Primeiro Embraer E2 conclui voo inaugural antes do programado.

Embraer E2 Primeiro Voo E190 2

A aeronave decolou às 13h06min das instalações da Embraer em São José dos Campos e voou durante três horas e vinte minutos. O voo ocorre apenas três meses após a cerimônia de apresentação (rollout) do E190-E2, no final de fevereiro. O voo inaugural marca o início da campanha de certificação do E190-E2, primeiro de três novos jatos da segunda geração de E-Jets. O E190-E2 está programado para entrar em serviço comercial em 2018.

“Um primeiro voo é sempre uma ocasião emocionante, não importa quantos você testemunhe ao longo dos anos. Neste caso em particular, não estamos apenas mantendo as nossas promessas ao mercado, mas indo além, estando adiantados alguns meses em relação ao programado. Quero agradecer a todos os funcionários da Embraer que estão participando neste projeto”, disse Frederico Fleury Curado, Presidente & CEO da Embraer.

“Que grande primeiro voo! Hoje, todos nós da Embraer devemos estar orgulhosos e emocionados deste feito notável. Ver o primeiro E190-E2 levantar voo significa que estamos pavimentando um caminho brilhante para o futuro da aviação comercial. Estou certo de que o mercado irá mostrar interesse ainda maior, não só para E190-E2, mas também para os outros modelos E2”, disse Paulo Cesar Silva, Presidente e CEO, Embraer Aviação Comercial.

O comandante Mozart Louzada, da Embraer, pilotou a aeronave junto com o co-piloto Gerson de Oliveira Mendes. Também participaram do voo os engenheiros de voo Alexandre Figueiredo e Carlos Silveira. A tripulação avaliou as características de controle e desempenho da aeronave, analisando um número significativo de parâmetros de voo, como velocidade, altitude e retração do trem de pouso. Isso foi possível graças ao alto nível de maturidade que o E2 alcançou durante o desenvolvimento do programa, com o uso extensivo de simulações em ambiente digital, além de testes em solo e estáticos que empregaram bancadas de provas como rigs e o iron bird.

“Há sempre um série de expectativas com um primeiro voo e de hoje não foi exceção. Fomos capazes de abrir significativamente o envelope de voo, voando na velocidade de Mach 0.82, subindo para 41 mil pés e retraindo trem de pouso e flapes, acionando o modo normal dos comandos de voo fly-by-wire. Tudo isso demonstra que o projeto do E190-E2 é muito maduro e robusto, excedendo os objetivos de desempenho”, afirmou o comandante Louzada.

A aeronave que voou hoje é o primeiro de quatro protótipos que serão utilizados no programa de certificação do E190-E2. Duas aeronaves adicionais serão usadas no processo de certificação E195-E2, que levará à entrada em serviço em 2019. Outras três aeronaves serão utilizadas para certificar o E175-E2, que está programado para entrar em serviço em 2020.

Segundo informações obtidas por nossa reportagem, a aeronave voou muito bem do ínicio ao fim, permitindo ir até ao nível de voo 410 – 12.500 metros! Nesta altitude a aeronave atingiu sua VMO – Velocidade Máxima Operacional de 546 nós (1012km/h), e também a sua velocidade Mach Operacional Máxima de 0.82 Mach, ou 82% da velocidade do som.

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é piloto e Bacharel em Ciências Aeronáuticas. Formado em Design e Performance de Aeronaves pela California State University Long Beach e Segurança da Aviação pela Western Michigan University. Membro da AOPA e da AIAA.

7 Comments:

  1. Tem informações sobre o mercado que ela será utilizada, capacidade de passageiros e autonomia de vôo?

  2. O diâmetro dos motores é quase o mesmo do da fuselagem. Impressionante.

  3. O voo desse belo Avião durou três horas e vinte minutos (3:20h), trinta e três minutos a mais que o primeiro voo do Boeing 737-MAX que durou duas horas e 47 minutos (2:47h)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *