Terminal de carga de Petrolina registra recorde na exportação.

Imagem: Divulgação/Infraero

O Terminal de Logística de Carga (Teca) do Aeroporto de Petrolina/Senador Nilo Coelho (PE) registrou, no primeiro trimestre de 2017, 555,4 toneladas de mercadorias exportadas – um crescimento de 215% em relação ao mesmo período de 2016, quando foram contabilizadas 176,2 toneladas.




Atualmente, o aeroporto pernambucano conta com uma frequência semanal da empresa Cargolux, que opera com um Boeing 747-400 e, diferentemente de anos anteriores, não teve interrupção do cargueiro, que normalmente ocorre no início do ano. Em 2016, para se ter uma ideia, a temporada da empresa foi iniciada em 2 de março.

Para Moyses Barbosa, superintendente do Aeroporto de Petrolina, o expressivo crescimento na movimentação de cargas se deve não somente à regularidade do cargueiro desde o início do ano, mas também ao esforço de fidelização de clientes estratégicos para o setor de carga aérea.

O Teca petrolinense tem 3 mil m² de área e conta com seis câmaras de armazenamento, três antecâmaras de resfriamento e dois túneis de resfriamento – toda uma infraestrutura para atender os clientes do setor de Exportação do Vale do Rio São Francisco. Os principais itens exportados a partir do Teca são frutas, como manga, mamão, uva e limão, sendo as duas últimas com menor representatividade.

Imagem: Divulgação / Infraero.

Além disso, o Aeroporto de Petrolina também registrou aumento na movimentação de passageiros. Na comparação com o primeiro trimestre de 2016, o crescimento foi de 14,7%. Entre janeiro e março de 2017, foram 127.877 embarques e desembarques, ante 111.467 contabilizados no mesmo período do ano passado.

As salas de embarque e desembarque do terminal de passageiros passaram por modernização em 2013. No caso do embarque, o espaço mais do que dobrou de tamanho, passando de 307 m² para 788 m² na sala de embarque. Já o desembarque, mais do que triplicou, saindo de 235 m² para 777 m², ampliando assim a capacidade de atendimento, que passou para 1, 5 milhão de passageiros por ano.

A movimentação média diária é de seis pousos e decolagens comerciais regulares, de três companhias aéreas (Avianca, Azul e GOL). Os destinos dos voos que partem de Petrolina são: São Paulo – Campinas e Guarulhos, Recife (PE) e Salvador (BA).

 
Informações pela Assessoria de Imprensa da Infraero.
 

Murilo Basseto

Formado em Engenharia, foi um dos líderes do Urubus Aerodesign da Unicamp e um dos responsáveis por alçar o grupo à elite mundial da engenharia aeronáutica universitária. Atualmente é assessor de editoria do AEROIN.

19 Comments:

  1. Guilherme Linhares eu gostaria de uma explicaçao.

    • Frutas e outros cultivos rumo à Europa!

    • Porque fica indignado, Victor Pimenta?

    • Questão de demanda Jovem , Petrolina produz desde bananas a vinhos finos , produtos de valor agregado e não commodities , massa de tomate e biscoito se produz em qualquer lugar do mundo ! e olha que pelos portos de Salvador , Recife e Fortaleza ainda saem containeres reefer lotados de uvas sem sementes , manga e melancias sem caroços melões que não existem no mercado interno e muito mais , portanto e muito justificavel esses trafegos no SBPL .

    • Mta coisa mesmo! Mas o aeroporto de Anapolis está em fase final de construçao, a minha indignaçao é que, por ser obra pública, está demorando mto!

    • Nessa região seria muito interessante um aeroporto expecializado em cargas , a Cidade esta em uma região muito bem Localizada bem no centro do país , porém devido ao custo do transporte aereo de cargas o governo do estado deveria investir mais em indústrias que fugisse um pouco do agro negocio e seguisse mais para o foco em metalurgia e tecnologia , alem de distribuíção , mas infelizmente a politica nem sempre é conivente com as necessidades da população !

    • Ao contrario do q mtas pessoas pensam, Anápolis ja tem um industria bem diversificada e com uma expectativa de crescimento maior q a media das demais cidades brasileiras. La existem muitas industrias farmaceuticas, montadoras de veículos, industrias texteis e obviamente as agroindustriais q tb nos geram muitas riquezas! E na vdd, oq falta é liberdade economica, reduçao da carga tributaria, reduçao do estado de modo geral, ou seja, o famoso Liberalismo! Estamos caminhando, torcendo para enriquecermos o mais rapido possivel!

  2. Olha aí Marcos Vinicius e Luis Fernando Campos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *