. No momento, estou me dedicando muito, principalmente no Inglês. Com muita fé e sabedoria espero que ainda este ano eu consiga ganhar minhas tão esperadas Asas!

É possível ajudar a Débora e adquirir os chaveiros contactando ela através da página de seu ateliê no Instagram, clicando aqui. Os chaveiros são personalizados e vendidos por R$15 + R$7 de frete para todo o Brasil.

 

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é piloto e Bacharel em Ciências Aeronáuticas. Formado em Design e Performance de Aeronaves pela California State University Long Beach e Segurança da Aviação pela Western Michigan University. Membro da AOPA e da AIAA.

19 Comments:

  1. Parabéns pela iniciativa, Débora!

  2. Historia show, servi como inspiração..

  3. Alessandra Comes Raquel De Gennaro

  4. Linda história vio , continue lutando pelo seu sonho que em breve vai chegar lá.

  5. Determinação é tudo . Parabéns e sucesso linda!!

  6. Ela vai ganhar as asas dela e em breve ela mesma vai fazer o chaveiro de boneca…. DELA MESMA! PARABENS PELA materia, a Debora é mt dedicada e humilde e nao tenho duvidas q vai conseguir as suas asas. Eu ajudei a divulgar tb no whats e no fb. Inclusive encomendei. A Debora vai longe!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *