Pesquisa revela que brasileiros gostam de usar tecnologia ao voar.

SITA Pesquisa Tecnologia

Passageiros das companhias aéreas no Brasil têm uma melhor experiência de viagem conforme usam a tecnologia ao longo de sua jornada. Segundo pesquisa divulgada pela SITA, empresa global de TI para o transporte aéreo, 81% dos passageiros no Brasil estão felizes – um salto em relação aos 72% no ano passado.

O levantamento 2016 SITA Passenger IT Trends Survey foi realizado em oito aeroportos internacionais no Brasil, que, juntos, gerenciam 63% de todo o tráfego de passageiros do país. Mostra que os passageiros do Brasil são muito positivos sobre o uso de tecnologia de autosserviço, incluindo reserva e check-in online e móvel; e mais da metade (51%) usa quando disponível.

Passageiros das companhias aéreas em todo o mundo estão tão confortáveis ​​com a tecnologia atual que estão optando por usá-la ao invés de interagir com as pessoas. Isso fica claro no Brasil, onde a SITA relata que 96% dos passageiros têm, pelo menos, um dispositivo móvel, um pouco acima da média global de 95%. Eles também têm pontuação alta no uso do serviço on-line e móvel em suas vidas diárias: 6,9 de 10.

Durante o ano passado, no Brasil, houve um salto significativo no uso de celulares para reserva, check-in e bilhete de embarque. E o apetite está crescendo. Olhando para o futuro, os passageiros esperam quase duplicar o uso dessas tecnologias móveis, com crescimentos previstos de 11% para 21% para reserva; 14% para 28% no check-in e 16% para 32% nos cartões de embarque.

Elbson Quadros, vice-presidente da SITA no Brasil, diz: “As companhias aéreas e aeroportos em todo o Brasil têm investido em tecnologia para ajudar a gerenciar um número crescente de passageiros e, ao mesmo tempo, melhorar a viagem. Os benefícios são claros – os passageiros são mais felizes à medida que mais e mais usam tecnologias de autosserviço ao longo da jornada.

Estes passageiros tech-savvy são felizes por usar seus dispositivos móveis para a viagem. Não é nenhuma surpresa, então, que eles estão à procura de novos serviços – 92% gostariam de receber notificações sobre sua bagagem enviadas para os seus celulares. Com a implementação do rastreamento de bagagens pelas companhias aéreas, em conformidade com a Resolução IATA 753, responder a esta necessidade é possível em um futuro próximo”.

O comportamento de quatro tipos diferentes de passageiros é analisado no relatório da SITA: Planejador Cuidadoso, Paparicado, Super Conectado e Aventureiro Mente Aberta. Cada um usa a tecnologia de forma diferente. O Brasil tem uma alta proporção (41%) de planejadores cuidadosos em comparação com a média global de 34%. Estes passageiros planejam com antecedência para fazer a viagem tão fácil quanto possível e usam a tecnologia, tais como check-in on-line, para que possam verificar tudo antes da chegada ao aeroporto e evitar quaisquer experiências negativas.

Para ajudar a ilustrar as diferenças entre os viajantes, a SITA tornou possível para as pessoas descobrir o seu próprio perfil de passageiro. Qualquer pessoa pode completar esse formulário online para descobrir que tipo de viajante é e comparar o seu comportamento pessoal com outros de todo o mundo.

Esta é a 11ª edição da SITA / ATW Passenger IT Trends Survey. Foi realizada com mais de 9.000 passageiros de 19 países nas Américas, Ásia, Europa, Oriente Médio e África, que representam quase três quartos do tráfego mundial de passageiros.

1705-brazil_passenger-it-trends-survey-charts-2016_portuguese_v2art-01

1705-brazil_passenger-it-trends-survey-charts-2016_portuguese_v2art-02

1705-brazil_passenger-it-trends-survey-charts-2016_portuguese_v2art-03

1705-brazil_passenger-it-trends-survey-charts-2016_portuguese_v2art-06

1705-brazil_passenger-it-trends-survey-charts-2016_portuguese_v2art-07

1705-brazil_passenger-it-trends-survey-charts-2016_portuguese_v2art-08

1705-brazil_passenger-it-trends-survey-charts-2016_portuguese_v2art-09

 
Da Assessoria de Imprensa da SITA.
 

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.