Prefeito de BH quer volta dos voos para Pampulha, Ministério é contra.


O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, declarou em seu Facebook que vai lutar pela volta dos voos para o Aeroporto da Pampulha – Carlos Drummond de Andrade (PLU). O Ministério dos Transportes por sua vez recomendou veto à proposta.

Desde 2006 o Aeroporto está limitado a receber voos comerciais com aviões com até 70 passageiros. A medida foi tomada, na época, visando a transferência dos voos para o Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, região metropolitana de Belo Horizonte.




 

A partir desta data, Pampulha ficou limitada aos voos regionais da Total Linhas Aéreas, que seria posteriormente comprada pela TRIP e, depois, pela Azul Linhas Aéreas. Esta última que cancelou todos os voos no aeroporto em Março de 2015, devido ao agravamento da crise econômica no país. A saída da Azul deu início às discussões para a volta das operações de aviões de grande porte como o Airbus A320, Boeing 737 e o Embraer E195, já que o aeroporto poderia ser melhor aproveitado.

Hoje, o aeroporto recebe apenas dois voos diários, da Passaredo, com destino à Ribeirão Preto, operados com o turboélice ATR-72.

 

Apesar de não ter citado o aeroporto durante sua campanha, o prefeito Alexandre Kalil pretende apoiar a volta dos voos comerciais de maior porte ao aeroporto. Porém o Ministério dos Transportes tem recomendação contrária, conforme documento obtido pela Folha de São Paulo.

O Ministério alega que a volta das grandes operações na Pampulha irá acarretar diminuição de passageiros em Confins, que hoje conta com administração da concessionária BH Airport, através do programa de concessões de aeroportos, uma das grandes bandeiras do governo atual.

A eventual redução dos passageiros em Confins colocaria em cheque o plano de concessão dos aeroportos, tendo em vista o prejuízo não esperado que a administradora de Confins iria ter, já que na época da concessão não se considerava o retorno dos voos para Pampulha, em curto ou médio prazo.

Em recente palestra na Federação da Indústria de Minas Gerais, a FIEMG, o Diretor-Presidente da BH Airport, Paulo Rangel, demonstrou um estudo do MIT que sinaliza que cidades com dois grandes aeroportos operando e que recebem no total menos de 35 milhões de passageiros/ano, acarretaria em sub-utilização de um dos dois aeroportos. Atualmente Confins conta com pouco mais 10 milhões de passageiros/ano devido a recessão ecônomica, e tem capacidade para 22 milhões passageiros/ano.

 

Situação atual da Pampulha

Em meio a debates políticos ou não, a decisão atual cabe à ANAC, abaixo listamos alguns pontos sobre o Aeroporto da Pampulha, na visão do operador e do passageiro.

Convidamos você leitor, a juntar a esta discussão e avaliar se é um ponto a favor ou contra dos retornos dos voos.

  • O Aeroporto da Pampulha é distante 8 km do centro de Belo Horizonte, um trajeto que dura em média 20 minutos de carro, contra 45 minutos até Confins, que fica a 40 km da capital. Para transporte público o tempo de deslocamento até PLU é em média 30 minutos e 60 minutos até CNF.
  • O embarque em PLU é realizado apenas por escadas, sem pontes de embarque. A sala de embarque e desembarque é considerada pequena. Diferente de Confins, que conta com um terminal mais completo.
  • Transporte público em CNF é feito pelo ônibus Expresso Unir ou Conexão Aeroporto. Na Pampulha é realizado por ônibus regulares da cidade, sendo apenas uma linha do BRT “Move” atendendo o aeroporto. O metrô de BH não atende nenhum dos aeroportos.
  • Atualmente o aeroporto da Pampulha conta apenas com procedimentos de aproximação de não-precisão. Caso as condições meteorológicas do aeroporto estejam com teto* abaixo de 700 pés (213m) e com visibilidade inferior a 1600m,  as operações de pouso serão suspensas.
  • O Aeroporto da Pampulha já ficou alagado em algumas ocasiões, principalmente o estacionamento.
*O teto é a altura, acima do solo ou água, da base da mais baixa camada de nuvens, abaixo de 6.000m (20.000 pés) que cobre mais da metade do céu.

 

O movimento pela volta dos voos tem como objetivo o retorno das operações para Brasília, São Paulo e Rio. Moradores da região se declaram contra a volta devido ao ruído, apesar do aeroporto ter sido construído em 1933, antes da cidade chegar até ali. As operações seriam limitadas a quatro voos por hora.

A Avianca, que chegou a fazer seleção para contratação de funcionários em BH, indica que só retorna para a capital mineira se as operações na Pampulha forem liberadas. A GOL é outra interessada no retorno dos voos em PLU.

Vale lembrar que as operações pretendidas são basicamente rotas de negócios, e devido a capacidade do aeroporto, os voos seriam poucos e limitados. Considerando isso, o preço de um voo saindo da Pampulha será mais caro do que saindo de Confins, já que o objetivo é atender o público de negócios, dispostos a pagar mais por um voo que lhe deixe próximo aos seus compromissos.

79 Comments:

  1. Pô sinceramente , acho muito bom isso, ninguém merece gastar quase 40min do centro de BH até Confins isso é 40 minutos sem engarrafamento.

  2. É um assunto bem complicado, BH tem um puta aeroporto que é CNF com uma puta estrutura, mas que devido a crise já não vai muito bem. Abrir a Pampulha dificultaria cada vez mais o crescimento de CNF. Não tenho ainda opinião formada sobre o assunto.

    • Justificou pela nao reabertura. Não faz sentido. Tem aspectos de segurança inclusive.

    • A não ser que privatize Pampulha, mas mesmo assim não sei se seria viável.

    • Não vejo coerência nisso não mesmo

    • Jaoão, Congonhas, Guarulhos e Viracopos são exemplos de que a coexistência é possível. Cada um tem a sua finalidade e servem a públicos diversos. A diversidade de opções é saudável.

    • Concordo Fabio, sou super a favor da diversidade de opções e concorrência de empresas que administram aeroportos para gerar melhores serviços. Mas o que me preocupa é a falta de público de CNF atualmente, imagina se abre outro aeroporto. O que eu queria saber é no quesito viabilidade, seria viável? BH realmente precisa de dois aeroportos? Estou aberto para diálogo.

      • A coexistência em São Paulo entre Congonhas x Guarulhos e Viracopos é sadia, o publico é distinto e e o nicho de mercado é diferenciado, GRU e VCP atendem ao publico em geral mas, existe uma demanda internacional que não existe em congonhas. O mesmo se repete no Rio com Santos Dumont e Galeão, na época da privatização as concessionárias concordaram com a outorga msm sabendo da concorrência, tolice seria dizer que a BH Airport não cogitou que essa possibilidade por mais remota que fosse, existisse em um futuro não tão distante. Mas a estrutura na pampulha precisa mudar muito e rapidamente e confins se adequar a realidade e procurar uma maior oferta a nível internacional com empresas brasileiras e estrangeiras..

    • Difícil comparar Congonhas com a Pampulha e o movimento de SP com MG .

  3. Esses vôos devem ser retomados sim. Mas uma reforma de qualidade é urgente na Pampulha, instalações modernas, opções variadas de alimentação, serviços diversos ( loteria, bancos, correios, pontos de energia, Wifi, etc ) e por aí vai.

    • pontos de energia e internet já tem, voava sempre p pampulha pela passaredo e azul e até 2 vezes pela finada flyways, precisa de uma reforma e acho que um EMB 190 e A319 são dão muito bem por lá e seria possivel uma operação mais ampla

  4. Governo nenhum tem que decidir isso, tem é privatizar a pampulha e deixar Confins e Pampulha brigarem, quem oferecer o melhor servico pelos menores precos é quem sai ganhando. Ja existe regulamentacao para as aeronaves operarem de forma segura, governo nao tem nada q se meter nisso

    • Perfeito, nosso pensamento se completa ( veja o meu ). Privatiza e obriga, quem assumir a pôr qualidade lá e quanto aos vôos , as empresas que ‘briguem’ por passageiros com preços e horários excelentes.

    • Congonhas e Guarulhos brigam desde 2012 e este não é o caso.

    • Discordo. Briga desleal. Mesmo que o aeroporto da Pampulha for um lixo sempre vai sair na vantagem por estar no centro de BH.

    • Mas São Paulo tem mais que triplo de passageiros que esses dois tem.

    • Andre, Congonhas é estatal, o que ja elimina qualquer possbilidade do operador (Infraero) estar interessado em melhorias. E o mercado aeronautico no Brasil é uma verdadeira piada de mal gosto, eh extremente engessado, pesadamente regulado. Por exemplo, a ANAC permitiu ha algum tempo voos partindo de CGH para o Recife, Fortaleza, etc. A regulamentacao para as aeronaves operarem com seguranca existe, a ANAC nao tem q autorizar ou proibir nada, sao as proprias empresas que decidem de acordo com a demanda e os procedimentos de seguranca, os destinos e horarios de seus voos

    • Exatamente Valter, o operador q assumisse a Pampulha se usaria disso para atrair mais passagerios, e Confins se utilizaria de sua localizacao mais afastada para cobrar precos mais baratos e atrair passagerios tambem, isso acontece com vaaarios aeroportos no mundo todo

    • Valter, aeroportos mais afastados de suas respectivas cidades no mundo todo se aproveitam disso, por exemplo, para serem hubs de emrpesas low-cost

    • Pois é Oswaldo, essa mentalidade estatólatra detona com esse país. A empresa que assumir a Pampulha obrigatoriamente faria melhorias, senao iria perder pra Confins, empresario nenhum vai entrar entrar num negocio pra perder dinheiro. Se a operadora de Pampulha decidir, por exemplo, que é economicamente viavel, comprar todos aqueles terrenos em volta e tornar o aeroporto da Pampulha maior ate que Confins, que o faça, o governo nao tem nada que se meter nisso. No Brasil há um desconhecimento BRUTAL das leis de mercado.

  5. Qnd estava no Twitter e vi isso eu até Me alegrei pois acho que até aumentará o Fluxo de Viagens e vôos, Oq seria muito bom para a cidade, mas se a crise não permitir melhor que nem faça por agora mas que seja um plano mais pra frente.

  6. Costumo sempre ir a BH, e sem sombra de duvidas. Gastar qse 40 minutos da rodoviaria ate confins em meio ao transito é meio complicado. Mas se CGH E GRU funciona sem ambos atrapalharem um ao outro. Pq nao a pampulha.nn

  7. Isso nem se discute, claro que tem que voltar

  8. Acho bacana mtos estados tem mais de 2 aeroportos trabalhando em parceria certamente essa atitude desafogaria confins e o trajeto ficaria menor pra quem como eu moro no centro de BH a Pampulha seria ideal e mtas pessoas iriam ter o trabalho de volta é claro q a infraestrutura teria que ser como Cnf ampla, com vários portões e o visual bacana tbm

  9. Acho que poderiam voltar os voos com jatos sim. Mas, como o terminal não tem capacidade para muitos passageiros, acho que, num primeiro momento, deveriam-se limitar os números de voos. Três voos no começo da manhã, sendo um pra São Paulo, outro pro Rio e outro pra Brasília, com intervalo de pelo menos 40 minutos entre a partida de cada um dos voos, sendo o primeiro partindo por volta das 06:30, ou no max. 07:00. A segunda leva de voos do dia seria no final da tarde/começo da noite, com a última partida sendo no máximo ás 21:00. Assim, esses horários atendem bem ao público executivo principalmente, que partem cedinho e voltam no fim do dia. Assim, acredito que todo mundo sai ganhando. O aero de CNF não vai perder muitos pax pra PLU, já que são apenas dois voos de ida e volta por dia para apenas três capitais. Os moradores dos arredores do aeroporto vão conviver com o barulho dos grandes jatos em apenas uma pequena parte do dia. O terminal de PLU, pequeno do jeito que é, não vai causar tanto desconforto aos passageiros, já que com as partidas em horários mais espaçados, não vai haver superlotação. Bom, essas são minhas hipóteses.

  10. Muito Boa idéia àquele aeroporto de BH e uma viagem muito bom parabéns au perfeito

  11. Se liberar, aí sim é pura sacanagem com a empresa que administra Cofins. Como uma empresa vai confiar num país que não te passa segurança?

  12. André Coelho Arízio Zanon Zacché Bruno Campelo

  13. Tem que voltar . Pelo menos voos do Rio e SP

  14. Nossaaaaaa tem q voltar, dentro da cidade, igual Santos Dumont.
    Aqui, mas tem que reformar neh, E muito acanhado e feio.

  15. joseluizdacosta@bol.com.br

    BOA KALIL. O governo federal quer monopólio, reserva de mercado..kkkkkk Eu quero concorrência para eu escolher o melhor para mim.

  16. Sinceramente, de houver limitação técnica acho que deve continuar proibido. Agora se a limitação for política, aí acho que é coisa de pais que pensa pequeno!

  17. Acho que na verdade se a estrutura inteira de confins pudesse passar para pampulha seria ótimo.

  18. Kalil é mais um político populista. Opina de acordo com a direção do vento. O aeroporto da Pampulha é ridículo. Qualquer chuvinha ele fica alagado ao contrário de Confins cuja estrutura é comparada aos melhores aeroportos do mundo.

  19. Seria bom, inclusive pra uma empresa de transporte aquático operar em dias de fortes chuvas, porque só assim pra acessar o terminal..
    Se melhorar muito, mais muito mesmo a estrutura, acho ótima idéia. Mas isso só aconteceria na iniciativa privada.

  20. A idéia de muitos aqui estão sugerindo que expandir PLU será terrível para os negócios en CNF.

    No entanto, deve ser considerado que esses dois aeroportos possuem perfis diferentes.

    -CNF está se preparando para se tornar um hub internacional e atraindo operadoras diversas..

    Considerando PLU no estado atual..mal tratado…com bom investimento, a infraestrutura atual se tornaria um belo aeroporto de negócios ideal para o tráfego regional e como um ‘auxiliary hub’

    Ao olhar para o lado microeconómico de fazer um upgrade PLU Haverá benefícios para:

    Trabalhadores da construção,
    A indústria de comunicação e vai criar valor para os negócios , e propriedades em torno do aeroporto.

    Trata-se de um benefício económico local.

    A idéia de que um aeroporto vai morrer, porque o menor vai expandir não tem fundação … Ao fazer PLU uma opção ao passageiro VFR e Business os bilhetes de classe Y e J para BH irá reduzir significativamente .. As transportadoras serão capazes de ter um ponto de venda de nicho para os passageiros que vão Utilizar PLU como um aeroporto de ‘easy access’.

    –O Brazil tem que sair da mentalidade que um novo barco vai tirar a sardinha do mar. Muito pelo contrario.. vai enriquecer o porto.

    Isto sem falar na industria de cargas.. deixo pra outro comentar..

  21. Se Congonhas pode por quê Pampulha não pode? Acho que ambos podem. Por quê não?

  22. Por que somos tão medíocres no Brasil? No lugar de discutir uma “reabertura” de um aeroporto com terminal minúsculo, colocando em risco e tornando a vida mais desconfortável pra milhares de pessoas ao redor, deveríamos discutir uma linha férrea rápida para Confins.

  23. Sou a favor. Confins muito longe

  24. Estive em BH recentemente a negócios e posso dizer que sou a favor das operações no Aeroporto da Pampulha.

    Confins apesar de sua mega estrutura, peca é muito na distância, não pela extensão, mas pelo tempo gasto e verba gasta para se chegar ao centro de BH e/ou outra região.

    Levei cerca de 75 minutos de Confis a Nova Lima e 135 minutos de Nova Lima a Confins devido ao trânsito e cerca de 350,00 gastos com Táxi, o que daria uma passagem aérea promocional de SP x Recife por exemplo.

    Privatiza e fiscaliza a concorrência, quem oferecer as melhores condições certamente sairá na frente!

  25. Sou a favor da volta dos voos para PLU com algumas ressalvas; por exemplo para cada pedido a um destino “grande”, a cia deve pedir um REGIONAL, ou seja se a TAM por exemplo pedir 4 frequências ( 1 voo para São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília ou Salvador por exemplo) teria obrigatoriamente pedir 4 frequências regionais em prioridade ao interior mineiro, então Ipatinga IPN, Uberaba UBA, Montes Claros MOC e Juiz de FORA IZA seriam contemplados com ofertas de assentos apartir da PLU. Daí nenhuma cia iria abusar nas ofertas para derrubar CNF. O maior beneficiado nesse quesito ( se acontecer) é a evolução do mercado no interior mineiro.

    Imaginem, para cada pedido HOTRAN para um terminal Internacional apartir da PLU – um REGIONAL deve obrigatoriamente ser solicitado. Deve levar em conta que, se o pedido ( principal) for feito para voar de E95, para o interior deve seguir os mesmo padrão de quipamento e não um ATR72 por exemplo.

    Boa ideia Infraero – Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil – Secretaria de AviaçSecretaria de Aviação CivilaciANAC – Agência Nacional de Aviação Civileas Azul Linhas Aéreas Brasileirass IGOL Linhas Aéreas Inteligentes AvLATAM Airlines DiAvianca AçPortal Diário do Açodo Tv cultura Vale do Aço JoCentral Globo De Jornalismo- BEstado de MinascorBandNews TV e Record TVinaMGTV e Bom Dia Minases InterTV dos Valesl situação?

  26. Concordo com Rodrigo Dantas. Capitalismo é concorrência e não monopólio.

  27. Com Embraer e ATRs seria uma base excelente pra Azul

  28. O aeroporto da Pampulha não tem estrutura, alaga até com pequena chuva. O “Kanil” tá é querendo ganhar alguma coisa. Pode ficar de olho, esse cara não presta.

  29. Se voltar quem ganha é os usuários com preços competitivos, e mais opções de voo

  30. Sou completamente a favor do retorno dos voos a pampulha, sejam regionais ou ponte área para negócios. Ministério dos transportes e Anac estão recebendo pressão e propina da BH AirPort para ir contra a reabertura da PLU. Com uma reforma no terminal de passageiros PLU fica pronto.
    Cnf só em bom pra quem tá de férias e com muito tempo.
    Em horários de pico se leva ao menos 60 minutos de carro até lá, sem citar que o transporte público em bh é péssimo. Diga não ao monopólio, diga sim a PLU!

  31. Pra que Confins seja viável, deveria haver uma linha de trem de alta capacidade ligando o centro de BH ao aeroporto.

  32. O ministro não paga táxi ou uber, quando vai a BH

  33. Aumentaram o tá. Acho do elefante branco de Confins …… péssimo serviço em todos os setores , comida ruim e cara , deslocamento , atendimento ……. novo terminal ; lixo de free-shop ……
    Alguns voos claro que tem que ser da Pampulha , pela manhã, SP /RJ , BSB / etc e no fim do dia os mesmo voltando…..
    Regionais que ficarem em Confins é ridículo!

  34. Cheguei ontem de BH, e vi um ATR da Azul em Pampulha e no meu ver a única aeronave capaz de operar com segurança no aeródromo; a disputa fica entre Azul e Passaredo. Dizem q tem outra empresa local com ATR, moral da história, se não for subsidiado a passagem será lá nas nuvens 😉

  35. #Volta

    Porem é foda a quantidade de investimentos em CNF e agora quererem voltar.

  36. Somente a Passaredo com voos regulares com ATR

  37. Sou contra, não tem estrutura …. em todos os sentidos. Tem que ficar limitados a aviação executiva, salvatagem, ATR’s. Melhor fazer um VLT de Confins para Capital, de superfície.

  38. Antonio Rogério Brax

    Sou a favor do retorno operacional do aeroporto dz Pampulha. CNF, fica muito longe do centro. E voos curtos, que sempre faço do SDU para CFN, as vezes são mais rápidos, que de Confins ao centro de BH. E os voos da TOTAL, SDU para PLU, eram bons e rápido acesso para qualquer lugar de BH e região.

  39. A mesma administradora de CNF deveria administrar PLU… assim o aeroporto cresce e a BH Airport não perde dinheiro ( que investiu pesado em CNF ) basta INFRAERO, BHAIRPORT e PBH entrar em um acordo. Diálogo sempre é bem vindo !

  40. Materia totalmente tendenciosa aol Confins. Cota pontos negativos da Pampulha, omite os positivos, e tenta de tudo pra convencer o leitor a acreditar que Confins nao pode ceder meia duzia de voos por dia apenas pra Pampulha voltar a viver e atender com mais conforto, agilidade praticidade e economia a um segmento de passageiros.

  41. Pra quem não conhece PLU, so uma dica: nao va ao aeroporto em dias de chuva! Kkkkkkkk! Tanta coisa pra melhorar em BH e o prefeito querendo reativar PLU! CNF tem total infraestrutura, quem paga pela passagem tem que pagar pelo deslocamento! Gastam 40 minutos Pq o trânsito de BH é caótico, isso sim deveria ser melhorado!

  42. Nem taxi way tem ? É bem simplinho …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *