787 enfrenta problema nos motores e Wamos Air opera voos para LATAM

© José I. Soria

Nas últimas semanas recebemos vários reportes de problemas com o Boeing 787 Dreamliner, desta vez não relacionados à bateria da aeronave como ocorreu no inicio das operações com o novo jato da Boeing, mas sim com o motor Rolls-Royce do mesmo.




O problema afetou várias companhias no mundo, incluindo a Virgin Atlantic, ANA, LATAM Chile e a Avianca Colômbia (Avianca Holdings). O problema seria exclusivo ao motor Rolls Royce Trent 1000, não afetando as companhias que utilizam o GEnx da General Eletric.

CC-BBE parado em Santiago, imagem de autor desconhecido

Desta maneira a LATAM estaria com quatro a seis Dreamliners parados, sendo dois confirmados: CC-BBD e CC-BBE. Apesar de rumores inicias afirmarem que o motivo seriam rachaduras na asa, o problema é exclusivo dos motores. A aeronave de matrícula CC-BBD aparentemente foi para Victorville, no estado americano da Califórnia, um grande centro de estocagem e que contém instalações da Boeing.

CC-BBE parado em Santiago, imagem de autor desconhecido

A demora para troca de motores estaria relacionada ao fato da Rolls Royce não conseguir atender à demanda de motores defeituosos. Uma lista não confirmada circula na web, listando as companhias afetadas e a quantidade de aeronaves envolvidas:

  • All Nippon Airways (ANA): 9 aeronaves sendo que duas já estão recebendo manutenção.
  • Air China: 1 aeronave
  • Air New Zealand: 2 aeronaves
  • Norwegian Air Shuttle: 42 aeronaves
  • Avianca Holdings: 2 aeronaves
  • LATAM Chile: 6 aeronaves
  • Thai Airways: 1 aeronave
  • Virgin Atlantic: 2 aeronaves (que estão sendo substituídas temporariamente pelo A340).

A Rolls Royce por sua vez admitiu os problemas, que no Trent 1000 estão localizados nas blades (lâminas) do rotor principal, do compressor intermediário e de alta pressão. “Estes problemas demandaram suporte urgente tanto na aeronave quanto nas oficinas de manutenção, que resultou numa interrupção de serviços de alguns clientes”, declarou a fabricante de motores britânica.

“Nós estamos progredindo no entendimento do problema técnico e operacional, fazendo progressos sólidos para soluções de longo termo, principalmente através do redesenho das partes afetadas”, declarou a Rolls Royce em nota enviada à Flight Global. Os componentes com novo design estarão totalmente implementados nos motores já construídos e novos até 2022.

Vale lembrar que os problemas foram causados por um erro da Rolls Royce, e a mesma está arcando com as despesas relacionadas a estas aeronaves.

Wamos operando voos da LATAM no Equador

Serviço na classe Executiva da Wamos Air

Segundo informações oficiais da LATAM Airlines, a partir de 10 de março de 2018 a LATAM Airlines Equador contará com a Wamos Air, empresa aérea espanhola especializada em contratos de arrendamentos de aeronaves, para operar a rota Madri – Guayaquil – Madri de forma temporária. Desta maneira, o Boeing 767 da LATAM Equador poderá apoiar a operação de rotas internacionais do Grupo LATAM enquanto algumas de suas aeronaves Boeing 787 se encontram em manutenção de motor.

Esta é uma prática comum na indústria aérea mundial, e a LATAM selecionou a Wamos Air após um processo rigoroso com avaliação de diferentes padrões operacionais de segurança e serviço. A Wamos Air conta com ampla experiência em oferecer serviço de arrendamentos de aeronaves e já trabalhou com outras companhias aéreas de nível internacional e em aeroportos de todo o mundo.




A LATAM está trabalhando próxima à Wamos para assegurar que seus padrões de segurança e serviço sejam mantidos durante este período, e seguirá supervisionando sua manutenção e operação de forma contínua. A Wamos também mantém os mais altos padrões internacionais de segurança e, tal qual a LATAM, é membro da IATA; e como operador espanhol, é regulada pela Agência Europeia de Segurança Aérea (EASA) e está certificada pela IATA Operational Safety Audit (IOSA).

Neste período, não haverá mudanças nos processos no aeroporto, na programação ou nos procedimentos de conexão para a LATAM ou para passageiros da oneworld que viajarem nesta rota. Os benefícios para passageiros frequentes da LATAM Pass e oneworld e o acúmulo de milhas também serão os mesmos. Os passageiros de voos que serão operados pela Wamos Air estão sendo contatados pela LATAM.

Para operar a rota Madri – Guayaquil – Madri, a LATAM arrendou um Airbus A330 da Wamos Air, que será operado por sua tripulação, mas com supervisão de equipe especializada da LATAM Airlines Equador. Assim, a LATAM manterá as suas três frequências semanais nos seguintes horários:

  • O voo Guayaquil – Madri será operado às segundas, quartas e sextas-feiras; com saída do Aeroporto Internacional José Joaquín de Olmedo às 17h45 e chegada ao Aeroporto de Barajas às 11h20 (hora local).
  • O voo Madri – Guayaquil está programado para as quartas, sextas e domingos; com saída de Madri às 0h55 (hora local) e chegada a Guayaquil às 7h00 do mesmo dia.

O Airbus A330 da Wamos que operará a rota Madri – Guayaquil – Madri seguirá oferecendo o serviço gratuito a bordo, de acordo com o padrão LATAM. Por meio do aplicativo Wamos Air Entertainment, os passageiros poderão acessar gratuitamente a partir de seus dispositivos móveis uma ampla seleção dos melhores filmes internacionais. O aplicativo está disponível na Apple Store ou Google Play.

O problema nos motores afeta a LATAM Chile, mas o grupo está fazendo um remanejamento de frota. Rotas antes operadas pelo 767 nas subsidárias estão sendo operadas por outras aeronaves, e os 767 sendo transferidos para rotas que eram feitas pelos Dreamliners da LATAM Chile. Desta maneira a Wamos irá cobrir as rotas antes operadas pelo 767.

Com informações de Nicolás Larenas, Flight Global e da Assessoria de Imprensa da LATAM.

Carlos Martins

Despertou a paixão pela aviação em 1999 em um show da Esquadrilha da Fumaça. Atualmente é Piloto Comercial, Despachante, Bacharel em Ciências Aeronáuticas, membro da AOPA e veterano da Western Michigan University #GoBroncos