Voamos no novo Bell 407GXP.

Bell 407 Externa

A convite da Bell Helicopters, pertencente ao Texton Group, realizamos um voo no novo Bell 407GXP, de matrícula N407XP. O Textron Group é um conglomerado americano de aviação proprietário da Cessna, da Hawker e da recentemente adquirida Beechcraft.

Às 13:30 horário local da capital chilena o nosso helicóptero chegou, aos comandos do piloto de testes Randall Parent. Realizado o embarque no Bell que tem capacidade para até 7 passageiros (6 + 1 piloto), contatamos a torre exclusiva da FIDAE, que nos deu autorização para taxi até o heliponto. De lá fomos transferidos para Torre Santiago e tivemos nossa decolagem autorizada após o pouso do F-22 Raptor que nos deu preferência na taxiway.

Todos esses detalhes foram possíveis de observar devido ao baixo ruído na cabine e aos renomados fones Bose A20 que vêm de fábrica. Além disso é possível ouvir o playback da última instrução do ATC por comando de voz, sem necessidade de tirar as mãos do controle, função muito útil, principalmente em um helicóptero.

 

O piloto Randall demonstra algumas novas funções do 407GXP

O piloto Randall demonstra algumas novas funções do 407GXP

 

O Bell 407XP foi construído para ser um helicóptero que fornece toda a informação necessária e requerida pelo piloto durante o voo. É equipado com o famoso Garmin G1000H, em 2 grandes telas de LCD, que podem apresentar literalmente qualquer informação da aeronave, desde os obrigatórios instrumentos básicos até câmera na cauda, que é item de série no 407GXP.

O sistema robusto e confiável do G1000H permite exibir imagens de outras câmeras externas que são muito utilizadas por forças policiais e de resgate, missão que o JetRanger vem cumprindo a mais de 5 décadas.

 

Cockpit Bell 407

Painel G1000 do 407GXP conta com Synthetic-Vision Technology (SVT) com Terrain Awareness.

O comandante Randall começou a explicar algumas funcionalidades da aeronave, que conta com piloto automático de 2 eixos para o controle do movimento de rolamento e de inclinação da aeronave, além de estabilizar a mesma.

Outra funcionalidade é o sistema de informação de tráfego TIS (sistema similar ao TCAS), que ia nos alertando à medida que nos aproximávamos de outra aeronave.

O helicóptero também conta com a famosa visão sintética do Garmin G1000H, a VTS, que gera uma imagem 3D no pano de fundo do display primário de voo, possibilitando visualizar obstáculos à frente mesmo em baixa visibilidade. Associado ao VTS o equipamento também conta com o Sistema de Alerta de Desvio de Relevo para Helicóptero – HTAWS – que alerta o piloto sobre terreno à frente que possa conflitar com a trajetória de voo atual.

TCAS Cockpit Bell 407 HTAWS TIS GPWS

Mapa no modo HTAWS, com informações precisas sobre o relevo à frente

 

 

Do Himalaia aos Andes, novo motor Rolls-Royce permite o 407GXP operar em qualquer condição.

 

Bell 407 Everest

 

O novo motor M250 da Rolls-Royce produz 625 cavalos de potência, que permite ao 407GXP voar a 20 mil pés (6000 m) de altitude e operar no singular aeroporto de Lukla, no Everest. A aeronave também fez um tour pelo resto do Nepal, demonstrando capacidade de operar em grandes altitudes e em locais em que só é possível chegar de helicóptero.

Segundo o piloto Randall, natural do Texas, isso é muito útil na sua terra natal, onde encontram-se diversas montanhas com clima de deserto, a chamada operação Hot & High (Quente e Alto), situação que exige mais do motor devido à altitude e perda de desempenho pela menor concentração de oxigênio para combustão. Todo o tour foi realizado pela mesma aeronave que voamos, o N407XP.

Durante todo o voo, que durou 30 minutos, foi possível perceber a grande potência do helicóptero mesmo no topo da montanha e também na retomada de velocidade. Segundo Randall, é possível fazer quase todo o pré-voo dentro do helicóptero, desde verificar meteorologia, até fazer peso e balanceamento no próprio Garmin que demonstra onde você está no envelope de voo apenas inserindo o peso dos passageiros e carga. Isso salva tempo. Como piloto normalmente demoro 30 minutos para fazer todo o pré-voo, que no 407GXP poderia ser feito em 10 minutos sem comprometer a segurança de voo.

Outra facilidade para os operadores é o monitoramento das horas dos helicóptero, sejam totais, de motores ou algum componente específico. Tudo está no G1000H, com fácil consulta pelo piloto ou pelo mecânico, que pode acessar de um tablet, sendo necessário apenas o helicóptero estar em solo, acionado ou não. Por último, todas essas informações podem ser exportadas para a caderneta de voo do piloto para logar suas horas. O sistema permite ter até 150 diferentes perfis de pilotos salvos.

 

G1000 Range Alcance Bell 407

Mapa interativo com raio de alcance da aeronave atualizado em tempo real

 

“É só inserir meu nome que já vem a configuração de tela que eu prefiro e as informações sobre meu último voo na aeronave. Isso facilita muito, economiza tempo, que é valioso para o cliente corporativo e essencial para operações médicas e policiais.” complementou Randall.

Na cabine de passageiros da aeronave o espaço é amplo, com 5 assentos em couro por padrão, mas que pode variar de acordo com a necessidade do cliente. As portas são grandes e abrem separadas ou todas juntas como uma porta maior, dando facilidade para embarque de macas por exemplo.

O maior diferencial visual são as grandes janelas, que praticamente estendem-se do teto até o piso da aeronave, dando uma maior visão para o passageiro, reduzindo o efeito de claustrofobia e outros desconfortos relacionados ao voo. As grandes janelas são muito úteis também para equipes de resgate e de segurança pública, que precisam visualizar com rapidez o objetivo.

 

Aerea Pudahuell Bell 407

Janela ampla permite uma visão em qualquer ângulo praticamente

 

Outros detalhes interessantes e exclusivos no Bell 407GXP são a câmera externa de série, que ajuda durante manobras no solo sendo visualizada direto no LCD no cockpit; um suporte para GoPro próximo ao painel superior; e o modo QuietCruise que reduz o ruído externo do rotor de cauda (parte onde gera 70% do barulho de qualquer helicóptero).

Neste modo o rpm do rotor de cauda é reduzido sem comprometer a estabilidade do helicóptero, sendo ideal para cidades grandes, onde aeroportos já possuem cartas com perfis e restrições para abatimento de ruído sonoro.

 

bell 407 interior cabine passageiros

 

O Bell 407GXP incorpora todas as tecnologias que um piloto e seus clientes necessitam em um helicóptero moderno. Seu alcance de 337 nm/624 km, autonomia de voo de 4h, velocidade máxima de 133 nós/246 km/h e capacidade de voar a até 20 mil pés colocam-no como um dos melhores helicópteros multifunção da atualidade, e continuando a levar o nome da família de helicópteros mais popular do mundo: A Bell JetRanger.

Para quem quiser conferir essa bela aeronave de perto, está prevista a presença dela na LABACE 2016, que será realizada nos dias 30 de Agosto à 1º de Setembro, no Aeroporto de Congonhas em São Paulo, com cobertura completa aqui no AeroIn. Também está prevista a vinda de outras aeronaves da Textron, como o Bell 429 e o Citation Latitude.

Agradecimentos à Bell Helicopters e à Textron Aviation, em especial à Lindsey Viotto pelo suporte e Randall Parent pelo voo.

Por Carlos Martins e Luís Alberto Neves, direto da FIDAE 2016 em Santiago do Chile.

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é piloto e Bacharel em Ciências Aeronáuticas. Formado em Design e Performance de Aeronaves pela California State University Long Beach e Segurança da Aviação pela Western Michigan University. Membro da AOPA e da AIAA.

Um Comentário:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *