RIOgaleão apresenta evolução em pesquisa de satisfação trimestral.

gig-galeao-riogaleao-loung-embarque

Após dois anos de concessão, o RIOgaleão apresenta evolução na satisfação do público. É o que demonstra a melhora das notas em pesquisas realizadas pela Secretaria de Aviação Civil (SAC) e pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE). Na pesquisa da FIPE – cumprimento de uma das exigências da Agência Nacional da Aviação Civil -, o Aeroporto Internacional Tom Jobim teve nota 4,3 contra 4,2 na avaliação anterior, o que proporcionou ao terminal a maior nota da série histórica da pesquisa, iniciada em janeiro de 2015. Já na pesquisa trimestral da SAC, a nota foi de 4,16 contra 3,91 do trimestre de abril a junho. Em ambas as pesquisas a nota máxima é 5,0 e a partir de 4,0 a avaliação é considerada boa.

Na pesquisa realizada pela FIPE, que mede a qualidade dos serviços oferecidos pela concessionária, 89% dos critérios obrigatórios avaliados atingiram a nota padrão exigida. Entre os itens que se destacaram na avaliação dos viajantes estão a limpeza geral do aeroporto (4,5), assentos disponíveis nos saguões (4,5), a disponibilidade de tomadas (4,5), a cordialidade dos colaboradores (4,4), o conforto térmico (4,3) e a oferta de vagas no estacionamento (4,1). Itens que no passado eram bastante criticados pelos passageiros evoluem a cada pesquisa. Entre eles estão o custo-benefício das lojas e restaurantes, assim como as opções de estabelecimentos comerciais, limpeza dos banheiros, climatização do aeroporto e o preço do estacionamento.

O RIOgaleão investiu R$ 2 bilhões em novos serviços e infraestrutura para oferecer um novo aeroporto aos viajantes e as pesquisas mostram que essa grande mudança tem sido percebida pelos passageiros. A concessionária já trouxe para o aeroporto mais de 200 estabelecimentos comerciais (muitos deles renomados internacionalmente), o que incentiva a concorrência saudável dos preços entre os cessionários, e foi o mais bem avaliado, entre todos os aeroportos do Brasil, no critério “opções de estabelecimentos comerciais”. O aeroporto investiu, também, em casas de câmbio e hoje conta com duas delas, a Safra e Global Exchange. Elas possuem 13 pontos de troca de moedas no aeroporto com preços competitivos e alinhados com o mercado. Além disso, construiu um novo e moderno Edifício Garagem, com monitoramento e segurança 24 horas, que oferece um preço mais econômico, já que a cada dia que o veículo fica estacionado mais barata é a diária. Os sistemas de refrigeração, elétrico e sonoro foram modernizados e estão em pleno funcionamento.

Outro investimento realizado foi em novas tecnologias para otimizar o trabalho por meio da construção do Centro de Operações RIOgaleão que dispõe de sistemas de gerenciamento aeroportuário de última geração e tem o controle total do pátio das aeronaves, sendo o primeiro da América Latina com essa autonomia.

O novo centro operacional tornou o aeroporto mais eficiente e permitiu que os voos pousem e decolem mais rapidamente e com segurança. Além disso, modernos equipamentos foram instalados para oferecer maior comodidade e agilidade aos passageiros, como os portões eletrônicos nos embarques e na imigração. Entre eles, a tecnologia BCBP (bar-coded boarding pass) que permite o acionamento automático dos portões de embarque por meio de leitores do código de barras dos bilhetes de viagem. Além dos portões eGates, que realizam a leitura automática do passaporte e a biometria facial do passageiro para o embarque e desembarque de voos internacionais.

“Investimos um pacote de R$ 2 bilhões em melhorias, nova infraestrutura e tecnologias. E isso resultou na inauguração do Píer Sul (ampliação do terminal 2 com mais de 100 mil m² e 26 pontes de embarque climatizadas), no Edifício Garagem e na modernização do terminal. Além disso, o sucesso da operação, durante os Jogos Rio 2016, momento em que recebemos uma média de 2,5 milhões de pessoas, foi um marco na história do aeroporto que fechou com chave de ouro essa primeira etapa da concessão muito bem avaliada pelos órgãos públicos e passageiros. O RIOgaleão provou que evoluiu e está mais eficiente, seguro e moderno. Isso se reflete na pesquisa da SAC e da FIPE. Nosso principal objetivo é oferecer cada vez mais um aeroporto eficiente e com novas experiências para o viajante”, ressalta Alexandre Monteiro, diretor financeiro do RIOgaleão.

Tabela de investimentos

AÇÃO NÚMEROS
Plano de investimentos total até 2039 R$ 5,2 bilhões
Plano de investimentos até 2016 R$ 2 bilhões
Centro de Operações R$ 25 milhões
Novas tecnologias R$ 65 milhões
Sistema elétrico R$ 13 milhões
Sistema de ar-condicionado R$ 12 milhões
Sistema de sonorização R$ 2,2 milhões
Terminal de Cargas R$ 30 milhões
Elevadores, escadas rolantes e tapetes rolantes (conector terminais 1 e 2) R$ 10 milhões
Aquisição de 32 pontes de embarque e modernização das pontes fixas R$ 60 milhões
Acessibilidade R$ 5,5 milhões
Aquisição de 4 caminhões de combate a incêndio R$ 10 milhões

 

Informações pela assessoria de imprensa da RioGaleão.

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é piloto e Bacharel em Ciências Aeronáuticas. Formado em Design e Performance de Aeronaves pela California State University Long Beach e Segurança da Aviação pela Western Michigan University. Membro da AOPA e da AIAA.

Comente