Retração da aviação doméstica se acentua em fevereiro, segundo ABEAR.

O ritmo de retração da demanda por transporte aéreo dentro do Brasil, que em base mensal vinha dando sinais de arrefecimento desde outubro, voltou a acelerar em fevereiro. Na comparação com o mesmo mês de 2016, o indicador aponta queda de 4,9%. Essa é 19º redução consecutiva. Além disso, em base anual a baixa acontece sobre o resultado negativo de 3,1% de fevereiro de 2016 em relação a fevereiro de 2015. Com isso, em termos absolutos, a demanda de fevereiro de 2017 foi a menor para o mês desde 2013. Para qualquer mês, é o menor número desde abril do ano passado.




Do lado da oferta, a contração em fevereiro desse ano chega a 5,8% em relação ao mesmo mês do ano passado. O indicador tem baixas repetidas há 18 meses. Em valores absolutos, chega ao menor nível para o mês de fevereiro desde 2011. Para qualquer mês, é o menor número desde abril do ano passado.

O fator de aproveitamento foi novamente aprimorado, avançando 0,79 ponto percentual (79,23% de ocupação dos voos). Foram realizadas pouco mais de 6,6 milhões de viagens no mês, volume 4,8% inferior ao do mesmo período de 2016. Esse é o menor total de passageiros transportados em fevereiro desde 2013. Observando qualquer mês, a aviação brasileira também não transportava tão poucos passageiros desde o mesmo fevereiro de 2013.

Todas as estatísticas são referentes às operações das empresas AVIANCA, AZUL, GOL e LATAM, integrantes da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR), que respondem juntas por mais de 99% do mercado doméstico.

Participação do mercado doméstico em fevereiro de 2017:
GOL – 35,78%
LATAM – 32,47%
AZUL – 18,36%
AVIANCA – 13,39%

Transporte internacional
Neste mês de fevereiro as companhias aéreas brasileiras registraram aumento da demanda internacional da ordem de 6,8% ante igual período do ano passado. Na mesma base, a oferta teve ligeira expansão de 0,6%. Com a demanda evoluindo mais fortemente do que oferta, o fator de aproveitamento teve alta de 4,95 pontos percentuais (85,34% de ocupação dos voos). O total de passageiros transportados no mês chegou a 665 mil clientes, alta de 8,5%.

Os totais absolutos de oferta, demanda e passageiros são os mais elevados para qualquer mês de fevereiro para o conjunto das aéreas brasileiras no mercado internacional. Recuando na série histórica, entretanto, tais números são os menores desde novembro do ano passado.

A tendência apontada na última comunicação Dados e Fatos da ABEAR, de aumento das demandas mensais recentes das aéreas brasileiras como resultado de uma maior participação no mercado total ante às congêneres estrangeiras ao longo de 2016, continua a se verificar.




Em janeiro de 2017 (último mês em que estão disponíveis na ANAC tanto os dados das brasileiras quanto os das estrangeiras), as aéreas brasileiras atingiram um market share de 29,66% da demanda. Em janeiro de 2016 essa parcela estava na casa de 26,63%. No mesmo mês, entretanto, a demanda total por transporte aéreo internacional no Brasil (brasileiras + estrangeiras) recuou 6,0% (a oferta encolheu 10,9%, enquanto o número de passageiros teve retração de 3,8%).

Participação do mercado internacional em fevereiro de 2017 (entre as empresas brasileiras):
LATAM – 78,87%
GOL – 11,52%
AZUL – 9,49%
AVIANCA – 0,12%

Acumulados do ano
No mercado doméstico, nos dois primeiros meses de 2017 na comparação com igual período de 2016, a oferta consolidada tem redução de 4,1%, enquanto a demanda cai 2,9% e o volume de passageiros baixa 3,3% (15,2 milhões viagens realizadas). O fator de aproveitamento tem melhora de 1,04 ponto percentual, para 82,09%.

No mercado internacional, também na comparação dos primeiros bimestres de 2016 e 2017, a oferta tem crescimento de 1,3%, a demanda avança 6,0% e o volume de passageiros transportados se expande em 7,2% (1,4 milhões de viagens). O fator de aproveitamento tem aprimoramento de 3,84 pontos percentuais, para 86,64%.

Cargas
Com a movimentação de 25,5 mil toneladas, o mercado doméstico de carga aérea experimentou avanço de 12,2% no volume transportado em fevereiro de 2017 ante o mesmo mês do ano anterior. No mercado internacional o crescimento foi mais expressivo, chegando a 18,8%, para um total de 17,5 mil toneladas de carga movimentada. As estatísticas incluem as operações das associadas AVIANCA, AZUL, GOL, LATAM e LATAM CARGO.

 
Informações pela Assessoria de Imprensa da ABEAR.
 

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é assessor de editoria do AEROIN.

8 Comments:

  1. Há alguns anos atrás popularizaram o acesso a passagem aérea,mas hj em dia muito caras,excluem algumas regiões do país e de vez em qndo surgem essas falsas promoções!!!

  2. As passagens para voos domésticos são muito caras. Muitas vezes viajar para o exterior sai mais barato. O Estado, com sua burocracia e falsa alegação de proteger o consumidor, acaba engessando a aviação comercial dentro do país.

  3. Tambem qualquer roteirinho com horario bom na faixa de 1000

  4. Até os vôos chamados “corujão”, onde encontrávamos baixas tarifas, ñ existem mais.

  5. Com essa política em voos domésticos e daí pra pior

  6. Agradeçam a esse Desgoverno … #ForaTemer #VazaTemer