737 MAX: Ex-piloto-chefe se diz inocente e que é bode expiatório na história toda

Mark Forkner, o ex-piloto-chefe da Boeing, se declarou inocente na sexta-feira (15), das alegações de que ele havia enganado a FAA ao ocultar informações sobre o Sistema de Aumento das Características de Manobra (MCAS).

De acordo com uma matéria da Associated Press, Forkner apareceu pela primeira vez no tribunal federal em Fort Worth. Um magistrado marcou a audiência que determinará a continuidade do julgamento para 15 de novembro, no qual o engenheiro enfrenta seis acusações de fraude.

Seu advogado, David Gerger, disse que Forkner era um bode expiatório. Ele disse que se o caso for a julgamento, “a verdade mostrará que Marcos não causou essa tragédia, ele não mentiu e não deve ser acusado”.

As famílias dos passageiros pediram novos processos: “Forkner é apenas um bode expiatório. Ele e a Boeing são responsáveis ​​pela morte de todos no acidente do Max , disse Nadia Milleron, cuja filha morreu no acidente na Etiópia em março de 2019, cinco meses após o primeiro acidente. “Os executivos e a diretoria da Boeing precisam ir para a cadeia.”

Milleron faz parte de um grupo de familiares que está processando a empresa em um tribunal federal de Chicago, onde a Boeing está sediada. Em janeiro, a Boeing aceitou uma multa de US$ 243 milhões como parte de um acordo de US$ 2,5 bilhões com o Departamento de Justiça. O governo concordou em não processar a Boeing por conspiração se cumprir os termos do acordo por três anos.

Carlos Ferreira
Managing Director - MBA em Finanças pela FGV-SP, estudioso de temas relacionados com a aviação e marketing aeronáutico há duas décadas. Grande vivência internacional e larga experiência em Data Analytics.

Veja outras histórias

Está entregue o último avião 747-8F da maior operadora do modelo...

0
A contagem para o fim da produção de um dos mais longevos e bem sucedidos projetos da história da aviação, a família Boeing 747, avançou.