RIOgaleão realiza terceiro simulado para as Paraolimpíadas 2016.

RIOgaleão Acessibilidade Check-in

O RIOgaleão realizou, no dia 14/06, o terceiro simulado de acessibilidade para os Jogos Paralímpicos Rio 2016. Com o objetivo de assegurar a preparação do aeroporto para os dias de embarque e desembarque de atletas com deficiência, o teste reuniu 23 voluntários cegos e em cadeiras de rodas. Estiveram presentes representantes de entidades como Rio 2016, Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Secretaria de Aviação Civil (SAC) e Ministério da Justiça e Cidadania, além de integrantes de diversas companhias aéreas e da concessionária.

O evento possibilitou medir, mais uma vez, o tempo de embarque e desembarque dos passageiros desde o check-in até a entrada e saída da aeronave. Para a simulação, foram utilizadas ilhas de check-in e uma aeronave da companhia Air France, e integrantes de diversas companhias aéreas ajudaram nos trâmites entre a entrada no saguão e o embarque no avião, bem como no desembarque e saída. Os voluntários em cadeiras de rodas fazem parte dos grupos Associação Niteroiense dos Deficientes Físicos (Andef) e do Instituto Grupo Eficiente, entidades voltadas ao estudo e desenvolvimento de pessoas com deficiências.

“Quando começamos a realizar esses testes, em junho do ano passado, tínhamos um desafio muito maior pela frente. Hoje, podemos perceber que todos já estão cada dia mais familiarizados com os procedimentos, o que nos garante que os atletas que embarcarem ou desembarcarem no RIOgaleão terão um atendimento à altura do que eles esperam e precisam”, afirma Herlichy Bastos, diretor de operações da concessionária.

O investimento total nos projetos de acessibilidade do RIOgaleão é de R$ 5,5 milhões. Logo ao assumir a administração do Aeroporto Internacional Tom Jobim, em agosto de 2014, o RIOgaleão realizou um diagnóstico detalhado para identificar e melhorar o acesso de pessoas com deficiência em toda estrutura aeroportuária. Até as Olimpíadas, o aeroporto contará com mais elevadores com corrimãos, rampas de acesso, novas pontes de embarque climatizadas, pisos táteis de alerta nas rampas, nos elevadores e pelos terminais, assim como placas de braile, textos em relevo, pictogramas e avisos sonoros, dentre outras intervenções para atender aos quesitos de acessibilidade.

O RIOgaleão conta, ainda, com equipes capacitadas para se comunicar e atender passageiros com necessidades especiais, incluindo comunicação em Libras, dois ambulifts, sendo um adquirido com o investimento de R$ 500 mil pela concessionária para auxiliar no transporte de passageiros com limitações motoras no embarque e desembarque das aeronaves, além de cadeiras de rodas oferecidas gratuitamente.

RIOgaleão Acessibilidade Desembarque

RIOgaleão Acessibilidade Voluntários

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é Editor-Chefe do AEROIN.