TAM construirá no GRU Airport o mais moderno hangar de manutenção da LATAM.

A TAM Linhas Aéreas, empresa do Grupo LATAM Airlines, irá construir o mais moderno hangar de manutenção no Aeroporto Internacional de Guarulhos. O empreendimento, cujo investimento será de cerca de R$ 100 milhões, deve ser entregue para operação no segundo semestre de 2017 e gerar redução de custos para a empresa de cerca de R$ 40 milhões anualmente.




O acordo de cessão do espaço para a construção do prédio foi celebrado com a GRUAirport, que também aprovou o projeto conceitual.

No hangar serão feitas as manutenções preventivas dos aviões, que acontecem entre cada voo. As manutenções periódicas previstas nos manuais das fabricantes, que demandam mais tempo e recursos, continuarão a ser feitas no centro de manutenções da companhia em São Carlos, interior de São Paulo.

O investimento está em linha com uma série de medidas que a empresa está adotando para aumentar a eficiência da operação no aeroporto, como por exemplo, a modernização dos equipamentos de solo. “Guarulhos é o principal hub da TAM e da LAN para conexões de voos em todo o mundo. É fundamental também termos um hangar que consiga atender todos os modelos de aeronaves de nossa frota num só local. Esse será um marco que consolidará os esforços constantes feitos na eficiência de nossas operações”, afirma Nelson Shinzato, vice-presidente de Projetos Operacionais da TAM.

Para o presidente do GRU Airport, Marcus Santarém, o novo centro de manutenção da TAM em Guarulhos reforça a parceria comercial entre as empresas. “Os investimentos recentes na sala VIP do Terminal 3, no armazém da TAM Cargo e, agora, no hangar de manutenção demonstram a importância que o aeroporto tem para as operações da companhia aérea, sendo, da mesma forma, fundamental para os planos de crescimento da Concessionária”, destaca o executivo.

O hangar trará ainda vários outros ganhos associados para o Grupo LATAM. Por contar também com oficinas e estoque de componentes aeronáuticos, a logística de suprimentos – e dos próprios itens que devem passar por manutenção – serão mais eficientes. “Deixaremos de transportar, por exemplo, motores inteiros de aeronaves de Congonhas, local em que está instalada a oficina de motores, atualmente, para Guarulhos”, diz Shinzato.

O novo prédio terá capacidade para atender simultaneamente seis aeronaves de dois corredores (wide body), como os Boeing 777, 767 e 787 e os modelos Airbus A330 e o novo A350 XWB ou até 17 aviões de um único corredor (narrow body) da família Airbus A320 em um espaço de mais de 65 mil metros quadrados.