Star Alliance celebra 20 anos com novidades.

A Diretoria Executiva da Star Alliance, composta pelos CEOs de todas as 28 companhias aéreas membros, realizou sua reunião em Frankfurt neste domingo, 14 de maio, durante a qual os CEOs foram informados sobre o andamento do atual plano de negócios e futuro estratégico da Aliança. O encontro ocorreu exatamente no dia em que, 20 anos atrás, seus sócios fundadores Lufthansa, United Airlines, Thai Airways, Scandinavian SAS e Air Canada surpreenderam a indústria da aviação com o anúncio de que se uniriam para formar a primeira aliança global de aviação do mundo.

Alguns meses após sua criação naquele mesmo ano, a brasileira Varig juntou-se à aliança, sendo a sexta empresa a pertencer à Star Alliance, permanecendo até 31 de janeiro de 2007. A nova empresa gerada após a recuperação judicial, a VRG Linhas Aéreas, não preencheu os pré-requisitos necessários para continuar como membro da aliança.

No ano de 2010 a aliança anunciava uma nova brasileira no grupo, a TAM Linhas Aéreas, que permaneceu até março de 2014, quando mudou de aliança após a fusão com o grupo LAN.

Em 25 de julho de 2015 a Avianca Brasil tornava-se o novo membro da Star Alliance, oferecendo uma conectividade direta com onze empresas que já voavam para o Brasil, sendo elas: Avianca Holdings S.A, Copa Airlines, United Airlines, Air Canada, South African Airways, Ethiopian Airlines, TAP Air Portugal, Swiss, Lufthansa, Turkish Airlines e Air China. Essas 11 companhias conectam passageiros a 19 destinos diretos em 15 países.

Além das 11 empresas aéreas membros da Star Alliance que operam no Brasil, há também a Air New Zealand e a ANA (All Nippon Airways) que, apesar de não possuírem ligação direta com o país, contam com escritório de vendas e representações em São Paulo.

O GRU Airport destaca-se como o aeroporto latino-americano com mais diversidade de companhias aéreas estrangeiras membros da Star Alliance. Das 29 empresas aéreas estrangeiras que atuam em Guarulhos, 38% integram a rede da Star Alliance. Dos 6,63 milhões de passageiros que rumaram para o Exterior no ano passado por meio do aeroporto paulista, 2,77 milhões, ou 41,8% do total, voaram pelas companhias aéreas membros da Aliança. Os números ainda destacam o GRU Airport como um hub mundial, onde a presença da Star Alliance é estratégica: o aeroporto concentra 65% do fluxo internacional para o Brasil.

A Aliança entra em sua terceira década com uma rede forte e abrangente que atende mais de 1.300 destinos em 191 países. A conectividade continua a se expandir pelas operadoras membros que lançam novas rotas e aumentam as frequências, enquanto o alcance da rede crescerá através da adição de companhias aéreas locais e regionais através do conceito de Parceiro de Conexão.

Neste contexto, o foco estratégico da Aliança mudou para proporcionar uma experiência perfeita, especialmente para os mais de 14 milhões de clientes anuais que se conectam entre as transportadoras membros. No futuro, as tecnologias digitais estarão no centro desta estratégia.

“O acesso a informações instantâneas atualizadas on-line a partir de qualquer lugar tem mudado irrevogavelmente as expectativas dos clientes enquanto viajam”, disse Pedro Heilbron, CEO da Copa Airlines e atual presidente do Conselho Executivo da Star Alliance. “Os passageiros querem ter controle sobre sua viagem na ponta dos dedos. Isso significa ter pleno acesso a uma riqueza de informações, mas também ser capaz de personalizá-lo às suas próprias necessidades. Fornecer tais serviços ao viajante “digital” de hoje em nível de aliança é o pilar central de nosso novo foco estratégico”.

A infra-estrutura de centros de TI que a Aliança estabeleceu nos últimos anos permitiu uma melhor integração dos serviços de back-end entre as companhias aéreas membros. A nova infra-estrutura de hub de TI já permitiu à Aliança, por exemplo, melhorar a confiabilidade de processos como o check-in para roteiros de várias operadoras ou garantir o rápido crédito de milhas de passageiro frequente acumuladas.

O centro de bagagens, o mais recente projeto de hub de TI, entrou em operação no final de 2016 e facilita a transferência de mensagens de bagagem entre as companhias aéreas membros, seus manipuladores de terra e os sistemas de manuseio de bagagem nos aeroportos. Atualmente são processadas em média cinco milhões de bagagem por dia, sendo mais fácil dar aos clientes atualizações pró-ativas sobre o status e entrega de bagagem.

“Nossa estratégia é desenvolver recursos digitais de forma centralizada, que pode então ser usada por nossos associados para melhorar seus próprios produtos, para que eles possam oferecer cuidados prolongados aos seus clientes regulares, mesmo quando estão viajando para outro lugar na rede”, disse Jeffrey Goh, diretor executiva da aliança. “Nos próximos anos, vamos lançar muitas dessas melhorias. Individualmente, estes irão oferecer uma melhoria incremental. Tomados em conjunto, eles vão oferecer aos clientes um nível completamente novo de informação e controle de sua jornada.”

Entre os dias 14 e 31 de maio, a rede promoverá ações especiais em seus seis lounges próprios ao redor do mundo, com direito a brindes e menus temáticos para os passageiros frequentes das companhias membros, celebrando seus 20 anos.

Créditos das fotos Benito Latorre, Luis Alberto Neves e divulgação Star Alliance.

Luis Neves

É agente de turismo e acompanha a evolução da aviação brasileira desde o final da década de 80. Fotografa tudo o que voa e tem uma das maiores coleções de fotos de aviação do Brasil.

Comente