RIOgaleão realiza simulado de emergência para as Olimpíadas.

RIOgaleaoo555
O RIOgaleão realizou hoje (30/03), no Aeroporto Internacional Tom Jobim, o Exercício Simulado de Emergência Aeronáutica (ESEAC), um dos testes obrigatórios previstos pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) para avaliar a eficiência do aeroporto em casos de acidentes aéreos. O simulado, que envolveu a equipe de resposta à emergências, contou com a colaboração de profissionais do Hospital da Força Aérea do Galeão (HFAG), do Batalhão de Infantaria Especial (BINFAE), do Grupamento Aéreo Militar (GAM) e do Batalhão de policiamento em Áreas Turísticas (BPTUR), além de voluntários da concessionária, membros do Corpo de Bombeiros Militar, da Cruz Vermelha Brasileira e de 11 companhias aéreas.

Mais de 200 pessoas participaram do exercício, cujo objetivo principal é a otimização do tempo de salvamento de vítimas de um acidente aéreo, representadas na ocasião por atores voluntários. Para compor o cenário, o Boeing 747-800 da Lufthansa, utilizado na rota regular entre Rio de Janeiro e Frankfurt, foi deslocado para uma das taxiways e representou a aeronave envolvida no incidente. Para a simulação do resgate, o teste contou com quatro carros de combate a incêndio, dois carros de resgate e salvamento, cinco ambulâncias, um helicóptero e um carro do posto de comando móvel, além dos carros de apoio de bombeiros, segurança e apoio de pátio e pista.

“É importante estarmos preparados para qualquer tipo de situação adversa que possa acontecer no aeroporto, principalmente com a chegada de um evento do porte das Olimpíadas, quando teremos que lidar com um fluxo ainda maior de aeronaves pousando e decolando. A integridade e a segurança dos nossos passageiros são prioridade para a nossa operação”, afirma Herlichy Bastos, diretor de operações do RIOgaleão. O exercício, que durou cerca de duas horas, contou, ainda, com a participação de representantes da Defesa Civil, ANAC, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), Base Aérea Naval de São Pedro da Aldeia (BAeNSPA), Changi Airports International e INFRAMERICA, que atuaram como observadores da ação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *