Trump revela plano para privatizar o controle de tráfego aéreo nos EUA.

O presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou nesta segunda-feira, 05 de junho, o plano de privatizar o sistema de controle de tráfego aéreo, separando o mesmo da FAA (Agência Federal de Aviação). A argumentação é de que o agência é muito antiquada para realizar inovações.




A ideia é que o controle de tráfego aéreo seja administrado por uma empresa sem fins lucrativos. Sua operação seria financiada pelas taxas aeroportuárias pagas pelas companhias aéreas e passageiros, da mesma maneira que funciona atualmente, em que a FAA é financiada por impostos aeroportuários.

“Nós estamos preparados para entrar em uma nova grande era na aviação americana. Está na hora de entrar no futuro e fazer voos mais rápidos, seguros e mais rentáveis”, declarou o presidente morte-americano. As companhias aéreas e diversas associações de pilotos não estão satisfeitas com a gestão da FAA, que, mesmo com o seu programa NextGen, está demorando muito para implementar novas tecnologias e trazendo poucos benefícios.

Um dos pontos chave no debate é o atraso na implementação completa do sistema ADS-B nos Estados Unidos, que tem sido postergada diversas vezes e agora tem a data final como 2020. Essa nova tecnologia faz parte do plano NextGen da FAA. Basicamente, por essa tecnologia são obtidas via GPS a localização, velocidade e altitude da aeronave. Estas informações são transmitidas para o controle de tráfego aéreo e outras aeronaves, fazendo o espaço aéreo mais seguro e principalmente não se fazendo necessário o uso de caros radares para adquirir as posições de aeronaves no céu.

Outro ponto é a implementação de procedimentos baseados em performance (PBN) e RNAV, que também são baseados em GPS, permitindo uma rota mais curta e mais precisa. Além disso, são mais baratos e muito mais flexíveis de serem implementados do que um sistema de pouso por instrumentos como o ILS, por exemplo, e são tão precisos quanto este.

A resistência tem vindo por parte dos rivais Democratas, que alegam que os controladores de tráfego aéreo estariam correndo risco com seus benefícios de um cargo público. Também defendem que os custos sobre a passagem aérea iriam aumentar para o passageiro. A medida ainda precisa passar pelo congresso americano e, se aprovada, irá demorar três anos para ser completamente implementada.

Com informações da FOX News. 

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é piloto e graduando de Ciências Aeronáuticas. Formado em Design e Performance de Aeronaves pela California State University Long Beach e Segurança da Aviação pela Western Michigan University. Membro da AOPA e da AIAA.