RIOgaleão forma crianças em agentes transformadores do meio ambiente.

riogaleao_pier-sul-gig-galeao

Após um ano de estudos e preparação, o RIOgaleão acaba de formar a primeira turma de alunos do projeto Conexão Escola, no Clube Flexeiras, na comunidade de Tubiacanga, na Ilha do Governador. O projeto socioambiental é voltado para crianças em idade escolar (de 9 a 12 anos) de escolas públicas que moram em comunidades vizinhas ao Aeroporto Internacional Tom Jobim. A iniciativa tem como objetivo capacitar jovens de escolas da região para que se tornem multiplicadores do conhecimento ambiental ou apenas “agentes transformadores do meio ambiente”, nome dado pelas próprias crianças a elas com base nas atividades realizadas no projeto.

A ação incentiva que os participantes contribuam para que a sociedade seja mais comprometida com a sustentabilidade, tenha uma consciência pró-ambiental e dissemine o conhecimento verde dentro das comunidades nas quais elas residem. A ideia é mostrar o impacto que as atividades irregulares produzidas pelo homem podem causar na Terra e os malefícios para a sociedade. Tudo em prol do desenvolvimento da população para a conscientização ambiental.

riogaleao-projeto-conexao-escola-1

Desde 2014, quando o RIOgaleão assumiu a gestão e operação do aeroporto, a concessionária realizou um diagnóstico socioterritorial e socioeconômico das comunidades do entorno, como Tubiacanga, Vila Joaniza e Parque Royal. Nesses locais, foram identificados muitos pontos de descarte irregular de resíduos (lixões) transformando-os em contribuintes com alto potencial para atração de fauna, sejam animais domésticos ou silvestres. E que pode causar, inclusive, acidentes aeronáuticos devido à proximidade dessas comunidades com o aeroporto. Um exemplo é a colisão de pássaros com aviões sobrevoando o entorno das comunidades na busca por alimentos.

Durante cinco módulos, os estudantes aprenderam e aprofundaram o conhecimento sobre o mundo da aviação, coleta seletiva, responsabilidade com os animais, risco aviário (pipas, balões e raio lasers) e a qualidade do solo e da água. Em cada conclusão de um tópico, os alunos eram orientados para que fizessem uma atuação local e replicassem o conhecimento adquirido de cada tema no dia a dia deles dentro de Tubiacanga, seja nas próprias escolas, entre as famílias e amigos. As aulas foram ministradas por professores e tiveram o apoio da associação de moradores local.

riogaleao-projeto-conexao-escola-2

Entre outras atividades estudadas e aplicadas pelas crianças, dentro da comunidade, é possível citar: coleta seletiva, a reciclagem, a instrução para os adultos sobre a atenção quanto ao correto descarte de resíduos, os perigos da soltura e do abandono de animais e a importância da conscientização ambiental.  O plantio foi outro tema que os jovens estudantes puderam aprender a pedido deles mesmos, já que desejavam aplicar esta ação na comunidade. Só não sabiam como já que a área onde vivem atrai muitos animais silvestres por possuir muitos resíduos (lixões). As crianças, então, aprenderam a plantar por meio do uso de garrafas PET simulando uma estufa de hortas.

Na cerimônia, para oficializar a conclusão da primeira turma do Projeto Conexão Escola, houve a apresentação de um musical e uma encenação teatral nas quais os estudantes atuaram e expuseram todos os temas debatidos e aprendidos no decorrer do curso. Também foi exibido um vídeo – editado pelas crianças – sobre o dia a dia das atividades do projeto e o trabalho delas na prática.

riogaleao-projeto-conexao-escola-3

Conexão Escola Olímpico

Uma das recompensas dadas aos estudantes, pelo empenho e interesse ao longo do ano no projeto, foi a participação delas em alguns jogos olímpicos. As crianças do Conexão Escola ganharam ingressos para assistir as competições de rúgby e hipismo dos Jogos Rio 2016. Os alunos, agora formados pelo projeto, tornaram-se, simbolicamente, monitores do meio ambiente da comunidade de Tubiacanga e ajudarão na formatura das próximas turmas do Conexão Escola. Entre o próximo ano e 2018, o programa será expandido para as comunidades de Vila Joaniza e Parque Royal.

Pela Assessoria da Imprensa da RIOgaleão.

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é piloto e Bacharel em Ciências Aeronáuticas. Formado em Design e Performance de Aeronaves pela California State University Long Beach e Segurança da Aviação pela Western Michigan University. Membro da AOPA e da AIAA.

Comente